[SWD] Love Tangle: Timo (capítulo 5)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Love Tangle. Espero que gostem! :)
{Nota: Você só pode escolher entre os dois rapazes no final do capítulo 4. A partir deste capítulo é a rota oficial do Timo Salminen.}

Timo – História Principal (Capítulo 5)
Eu hesitantemente escolho Timo. Ou mais precisamente, eu começo a recuar quando Paul anda em minha direção... ...e termino agarrando o braço de Timo.
(Timo não disse uma palavra desde então.)
Eu furto uma rápida olhada para ele, e quando o faço, ele deliberadamente me encara de volta.
Timo: Minha intenção era para você dormir um pouco. Por que você está me seguindo para o meu quarto?
Julia: Eu aprecio sua preocupação, mas eu duvido que possa dormir agora.
Eu respondo com um fraco dar de ombros.
Julia: Eu não suponho que você ficará acordado para pesquisar? Se você está, talvez eu possa te dar uma mão?
(Ele parece que está planejando continuar a trabalhar. Se esse é o caso, eu deveria estar ajudando-o em vez de dormindo.)
Apesar de Timo permanecer inexpressivo, eu tenho uma clara ideia de quais pensamentos estão passando por sua mente. Eu quietamente observo para ver como ele reage.
Timo: Você quer ficar acordada e me ajudar a pesquisar? Depois de favorecer meu argumento na frente de Paul daquele jeito?
Julia: Oh...
Eu sinto uma pontada de arrependimento quando me ocorre o que Timo está tentando dizer.
Timo: Seu negócio não é da minha conta. Mesmo assim, desde que você escolheu evitá-lo e me seguir, eu tenho uma responsabilidade para ter certeza que você durma.
Julia: Você está certo. Eu sinto muito. ...Mas eu realmente quero conversar com você agora mesmo.
(Há tanto que eu quero saber sobre trabalho, e os leopardos.)
Timo me encara atentamente.
Timo: Você quer conversar comigo? Você é estranha. De fato, eu estava pensando em olhar estratégias de reabilitação para animais maiores antes de ir pra cama. Eu acho que, se você não pode dormir, eu devo também deixar você me ajudar até ficar cansada.
Apesar de ele soar aborrecido, eu tenho a impressão que Timo não está tão irritado.
Julia: Ótimo. Obrigada, Timo. Então, pesquisa em estratégias de reabilitação para animais maiores, huh?
Eu quietamente celebro minha vitória enquanto expresso meu interesse em nossa tarefa. Só então...
Gatinho: Miau, miau...
...um fraco miado vem do nada.
Julia: Isso é um gato?
Eu olho para Timo em surpresa.
Timo: É. Ele provavelmente veio ver o que é todo esse barulho.
Quando Timo fica quieto, eu percebo que ele está encarando um pequeno gatinho, que parece assustado.
Julia: Um gatinho?
Timo: Aham. Sr. C disse que estava tudo bem.
Ele se agacha e encara nos olhos do gatinho. Eu tenho a sensação que ele está tentando tranquilizá-lo que tudo está bem.
Julia: Claro, mas o que ele está fazendo aqui?
Timo: Eu o encontrei preso em uma vala na frente de Lilac Court. Ele parecia que estava em mau estado, então eu o trouxe de volta ao meu quarto.
Julia: Você não o abandonou, huh. Isso é legal de sua parte.
Timo não faz tentativa de tocar o gatinho quando o gatinho começa a se esfregar contra ele, implorando por atenção. Considerando o quão pequeno o gatinho é, eu me pergunto se ele teria sobrevivido sem a ajuda de Timo.
Timo: Espere um segundo. Eu vou te trazer um pouco de leite.
Gatinho: Miaaau...
(*Risadinha* Que fofo. ...Espere, isso não pode ser fácil para Timo...)
Julia: Ei, e sobre suas alergias? Eu ouço que muitas pessoas são alérgicas a pelo de gato.
Timo: Elas estão bem contanto que eu tome meu remédio.
(Ainda, ter um gatinho por perto deve afetá-lo pelo menos um pouco.)
De repente, eu tenho uma ideia. Eu me agacho ao lado de Timo e encaro o gatinho.
-Por que você não me deixa levá-lo?
-Eu amaria ajudar você a cuidar dele. (+Timo)
Julia: Sabe, eu amaria ajudar você a cuidar dele.
Timo: Perdão?
Julia: Eu sei que eu ainda estou me estabelecendo no trabalho, e eu deveria estar concentrando meu tempo e energia lá, entretanto... ...você é bem devotado ao trabalho, o qual não te deixa muito tempo livre, certo? Então não faria sentido para nós cuidarmos do gatinho juntos?
Timo: De onde você tem essas ideias?
Timo suspira. Então, em vez de me recusar, ele fracamente sorri. Eu suavemente me apresento ao gatinho sem tentar acariciá-lo.
Julia: Eu estarei ajudando em cuidar de você a partir de agora. Eu espero que nós possamos ser amigos.
Gatinho: Miau.
Sua adorável resposta traz um sorriso aos meus lábios.
Timo: Animais parecem gostar de você, não é.
Julia: Não tanto quanto gostam de você. Mas eu estou trabalhando nisso.
Eu respondo brincando e sorrio para Timo.
Timo: Isso é uma coisa ridícula para se competir.
Ele retorna meu sorriso com uma expressão aborrecida.
Julia: Não é ridícula. Eu não teria me tornado uma pesquisadora se eu não amasse animais. E eu acho que seu nível de paixão é digno de lutar por.
Timo: Hmph. De qualquer modo, no topo dessas escadas você encontrará alguns materiais de pesquisa. Traga-os para baixo enquanto eu dou um pouco de leite a ele. Eu vou deixar você ficar por uma hora, então você tem que ir.
Após isso, Timo entra na cozinha. Quanto a mim, eu subo as escadas para procurar pelos materiais como instruída. Uma semana se passou desde que eu comecei a cuidar do gatinho. Hoje é o dia da cirurgia do leopardo. Os leopardos Kaleido são considerados tesouros vivos. Esse indivíduo em particular é salvo, em grande parte, pelo esforço marcante de Paul.
Paul: Eu acho que é seguro dizer que a cirurgia foi um sucesso. Quanto a se ele será capaz de andar novamente... ...isso tudo dependerá em como sua reabilitação vai.
Paul amavelmente afaga o leopardo enquanto ele continua a dormir sob os efeitos da anestesia.
Julia: Não se preocupe, Paul. Nós faremos isso.
Desde aquela manhã no café, meu relacionamento com Paul esteve estranho. Ainda, eu não pretendo deixar isso afetar meu trabalho. Paul, é claro, está tão profissional como sempre.
Paul: Julia, você é o núcleo da equipe de cuidado pós-operatório dele. Eu estou contando em você. Você também, Timo. E, de um pesquisador para outro, eu tenho fé em vocês.
Julia: Obrigada, Paul. Eu não posso imaginar um elogio melhor.
Eu sorrio de volta a ele.
Timo: Você tem fé em nós?
Timo dá a Paul uma expressão confusa.
Paul: Absolutamente. Eu me considero abençoado com colegas de trabalho excepcionais.
Paul não mostra nenhum sinal de má vontade de seu argumento do outro dia, e até mesmo sorri.
Timo: Eu vejo.
Quando Timo abaixa seu olhar, Paul estica sua mão na direção dele.
Paul: Eu digo isso. Sem sentimentos difíceis, ok?
Timo: Aham.
Eu me preocupo por um momento qual será a reação de Timo, entretanto... ...meus medos são aliviados quando ele alcança e aperta a mão de Paul. Na manhã após a cirurgia de Paul no leopardo, eu me encarrego de seu cuidado.
Timo: Bom dia, Darwin.
Eu estou no meio de checar seus sinais vitais quando eu ouço alguém me cumprimentar. Quando eu me viro e vejo quem é, meu coração pula uma batida.
(Whoa?! Que surpresa total.)
Julia: Bom dia.
(Timo acabou de me desejar um bom dia? Nunca em um milhão de anos eu esperei esse dia chegar!)
Um grande sorriso se espalha por meus lábios.
Timo: Você parece alegre hoje.
Julia: Aham. Assim como você.
Eu não consigo explicar que eu tenho sua saudação para agradecer por isso. Então, eu dei a ele uma razão diferente ao invés.
Julia: Talvez seja porque a condição desse menino está começando a estabilizar.
De acordo com Paul, o leopardo conseguiu evitar sofrer de choque após a cirurgia. Se ele continuar a melhorar, nós devemos ser capazes de começar a reabilitá-lo em breve.
Timo: Aha. Morgan é um cirurgião habilidoso.
Timo olha afetuosamente o leopardo. Ele nunca falha em mostrar a completa gentileza aos animais ao redor dele.
(Ele está verdadeiramente dedicado a protegê-los, não está.)
Toda vez que eu presencio a paixão dele, eu fico profundamente emocionada, e isso me faz querer ser uma pesquisadora melhor.
(Eu sou tão sortuda por estar cercada por tais admiráveis colegas de trabalho.)
Timo: Oh, é mesmo. Isso é para você, Darwin.
Julia: Uma chave?
Eu dou uma expressão confusa a ela quando Timo a estica para mim.
Timo: Eu estarei atrasado voltando para casa essa noite. Cuide do gatinho.
Julia: Oh, é claro. Você tem certeza que não se importa comigo em seu quarto quando você não está lá?
Timo: Eu confio em você.
Timo coloca a chave em minha palma e começa a sair andando.
(Ele confia em mim?)
Uma sensação de alegria enche dentro de mim. Eu tenho a impressão de que Timo e eu ficamos um passo mais próximos um do outro.
(Ele me emprestou a chave de seu quarto. Imagine isso?)
Claro, eu preciso se eu vou cuidar do gatinho. Mas isso não muda o fato de que ele confia em mim o suficiente para me emprestá-la.
(Eu estou feliz que ele está abrindo seu coração um pouco.)
Eu sorrio para mim mesma enquanto preciosamente aperto a chave em meu punho. Com Timo ainda no trabalho, eu tomo sua chave e quietamente entro em seu quarto.
(Isso é meio que empolgante.)
Até agora, Timo tinha sempre trazido trabalho para casa com ele ou pelo menos voltado para casa para jantar à noite... ...e ele estava em seu quarto quando quer que eu viesse para cuidar do gatinho. Mas não hoje.
Gatinho: Miau?
Eu explico isso ao gatinho quando ele me dá uma expressão interrogativa.
Julia: Timo me emprestou a chave dele. Eu estou aqui para te alimentar.
O gatinho, que ainda não recebeu um nome, está parecendo muito mais saudável agora. Ele também está começando a baixar sua guarda um pouco e se comportando mais como um adorável gatinho deveria.
Julia: Eu te trouxe um brinquedo hoje. Nós podemos brincar depois de você terminar de comer, ok?
Gatinho: Miau, miau.
Eu mostro a ele o brinquedo e ele o cutuca brincando com sua pata dianteira.
(Bom. Ele parece interessado nele. Mas primeiro, eu tenho que lhe dar o jantar.)
Eu começo a preparar a comida do gatinho.
Julia: Mmm...
Eu me viro um pouco quando algo toca meu ombro.
Julia: ...Huh? Onde eu estou?
Timo: O que você está fazendo no meu chão?
A voz aborrecida de Timo ecoa de cima.
(Eu estou deitada no tapete?)
Eu ainda estou tentando me orientar quando percebo o gatinho encolhido ao meu lado.
(Parece que ele está dormindo ao meu lado. ...Espere, dormindo?)
Eu abruptamente sento.
(Whoops! O que eu estava pensando? Eu consegui cochilar enquanto brincava com ele!)
Eu olho para Timo quem ainda está me encarando. Em minha pressa para levantar, eu percebo algo cair de meus ombros.
Julia: Huh?
Eu olho para isso curiosamente por um momento. É um cobertor colorido.
Julia: Você colocou esse cobertor sobre mim?
Timo: O que você espera quando eu encontro você dormindo no meu chão? Eu não quero que você pegue um resfriado e falte o trabalho!
Seu tom é bem severo, mas eu percebo que é seu desajeitado modo de mostrar gentileza, e esconder seu constrangimento. Eu acho isso mais que um pouco encantador.
Julia: Obrigada, Timo. Eu aprecio sua gentileza.
Timo: Gentileza? Se qualquer coisa, eu estava aborrecido.
Julia: Se você estava apenas aborrecido, eu duvido que você teria colocado esse cobertor sobre mim.
Ele abruptamente desvia o olhar quando eu sorrio para ele.
Timo: Você deve estar cansada para estar cochilando no meu chão. Por que você não volta pro seu quarto?
Eu sinto preocupação por meu bem-estar escondendo-se atrás de sua brusca tentativa de me tirar do chão.
Julia: Você está certo. Estou indo.
Só então, eu me lembro do momento que nós dois compartilhamos nossos sonhos para o futuro um com o outro.
Timo: Darwin, vamos salvar esses leopardos.
Essas poucas palavras encarnaram a paixão de Timo para com os animais... e sua determinação.
(Mesmo sua aspiração para se tornar um pesquisador no centro de pesquisas do Grupo de Tutela Animal Mundial... ...vem de seu desejo de salvar animais, não é. Seu amor por animais é incondicional. O fato de que ele foca sua preocupação neles ao invés de seus colegas de trabalho podem facilmente levar a desentendimentos. Ainda, a menos que eu esteja enganada, eu acho que ele está começando a mostrar alguma gentileza para comigo.)
Gatinho: Miau, miau...
O gatinho começa a implorar a Timo por atenção. Ele parece ainda mais insistente com Timo que era comigo.
(Ele sabe quem é o dono desse quarto, não sabe.)
Eu tenho um pedido a fazer quando fico de pé e começo a endireitar meu cabelo e roupa.
Julia: Ok, eu vou voltar ao meu quarto se você fizer uma coisa para mim.
Timo: O que é isso?
Julia: Você me emprestará todos os materiais que você tem em reabilitação? Especialmente os mais recentes?
Eu quero ser uma pesquisadora tão boa quanto Timo é. O que significa estudar muito.
Timo: Claro. Sem problema.
Timo assente e fracamente sorri.
Timo: Você é quase tão viciada em trabalho quanto eu sou.
Isso pode ser o maior elogio que Timo já me deu. Eu imediatamente sorrio. Pela manhã, eu terminei de ler todos os materiais que Timo me emprestou, e estou preparando para devolvê-los a ele.
(Eles são referências muito valiosas, então eu tenho certeza que ele os irá querer de volta o mais cedo possível.)
Julia: Huh?
Eu olho para cima e paro de andar. Antes de eu alcançar o quarto de Timo, eu encontro ele e Paul conversando no corredor.
Paul: Oh, olá Julia.
Eu estou tentando decidir se eu devo me pronunciar quando Paul me nota e chama.
Julia: Desculpe. Eu espero não estar interrompendo. Eu vim devolver esses materiais que você me emprestou, Timo.
Paul: Você não está interrompendo.
Timo: Nós estávamos apenas conversando sobre os leopardos Kaleido.
Julia: Vocês estavam?
Paul: É. Não apenas aquele que você está cuidando, mas a espécie em geral.
Ele pausa por um momento.
Paul: Eu fiz uma pequena checagem, por curiosidade, e parece que a situação deles é extremamente crítica. Sua população está diminuindo e ainda a caça continua, e casos de machucados por armadilhas têm aumentado ultimamente.
Timo: Paul acabou de me dar os números reais e foi um grande choque. Cuidar deles é definitivamente de máxima importância.
Paul: Eu disse a Timo que, dada a situação, eu estou determinado a ver nosso machucado leopardo se recuperar ao ponto de poder voltar à natureza. Ele é um dos poucos indivíduos jovens que restaram. O futuro dos leopardos Kaleido depende dele. Bom trabalho em equipe é crítico numa hora dessas, você não acha? De todo o nosso pessoal, eu confio mais em vocês dois... ...e eu espero que vocês acompanhem tudo o que a equipe faz.
Julia: Nós iremos prover todo o apoio que pudermos. Certo, Timo?
Eu assinto profundamente então viro para olhar Timo, quem eu tenho certeza que irá aprovar tão fortemente quanto eu. Pelo menos, é o que eu espero ver.
(Timo? O que está errado?)
Timo ama animais mais que qualquer um. Ele não iria recusar dar apoio numa hora dessas. E ainda, ele não parece agradado. Quando eu vejo isso, não posso evitar perguntar...
-Há algo que você gostaria de adicionar, Timo?
-Timo, você está preocupado com o futuro dos leopardos? (+Timo)
(Talvez o que Paul disse a ele é tão muito pior do que ele tinha imaginado que ele está em choque?)
Julia: Timo, você está preocupado com o futuro dos leopardos?
Eu imediatamente pergunto.
Julia: Se você e eu trabalharmos duro, esperançosamente nós podemos protegê-los.
Meu pensamento é que um pouco de encorajamento ajudará a aliviar sua ansiedade.
Timo: Sim, esperançosamente.
Ele parece relaxar um pouco. Entretanto, ele ainda não responde bem como eu esperaria.
(O que está errado, Timo? Foi realmente tão doloroso ouvir o que Paul tinha a dizer?)
Sua incaracterística falta de compostura me deixa me sentindo incerta.
Paul: Oh, isso me lembra...
Paul repentinamente, e um pouco dramaticamente, levanta sua voz.
Paul: ...há algo que eu realmente queria conversar com você, Timo!
Ele casualmente estapeia Timo no ombro.
Paul: Você pode me dar alguns minutos de seu tempo?
Timo: Que negócio você possivelmente poderia ter comigo?
Paul: Nós somos colegas de trabalho, não somos? Por que eu não teria coisas para discutir com você?
Isso me ocorre quando eu ouço o tom alegre de Paul.
(Ele está tentando aliviar o clima, não está.)
Julia: Oh, eu apenas parei para devolver estes.
Eu apressadamente entrego a Timo os materiais que eu tinha emprestado.
(Eles provavelmente prefeririam conversar sozinhos, não é.)
Julia: Desculpe novamente por interromper.
Paul: De jeito nenhum. Eu me sinto mal por apressar você.
Julia: Eu verei vocês dois mais tarde.
Sem mais comentários, eu me apresso de volta ao meu quarto.
Uma vez que Julia se foi, Paul olha para Timo. Timo ainda parece bem desencorajado.
Paul: Timo, alguma coisa aconteceu que eu deveria saber?
Timo: Não.
Paul: Nós somos uma equipe, lembra? Eu não quero que nós mantenhamos segredos um do outro.
Timo: É pessoal.
Sem outra palavra, Timo volta ao seu quarto.
Paul: Você espera que eu acredite nisso? Eu vi a expressão que você tinha em seu rosto.
Paul resmunga para si mesmo enquanto encara a porta fechada de Timo. Vários dias depois...
Paul: Hoje, eu gostaria de reportar o progresso do leopardo desde a operação.
Nossa equipe, liderada por nosso cirurgião, Paul, reúne-se na sala de exame para uma conferência.
(Timo estava certamente agindo estranho o outro dia, mas ele parece bem agora. Eu estive me preocupando que talvez algo aconteceu entre ele e Paul, mas acho que não.)
Eu começo a me sentir aliviada quando roubo um olhar ocasional à expressão calma de Timo.
Paul: Agora que sua condição está estabilizando, já é hora de nós começarmos a discutir reabilitação.
Timo: Espere um segundo. É muito cedo para discutir reabilitação. Ele precisa de mais descanso para sua fratura se recuperar.
Paul: Eu concordo que ele precisa de mais cuidado, mas...
Paul parece levemente confuso pelo comentário de Timo.
Paul: ...isso não deve nos impedir de discutir sua reabilitação, não é?
Timo: Quaisquer conclusões que chegarmos de sua atual condição podem terminar todas erradas.
(Timo está sendo muito cuidadoso. Quase cuidadoso demais.)
Paul: Diferente de mim, Timo, você é experiente em cuidar dos leopardos Kaleido.
Paul olhar ao redor da sala. Ele não parece particularmente chateado pela oposição de Timo.
Paul: Vocês ouviram a opinião de Timo, o que o resto de vocês pensa? Devemos continuar a observar o leopardo um pouco mais?
Pesquisador 1: Se Timo acha que devemos, então por que não?
Pesquisador 2: Eu seriamente duvido que ele ouvirá a opinião de outra pessoa.
Eu sinto que o grupo está mais preocupado com o problema que se opor a Timo pode causar que está em respeitar seu conhecimento e experiência. Embora não direcionado a mim, seus comentários farpados ainda fazem meu coração doer.
(Como eles podem falar assim?)
Claro, Timo não é a pessoa mais amigável no mundo, mas ele nunca fez nada ruim o suficiente para merecer esse tipo de tratamento.
(Ele pode ser desajeitado, mas ele realmente é uma pessoa muito boa.)
Apesar de suas atitudes frias para com ele limitam-se a serem descortês, Timo não parece incomodado por elas. É quase como se ele está acostumado a viver em solidão – o que realmente começa a me preocupar. Dez dias se passaram desde nossa primeira conferência em reabilitação. Paul reúne a equipe em sua sala de exame novamente.
Paul: Ok, da última vez nós concordamos que iríamos continuar a observar o progresso do leopardo. Depois de mais detalhadas avaliações, sua condição após a cirurgia permanece estável. Graças a sua juventude, eu acho que ele fará uma completa recuperação. Com essa novidade, dessa vez eu estou esperando começar a discutir sua reabilitação.
Timo: Você está apressando.
Mais uma vez, Timo se opõe.
Timo: É óbvio que suas habilidades cirúrgicas são impecáveis, e você realizou uma grande conquista. Não há necessidade de empurrar para obter resultados.
Após o comentário de Timo, uma comoção passa pelo resto da equipe. Eu, também, me sinto um pouco inquieta.
(Timo pode simplesmente estar tentando expressar seu desejo para não apressar as coisas, mas... ...o modo que ele palavreou isso faz soar como se Paul estivesse se esforçando para se distinguir.)
Embora o comentário de Timo me deixe nervosa, Paul não parece particularmente irritado por isso.
Paul: Como a pessoa encarregada dos leopardos Kaleido, eu respeito suas opiniões, mas—
Timo: Você terá que me desculpar. Eu tenho outros negócios para atender.
Timo abruptamente levanta, então sai da sala de exame sem mesmo um olhar para trás.
(O que está acontecendo, Timo?)
Seu excepcional show de obstinação me tem completamente aturdida.
Pesquisador 2: Esse cara é inacreditável.
Pesquisador 3: Dr. Morgan, por favor, ignore-o. Ele agiu assim por quanto tempo eu posso me lembrar.
Pesquisador 1: Ele não deveria ter sido colocado na equipe em primeiro lugar. Claro, ele é entusiástico sobre seu trabalho, mas ele não interage bem com os outros.
Pesquisador: Ele é um esquisito, é o que ele é. Ele só gosta de animais.
(Então talvez a atitude de Timo não fosse estelar. Isso não é razão para dizer essas coisas sobre ele.)
Eu abaixo minha cabeça e deprimidamente mordo meu lábio. Como eles podem dizer tais coisas horríveis sobre um colega de trabalho?
Paul: Independentemente, já que ele é o encarregado, nós teremos que colocar nossa discussão em espera sem sua entrada. Vamos terminar essa reunião.
Paul levanta sua voz, interrompendo os comentários abusivos do resto do grupo.
Eles imediatamente se calam. Ainda, seu desprazer com Timo é abundantemente claro.
(Há algo que eu posso fazer para ajudar a situação de Timo?)
Paul nota meu desânimo e quietamente sussurra em minha orelha.
Paul: Julia, cuide de Timo, sim? Se há alguém para quem ele irá se abrir, eu suspeito que seja você.
Julia: Eu?
Paul: Nós temos que nos unir como uma equipe se nós vamos apropriadamente cuidar daquele leopardo. E agora isso não está acontecendo.
Paul solta um suspiro.
Paul: Eu me sinto mal pedindo a você para fazer isso, mas eu posso contar com você?
Julia: Sim, é claro que você pode, Paul.
Meu amigo de infância está preocupado com Timo. A realização extrai um sorriso de mim. A preocupação de Paul por Timo me salva de completo desânimo, mas eu ainda estou desapontada pelas atitudes do resto da equipe.
(Eu podia usar algo para me animar. Observar os animais parece perfeito.)
Eu não aprecio a ideia de voltar ao laboratório, e decido visitar a área dos leopardos ao invés.
(Huh?)
Ao chegar, eu percebo um moço bonito de aparência familiar.
Julia: Olá.
É o mesmo moço que eu vi cumprimentar Timo no passado.
Moço misterioso: Oi.
O moço me dá um olhar curioso ao responder.
Moço misterioso: Onde está o homem leopardo?
Ele não parece me reconhecer, e pergunta por Timo.
Julia: Eu acredito que ele está ocupado com trabalho.
Moço misterioso: ...
Julia: Você quer que eu o busque?
Moço misterioso: Não, eu voltarei novamente mais tarde.
Tendo dito isso, o moço vai embora. Vários dias se passaram desde aquela bem desagradável conferência.
Julia: Timo, você ainda está aqui?
Eu tinha acabado meu turno da noite quando eu percebo que Timo, quem começou cedo, ainda está no laboratório. Sem pensar, eu grito para ele.
Julia: Você passou todo o seu tempo no laboratório esses últimos dias. Por que você não anda para casa comigo?
Timo: Não, mas obrigado. Eu estou preocupado com o leopardo. É um período crítico e eu não quero perder nem mesmo a menor mudança em sua condição.
Timo planamente recusa minha oferta. Nesse ritmo, ele pode acabar vivendo aqui no laboratório.
(Ele parece exausto, no entanto. Eu gostaria que ele tivesse pelo menos um pouco de descanso hoje. Toda essa determinação em sua parte deve estar relacionada à conversa do diretor com Paul.)
Mais cedo, por acaso, Timo e eu tínhamos acontecido de ouvir Paul recebendo uma diretiva de nosso superior.
Paul: ...Então, se nós não começarmos a reabilitação em breve, você irá separar a equipe e passar para outra pessoa? Eu não posso deixar isso acontecer. Críticas porções do cuidado do leopardo serão perdidas. ...Entendido. Deixe-me tentar discutir isso com Timo mais uma vez.
(Paul está recebendo pressão de cima. É por isso que ele está com pressa para começar a reabilitação, não é.)
Timo, quem estava parado ao meu lado ouvindo no momento, ficou bem irritado pelo o que ouviu.
Timo: Isso é horrível. Eles estão escolhendo seus próprios interesses sobre os do leopardo.
Eu assumo que Timo sente que há um ponto ideal durante a recuperação do leopardo quando a reabilitação deve começar. Como resultado, ele começou a cuidar do leopardo dia e noite em um esforço para acelerar sua recuperação um pouco.
(Ele está bravo, e ainda ele entende a posição de Paul, e está focando no que pode fazer pelo leopardo. Eu respeito isso. Ainda, eu estou preocupada que esse fardo é demais para ele lidar sozinho.)
Eu mudo minha atenção para alguns dados que tinham recentemente chegado.
Julia: Certo. Então eu vou ficar a noite também.
Timo: Eu não preciso de você aqui. Vá para casa.
Julia: Eu estou ficando aqui pelo leopardo, não por você.
Eu sorrio e balanço minha cabeça a ele.
(Isso, e eu quero lhe dar uma mão.)
Timo: Bom deus. Você é generosa demais.
Timo solta um suspiro e não faz mais tentativas de me espantar. E então, a longa noite começa...
Julia: Por que você não toma um cochilo primeiro? Desse modo você pode estar acordado quando o leopardo está, já que é noturno.
Timo: Ok.
(Excelente. Esperançosamente ele dormirá um pouco.)
Enquanto Timo está cochilando, eu cuido do leopardo por ele. Timo está aqui pelo leopardo, e eu estou aqui por Timo, e o leopardo.
Esse é o fim do capítulo 5. Até a próxima! :)

Comentários

Mais Lida da Semana ♥