[SWD] Love Tangle: Timo (capítulo 3)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Love Tangle. Espero que gostem! :)

Timo & Paul – História Principal (Capítulo 3)
Julia: Sim?
Eu estou vagarosamente começando minha manhã no primeiro dia de uma folga de dois dias quando eu ouço uma leve batida em minha porta.
(Quem pode ser a essa hora?)
Paul: Julia, você tem um minuto?
(É o Paul?)
Julia: Só um segundo.
Vários dias se passaram desde que Paul se mudou para Lilac Court. Apesar dele certamente ter causado uma confusão em sua primeira noite aqui, eu mal o vejo por aí desde então.
(Pensando bem, essa é a primeira vez dele visitando meu quarto.)
Eu abro a porta para encontrar Paul carregando materiais de pesquisa num braço.
Paul: Bom dia. Você tem os próximos dois dias livres, certo?
Julia: Sim, isso é verdade.
Paul: Tenha certeza de descansar. Eu tenho certeza de que você está cansada da mudança e de começar um novo trabalho, e o cuidado daquele leopardo está esperando o momento em que você retornar.
Julia: O mesmo vale para você. Você está cuidando disso em tempo integral acima de examinar outros animais. E leopardos não são nem mesmo sua especialidade.
Paul: Não se preocupe. Eu tenho muita força em mim.
Julia: Ainda, eu não quero que você se sobrecarregue.
(Ele está apenas tentando ser legal, não está. Afinal, nós estamos na mesma equipe cuidando do mesmo leopardo.)
Paul: Você tem quaisquer planos durante seu tempo livre?
Julia: Não. Como você apontou, não apenas eu acabei de me mudar, meu novo trabalho está começando realmente ocupado. Meu plano é passar esses dois dias recarregando minha energia.
Paul: Bom. Acha que vai ter tempo de ler um pouco?
Julia: Você está brincando comigo? Eu sou uma pesquisadora. Ler é parte da minha rotina diária. Eu imagino que é o mesmo com você, certo?
Paul: Ótimo. Então adicione esses à sua lista de leitura.
Julia: Claro. O que eles são?
Meus olhos se arregalam em surpresa quando eu examino os materiais.
Julia: Referências para cirurgia e cuidado relacionado...? Históricos médicos de espécies similares em outras instalações...? E muitos deles! Quando você teve tempo para coletar todos eles? Você teria que entrar em contato diretamente com os cirurgiões participantes para obter dados como estes, certo?
Paul: O que eu posso dizer? Eu tenho muitos amigos e conhecidos.
Julia: Ainda, eu não posso acreditar que você conseguiu juntar tudo isso em tão pouco tempo.
(Incrível...)
Julia: Pare de gastar seu tempo se preocupando comigo. Parece que você não esteve descansando nada.
(Eu sei que Paul é um excelente pesquisador, mas eu nunca percebi o quão apaixonado ele é sobre seu trabalho.)
Paul: Sem necessidade para preocupação. Uma olhada para você e eu estou pronto para assumir o dia.
Paul me mostra um sorriso entusiasmado.
Paul: Bem, é melhor eu ir. Tenha certeza de descansar durante seu tempo livre.
Julia: Mas parece que você pode usar minha ajuda—
Paul: Não. Você estará ajudando muito durante e depois da cirurgia. Tome vantagem de seu tempo livre.
(Paul não é um para mudar de ideia uma vez que se decide. Eu acho que eu terei que apenas que ficar com a leitura.)
Julia: Claro. Você está certo, Paul. Tenha um bom dia.
Eu me despeço de meu amigo de longa data, esse agora estimado veterinário, com um sorriso. Depois de me despedir de Paul, eu tomo uma pequena pausa no jardim antes de enfrentar a pilha de leitura que ele me deixou.
(O jardim de Lilac Court é quase grande o suficiente para ser considerado um parque.)
Eu acho difícil acreditar que estou vivendo em arredores tão luxuosos.
(Mais uma vez, eu me sinto grata a Sr. C por me permitir vir viver nesse maravilhoso apartamento.)
Ao andar ao redor, eu encontro Cody brincando com Lucas no quintal. Lucas é um golden retriever muito amável, e praticamente um ícone aqui em Lilac Court.
(Eu recordo os irmãos Gray mencionando que eles são encarregados de levar Lucas para passear.)
Cody: Bom dia, Julia. Você está de pé cedo hoje. Indo pro trabalho?
Julia: Não. Eu tenho o dia livre. Eu pensei que apenas passearia um pouco.
Cody: Bem, é uma ótima manhã para estar fora no quintal. Certo, Lucas?!
Lucas: Au!
Cody: Vê? Mesmo Lucas ama estar aqui fora.
Julia: Uau, ele certamente parece gostar de brincar com você.
O casado de pelo normalmente bem-arrumado de Lucas está completamente desgrenhado e coberto em lama. Ele está dançando em círculos ao redor de Cody, implorando a ele para continuar brincando. Só então...
Carlo: Ei, Cody! Vem aqui por um segundo. ...Oh, bom dia, Julia. Eu não percebi que você estava aqui fora também.
Carlo vem a passos largos para o quintal, aparentemente procurando por Cody.
Julia: Bom dia, Carlo.
Cody: Bom dia, Carlo. Você estava procurando por mim? A essa hora?
Carlo: É. Você não disse que tinha o dia livre? Bem, Sr. C diz que há uma festa essa noite, então não vá a lugar nenhum. Isso vale para você também, Julia.
Cody: Uma festa?
Julia: Para quê?
Carlo: O que você espera? É uma festa de boas-vindas!
Julia: Uma festa de boas-vindas? Mas Paul e eu já tivemos as nossas.
Carlo: É, acontece que alguém novo está se mudando para cá hoje. De acordo com Sr. C, tudo aconteceu meio que de repente.
Julia: Eu vou dizer. Eu me pergunto quem pode ser? Eu mal posso esperar para descobrir.
Carlo: Sr. C disse que todos devem estar bem surpresos, então meu palpite é que é alguém famoso.
Cody: Quem quer que seja, ele/ela chamou a atenção de Sr. C, o que significa que ele provavelmente torceu o braço dele/dela para conseguir que ele/ela se mude para cá.
Julia: Ele fez um bom trabalho em encher esse lugar com grandes nomes.
Eu estou fascinada em descobrir que tipo de celebridade nosso novo vizinho é. Entretanto...
(O que está acontecendo aqui?)
Quando eu apareço para cumprimentar meu novo vizinho, eu me encontro encarando em surpresa.
Timo: Sr. Chrysler me convenceu a me mudar para cá. Então você estará vendo muito mais de mim a partir de agora.
Julia: Espere, você é nosso novo vizinho?
É o começo da tarde e todos os outros em Lilac Court estão fora comendo e fazendo compras, deixando-me completamente sozinha. Quando eu apareço na entrada, eu encontro Timo parado lá.
Timo: Você tem um problema com isso?
Julia: Não. De jeito nenhum. Eu apenas estou bem surpresa. Nós nunca fomos ditos quem estava se mudando para cá.
Timo: Eu vejo.
Quando Timo brevemente assente de volta, eu rapidamente adiciono...
-Eu te ajudarei a carregar suas coisas. (+Paul)
-Eu estou animada em saber que é você quem está se mudando. (+Timo)
(Embora Timo seja difícil de se conviver com, eu o respeito como um colega de trabalho. Descobrir que ele será meu vizinho é uma ótima notícia. Talvez nós possamos discutir trabalho aqui em casa agora.)
Ocorre-me que se Joy tivesse me ouvido agora, ela provavelmente teria me chamado de viciada em trabalho.
Julia: Eu estou animada em saber que é você quem está se mudando.
Eu anuncio com um sorriso. Timo franze as sobrancelhas de volta.
Timo: Você é estranha.
Um momento depois, ele vira sua cabeça e eu percebo que suas bochechas parecem fracamente vermelhas.
(Ele está corando?)
Eu o encaro em surpresa.
(Eu sei que ele não é muito para conversa. Talvez ele tenha dificuldade expressando suas emoções também? É quase um pouco encantador.)
Eu não posso evitar sorrir. Fiel à sua palavra, Timo tem surpreendentemente poucas posses com ele.
(Acontece que minha ajuda foi praticamente desnecessária.)
Uma maioria de seus pertences é composta de livros. Suas prateleiras são alinhadas com títulos que qualquer pesquisador de zoologia acharia irresistíveis.
(Uau, esse livro parece bem velho. Oh! E eu estive curiosa sobre este, mas não me convenci a comprá-lo ainda.)
Timo: Você gosta de livros?
Julia: Sua coleção é fantástica. Não há um único título aqui que eu não gostaria de ler.
Timo: Você pode pegá-los emprestados.
Julia: Sério?
Timo: É claro. Qualquer hora, dia ou noite.
Julia: Fale sobre sorte! Obrigada, Timo!
Eu animadamente solto sem pensar.
Timo: Hmph. Relaxe, eles são apenas livros.
Seu comentário é tão brusco como sempre, mas, eu me pergunto se ele não soa um pouco mais amável que de costume.
Julia: Oh, eu sei. Se você terminou de guardar suas coisas, por que eu não te mostro Lilac Court? É um lugar bem grande.
Timo: Você não acabou de se mudar a alguns dias?
Julia: Eu posso não ser familiar com cada canto e fenda, mas eu posso te mostrar os lugares mais importantes.
Só então, alguém empurra sua cabeça na porta, a qual nós tínhamos deixada aberta enquanto estávamos movendo os pertences de Timo. É Carlo.
Carlo: Com licença, se importam se eu interromper?
Julia: Carlo, você está de volta.
Carlo: É. Acabei de passar pela porta.
Carlo assente então olha para Timo. Ele não parece tão surpreso em descobrir que Timo é nosso novo vizinho.
Carlo: Ei, Timo. Eu vejo que as tentativas do Sr. C em te convencer durante a festa de boas-vindas do Paul funcionaram afinal.
Timo: O que eu posso dizer? Esse lugar parece bem agradável.
Carlo: Eu te garanto que você fez a escolha certa.
Carlo responde com uma piscadela.
Carlo: A propósito, já que Lilac Court é um lugar bem grande, eu te trouxe um pequeno mapa feito à mão dela. Mas, contanto que Julia está aqui, talvez eu deva guardá-lo?
Julia: Não, entregue. Na verdade, eu estava prestes a mostrar o lugar para Timo se ele estiver disposto. Mas, desde que eu apenas acabei de me mudar, seu mapa será útil.
Carlo: Oh, é? Eu estou feliz de ouvir isso. Certo, vocês dois, eu os verei mais tarde essa noite na festa!
Carlo me entrega o mapa, então vai embora.
(Carlo certamente é atencioso. Ele nem mesmo parece incomodado pela natureza brusca de Timo. Todos aqui são tão acolhedores. Eu tenho certeza que eles não terão problemas em receber Timo, mesmo se ele é uma pessoa difícil.)
Eu olho para Timo por um momento.
(Ele pode ser um pouco estranho socialmente, mas ele é alguém que todos irão valorizar ao conhecerem.)
Timo: O quê?
Julia: Nada. Bem, devemos colocar o mapa de Carlo em uso e darmos uma olhada em Lilac Court?
Eu começo a andar sem esperar por uma resposta.
Julia: Vejamos... Eu pensei que deveria começar te mostrando a biblioteca, mas... ...já que a academia é no caminho, por que eu não te levo lá primeiro? Afinal, você pode querer se exercitar de vez em quando.
Timo: Exercício é inútil.
Julia: Ainda, você precisa manter sua energia alta a fim de trabalhar duro.
Timo: Você está tentando me convencer de que não é uma perda de tempo?
Julia: Sim. Exatamente.
Timo: Ser um pesquisador exige energia. Eu não vou discutir isso. ...Pegue Morgan como exemplo.
Julia: Paul? O quê sobre ele?
Timo: Não importa que hora eu chegue no laboratório, ele sempre está lá. Eu estou começando a pensar que ele dorme lá. O que implora a pergunta, só por quanto tempo a energia dele dura? Seria um incômodo se ele desmaiasse logo antes dessa grande cirurgia.
Julia: Ele parou no meu quarto essa manhã para me trazer alguns materiais de pesquisa. Então eu suspeito que ele esteja pelo menos voltando para casa à noite. Embora, eu concorde, ele não deveria se sobrecarregar—
Eu estou no meio de minha frase quando me ocorre.
(Timo se comporta com tal apatia que todos os outros funcionários o consideram difícil de se conviver, e ainda... ...Eu tenho a sensação de que ele está bem preocupado com Paul.)
Achando isso estranho, eu me sinto obrigada a perguntar a Timo...
-Você está preocupado com Paul? (+Timo)
-Você acha Paul interessante, não é? (+Paul)
(Certo, então eu estou um pouco curiosa.)
Julia: Você está preocupado com Paul?
Timo: Não seja ridícula.
Timo murmura de volta.
(Eu suponho que isso apenas o chateia.)
Sentindo-me culpada por deixar minha curiosidade ter o melhor de mim, eu tento e dou de ombros.
Timo: Como você espera que eu reaja com duas novas pessoas talentosas no laboratório?
Julia: Duas... novas pessoas talentosas?
Timo: Eu tenho que explicar tudo? Eu estou falando sobre você e Paul. Quem mais poderia ser?
Eu encaro de volta em surpresa.
Julia: Você está dizendo que eu ganhei sua atenção tanto quanto Paul ganhou?
Timo: !
Ao invés de responder, a expressão de Timo fica azeda, e um momento depois ele desvia o olhar.
(Ele está corando novamente?)
Eu devo ter me sentido machucada por sua reação se eu estivesse o encontrando pela primeira vez. Entretanto, agora eu sei melhor.
Julia: Obrigada pelo elogio. Significa muito vindo de um pesquisador com seu talento e paixão.
Timo: ...
Julia: Como eu mencionei, Paul parou essa manhã para entregar alguns materiais de pesquisa. Vivendo debaixo do mesmo teto com colegas de trabalho parece bem útil. Torna mais fácil trocar informação. Agora que você se mudou para cá, eu terei duas pessoas de quem eu posso pegar livros e artigos emprestados.
Timo: Essa é definitivamente uma grande vantagem.
Eu vejo os lábios de Timo se levantarem.
(Espere, ele está sorrindo?)
Eu pisco várias vezes enquanto questiono minha avaliação.
(Quem teria adivinhado que ele sorriria a um comentário tão casual?)
Timo: Junto com a biblioteca, eu tenho certeza que você e Morgan terão muitos livros e artigos que eu não li. É uma situação de vitória em tudo.
Julia: Eu estou feliz de ouvir que você vê isso desse jeito.
(É verdade, um sorriso realmente acalma a alma. Eu me sinto incrivelmente à vontade de repente.)
Na verdade, eu estou tão à vontade que eu quase nos guio bem depois de nosso destino.
Julia: Espere um segundo, Timo. A academia é por aqui. Eu acho que nós devemos pelo menos espiar enquanto estamos aqui.
Eu rapidamente paro Timo antes dele atravessar, então mostro a ele por dentro.
Julia: Oh, oi Miguel. Eu não percebi que você estava em casa.
Miguel: Ei, Julia. Eu terminei minhas tarefas e pensei que deveria tirar minha rotina de treino diário do caminho. Deixe-me ver, você é... Sr. Salminen, certo?
Miguel parece não ter problema em se lembrar de Timo da festa de boas-vindas da outra noite.
Julia: Está certo. Começando hoje, ele estará vivendo aqui.
Miguel: Oh, é? Então você é nosso novo vizinho, huh. Menino, as coisas só continuam ficando mais e mais animadas por aqui. No caso de você ter esquecido, eu sou Miguel Hernandez. Bem-vindo a Lilac Court!
Timo: Você é famoso. Como eu poderia esquecer? Oh, e sinta-se livre para me chamar de Timo.
Miguel: Vamos agora, você está começando a me envergonhar. Eu não suponho que você está interessado em se exercitar? Você também, Julia.
Julia: Obrigada Miguel, mas nós estamos no meio de nosso passeio por Lilac Court.
Miguel: Ok então, talvez na próxima vez.
Julia: Parece bom.
Timo: Talvez, se eu me sentir tão disposto.
Timo não soa muito entusiástico sobre isso, entretanto, quando Miguel sorri para ele, ele assente de volta.
Julia: Essa é a biblioteca de Lilac Court. O que você acha? Bem grande, não é.
Timo: Sim. É uma coleção impressionante.
Um sorriso satisfeito levanta nos lábios de Timo.
Naoki: Esse é nosso novo vizinho?
Uma voz me assusta.
Julia: Naoki? Eu pensei que você tinha dito que estava saindo?
Naoki: A pessoa que eu deveria encontrar teve que cancelar. Então, ao invés, eu estou tentando apresentar algumas ideias para minha próxima exibição.
Julia: Você está? Bem, desculpe por interromper você.
Naoki: Sem problema.
Julia: Aqui, deixe-me te apresentar. Naoki, esse é Timo. Ele trabalha no mesmo laboratório que eu.
Naoki: Sim. Eu me lembro dele da festa de boas-vindas do Paul.
Julia: É isso mesmo. Timo, esse é o famoso calígrafo—
Naoki: Eu sou Naoki Hozumi.
Timo: Prazer em te conhecer.
(Pensando bem, Timo não é de conversa e Naoki é bem tímido. Talvez eles conversem melhor com uma xícara de café ou algo assim.)
Julia: Eu não suponho que vocês dois gostariam de ir ao café? Nós podíamos pegar uma xícara de café e relaxar um pouco.
Naoki e Timo assentem em concordância. Quando nós três chegamos no café, Lucas está lá para nos cumprimentar.
Lucas: Au!
Ele imediatamente vem cumprimentar Timo, animadamente balançando seu longo rabo.
Joy: Lucas, você nunca será um bom cão de guarda. Bem-vindo a Lilac Court, Timo.
Joy solta um suspiro ao comportamento de Lucas, então alegremente cumprimenta Timo.
Julia: Joy, você já voltou das compras?
Joy: Sim. Eu acabei de chegar em casa. Eu imagino que Timo é o novo vizinho sobre o qual nós ouvimos rumores?
Julia: É isso mesmo.
Timo: Cachorro inteligente. Alguém deve ter te treinado muito bem.
Timo se agacha para acariciar Lucas, completamente ignorando Joy e eu.
Timo: Golden retrievers são uma das raças de cães mais gentis. Eles não fazem bons cães de guarda.
Joy: Oh, é isso mesmo?! Desculpe sobre isso, Lucas.
Joy dá de ombros e sorri travessamente.
Joy: Já foi acusado de ser extremamente exigente, ou excêntrico?
Timo: Eu não coloco muita importância em como as outras pessoas se sentem sobre mim.
Joy: Eu vejo. Bem, eu estou feliz que você está aqui, independentemente. Por que todos vocês não se sentam e eu farei café para vocês.
Julia: Obrigada, Joy.
Timo: Obrigado.
Joy: Eu tenho certeza que você terá uma calorosa recepção de todos os outros na festa essa noite. Particularmente Paul.
Timo: Infelizmente, eu não irei.
Timo responde bruscamente ao que soa como uma tentativa na parte de Joy para provocá-lo.
Joy: O quê? Você não está indo? Mas nós sempre fazemos festas para nossos novos vizinhos. Eu estava ansiosa por ela.
Naoki: Eu estava lendo um artigo de revista sobre como muitas festas te deixarão gordo. Talvez você deva considerar isso uma bênção?
Joy: Cuidado com sua língua, Naoki.
Naoki: Por quê? Eu disse algo errado?
Joy e Naoki encaram um ao outro por um momento.
Julia: Joy, você gostaria que eu terminasse de pegar o café?
Joy: Oh...não, eu farei isso. Eu quero ter certeza que a xícara de Naoki está boa e amarga.
Joy oferece uma xícara para Timo.
Joy: Os recém-chegados primeiro.
Timo: Obrigado.
Joy: Hmm... Eu vou apostar que você é bem bonito debaixo dessas longas franjas. Você considerou mostrar mais seu rosto? Eu tenho certeza que você chamaria um monte de atenção.
Timo franze suas sobrancelhas suspeitosamente quando Joy começa a esticar a mão na direção de sua testa.
Timo: Não há necessidade. Afaste sua mão.
Joy: Não diga isso. Apenas me deixe tentar estilizar seu cabelo um pouco.
Timo: Não, obrigado.
Joy, entretanto, não foi detida por sua recusa brusca.
Joy: Você não deveria desperdiçar tal boa aparência.
Timo: Darwin...!
Timo soa um pouco frenético quando grita para mim.
Timo: Eu acabei de me lembrar de um artigo que eu queria ver. Você se importaria de nós irmos ao seu quarto?
É óbvio pela expressão em seus olhos que ele está desesperadamente implorando por ajuda.
(Essa é uma nova expressão para ele.)
Eu sorrio para mim mesma, então quietamente assinto.
(Uau, já é tão tarde? Eu perdi o jantar.)
Quando eu checo o relógio, eu estou assustada por ver quão tarde é. Eu e Timo lemos e ocasionalmente trocamos ideias... ...e a próxima coisa que eu percebo, meu primeiro dia livre está terminando.
(Uma vez que eu começo a ler materiais de pesquisa, eu perco toda a noção do tempo. Parece que Timo é o mesmo.)
Eu rio para mim mesma, então olho para Timo, que está sentando ao meu lado.
Julia: Oh.
Sua aparência me dá um susto. Ele está deitado de costas contra o sofá... ...com seu material de leitura em seu colo e seus olhos fechados.
(Parece que ele está adormecido. Apesar de que nós não tivemos muitas coisas para arrastar, mudando-se deve tê-lo deixado exausto. Eu deveria colocar um lençol sobre ele para que ele não pegue um resfriado.)
Eu busco um lençol e gentilmente começo a colocar em cima dele, tentando não acordá-lo. Entretanto, quando eu o faço...
Julia: !
...para meu repentino espanto, eu me encontro, e o lençol, amarrados nos braços de Timo.
(Ele acabou de me agarrar! Ele ainda está adormecido? O que eu faço?)
Eu tento me contorcer, entretanto, o abraço de Timo é surpreendentemente forte e eu não pareço conseguir escapar.
(Deve haver algum jeito que eu possa me libertar.)
Meu coração está acelerado. Eu odiaria acordar Timo quando ele parece precisar do sono.
(Está legal e quente aqui em seus braços. Eu suponho que posso apenas sentar aqui e esperar até ele mudar de posição.)
Eu gradualmente fico mais confortável em seu abraço, e sem perceber, eu adormeço.
Timo: Darwin...
Alguém está chamando meu nome e gentilmente me sacudindo. Ele continua a me chamar até que eu finalmente abro meus olhos.
Julia: Huh? Oh... Timo...?
O rosto de Timo enche minha visão. De repente, eu estou completamente acordada.
(É mesmo, eu devo ter adormecido enquanto Timo tinha seus braços ao meu redor!)
Eu sinto minhas bochechas começarem a queimar. Timo parece igualmente nervoso quando desajeitadamente olha ao redor.
Timo: Desculpe. Parece que eu caí no sono.
Julia: Não, está tudo bem. Eu devo ter adormecido também.
Eu resmungo de volta em uma tentativa de esconder meu constrangimento. Timo respira fundo.
Timo: Não vai compensar por dormir no seu quarto, mas há algo que eu quero te mostrar.
Julia: Oh?
Timo: Eu me sinto mal por pedir isso em seu dia livre, mas, você estaria disposta a visitar o laboratório comigo?
Apesar do pedido de Timo me pegar de surpresa, sua aparência tímida tira um aceno de concordância de mim.
Julia: Pensando bem, será minha primeira vez no trabalho durante horas de folga. Vejamos... o que eu devo vestir?
Timo: Por que você não me deixa escolher? Já que foi meu pedido.
Julia: Oh, ok. Obrigada.
Ao pedido de Timo, eu mostro meu guarda-roupa a ele.
Julia: O centro dos golfinhos?
Eu solto em surpresa quando Timo me informa de nosso destino. Eu estou vestida na roupa que ele pegou para mim e nós dois estamos no instituto.
Timo: Os golfinhos fazem alguns barulhos bem peculiares cedo de manhã.
Julia: Eles fazem? Eu nunca nem ouvi um golfinho na vida real.
Timo: Eles são bem faladores. Infelizmente, os humanos ainda têm problemas compreendendo muito do que eles estão tentando comunicar. Entretanto, no começo da manhã em um dia limpo como hoje, se escutar atentamente, você consegue ouvir suas saudações.
Julia: Incrível. Soa quase romântico.
Quando eu fico lá, encarando os golfinhos, eu sinto o calor de Timo se aproximar de mim. Um momento depois, ele coloca sua mão em meu ombro.
(Nós dormimos um ao lado do outro a noite inteira, não foi. Eu ainda posso me lembrar do som dele respirando.)
A memória faz meu coração bater alto. Eu abaixo minha cabeça quando começo a corar.
(Ele está tão perto. E se ele, na verdade, consegue ouvir meu coração batendo?)
Timo: Você ouve isso?
Julia: Huh? Oh, um... Eu acho que sim. É meio fraco, no entanto.
Timo: As vozes deles estão bem no máximo limite de audição humana, mas você deve ser capaz de identificá-las.
(Espere, o que é isso?)
Só então, eu fracamente começo a ouvir um agudo som de grito.
Julia: Oh, você está certo. Parece um chiado agudo.
Timo: Sim. É isso. Aí vêm eles. Todos eles estão vindo nos cumprimentar.
(Então é assim como suas saudações soam?)
Eu olho para Timo e repentinamente percebo o quão lindo ele é.
(Seus olhos são claramente visíveis debaixo de suas franjas desse ângulo.)
Quando eu vejo o quão entusiasticamente ele observa os golfinhos, isso lentamente me ocorre.
(Ele pode não mostrar muita emoção com humanos, mas ele é sempre muito gentil com animais. Ele realmente os ama, não é. Eu posso até mesmo sentir essa gentileza do calor de sua mão.)
Timo: Por que você está me olhando? Olhe para os golfinhos.
Julia: *Risada* Eu estou olhando para os golfinhos. Mas, parece que eu acabei de ter uma revelação sobre você, também.
Timo: Uma revelação? Você me preocupa algumas vezes.
Julia: É verdade. Eu percebi agora mesmo que você tem muito respeito pelos golfinhos e sua inteligência.
Timo: Isso é exagero. Eu estou simplesmente interessado em sua habilidade para se comunicar.
Julia: Se você diz.
(Seria maravilhoso se nós pudéssemos entender os golfinhos, mas francamente, eu estou interessada em entender Timo. Como uma colega pesquisadora, eu o acho fascinante.)
Pode ser difícil reconhecer a compaixão de Timo... ...mas, bem como a saudação dos golfinhos, se você prestar muita atenção, está definitivamente lá. Depois de uma breve visita, Timo e eu saímos do centro dos golfinhos. Eu estou apertando os olhos sob a brilhante luz solar quando repentinamente eu percebo o que parece meu amigo de infância a uma pequena distância.
Julia: Timo, aquele é Paul, não é?
Timo: Parece que sim.
Nós dois olhamos mais de perto.
Julia: Alguma ideia de com quem ele está?
Paul está conversando com um homem segurando uma câmera. A conversa deles não parece muito amável.
Paul: Escute, eu não tenho nada para te dizer. Você poderia ir embora, por favor?
???: Sério, Dr. Morgan, não há necessidade de ficar chateado. Apenas tenha certeza e lembre-se de meu nome – Andrea Lee. Eu te prometo, eu voltarei para te ver de novo em breve.
Paul: Não te fará nenhum bem.
Andrea: Eu tenho certeza que você mudará de ideia. ...Até a próxima.
Paul encara com raiva quando o homem sorri e sai andando. Então, um momento depois, ele sente alguém o observando de perto...
Paul: Julia...
...e um sorriso volta aos seus lábios quando ele murmura meu nome.
Esse é o fim do capítulo 3. Até a próxima! :)

Comentários

Mais Lidas ♥