[SWD] Love Tangle: Timo (capítulo 6)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Love Tangle. Espero que gostem! :)

Timo (História Principal) – Capítulo 6
Em um esforço para impedir o leopardo de se mover e ajudar a acelerar recuperação após cirurgia, nós estamos tentando nosso melhor para mantê-lo sedado. Meu único desejo é que Timo, quem ainda não deixou o lado do leopardo, apenas faria uma pausa. Com isso em mente, eu tinha escolhido passar a noite no laboratório.
(E ainda, na manhã seguinte, ele ainda me forçou a sair.)
Julia: Eu estou finalmente em casa...
(Se apenas Timo não estivesse no laboratório. Talvez então eu me sentiria mais aliviada agora. Minha intenção era ficar com ele o máximo que pudesse.)
Timo: É de manhã. Vá para casa.
Julia: O quê? Você não está vindo também? Se não, então eu vou—
Timo: Eu vou, mas primeiro eu tenho que terminar essa entrada de diário. Vá na frente sem mim, e descanse um pouco.
Julia: Mas—
Timo: Pare de discutir.
Julia: Não havia razão para me expulsar assim... Caramba...
(Pelo menos parece que ele estará voltando a Lilac Court hoje.)
O homem não vai parar até ele ter feito tudo em seu poder. Sua paixão é incrível, embora bem possivelmente um pouco preocupante.
(Ele vai se desgastar ao chão se não fazer uma pausa do cuidado daquele leopardo. Idealmente, a equipe inteira deveria unir um cronograma de rotação e fazer isso juntos.)
É óbvio que Timo não se dá bem com o resto dos pesquisadores. Isso me leva a acreditar que é por isso que ele está tentando fazer tudo ele mesmo.
(Os outros devem amar animais também, ou pelo menos ter um interesse neles. Por que mais eles se tornariam pesquisadores? Se há uma razão que Timo está tão cuidadoso sobre reabilitação, eles não podem ver através de sua obstinação e a reconhecer?)
Contemplar o problema não me dá nenhuma resposta imediata. Não que eu esperava que fosse. Eu finalmente balanço minha cabeça em frustração.
Julia: O que está errado comigo? Eu não consigo tirar Timo de minha mente.
No momento que eu percebo o que estou fazendo, eu fico incrivelmente envergonhada.
Julia: Bom dia, Josh.
Eu coloco minha cabeça no café antes de voltar ao meu quarto e digo olá para Josh depois de sentar no sofá.
Joshua: Bom dia, Julia. Não me diga que você está apenas agora chegando em casa?
Julia: É. Eu estava no laboratório a noite toda ontem à noite.
Joshua: Isso não é muito saudável. Você deve descansar um pouco. Você precisa de algo para comer primeiro?
Julia: Talvez algo leve. Eu estou esperando ir dormir em breve—
Eu estou na metade de meu pedido quando uma ideia vem a mim.
Julia: Você sabe o quê, Josh? Eu posso pedir a você para fazer algo para Timo, também?
Joshua: Ele estará voltando para casa?
Julia: Sim... pelo menos, é o que ele me disse.
Eu faço uma careta.
Julia: Só, ele tem estado trabalhando tão duro ultimamente que eu tenho a sensação de que ele irá direto para cama sem comer nada. Eu sei que estou cansada, e eu apenas estava com ele por uma noite. Depois de vários dias quase sem dormir, eu suspeito que comida será a última coisa em sua mente. Entretanto, se eu pedir algo a ele antes do tempo, talvez então ele irá realmente comer.
Joshua: Essa é uma boa ideia.
Josh felizmente assente em concordância.
Joshua: Eu suspeito que sua consideração sozinha irá percorrer um longo caminho para mantê-lo sustentado.
Julia: Agora você apenas está sendo bobo.
Envergonhada pelo comentário de Josh, eu rapidamente envolvo meus braços ao redor de uma almofada, esperando esconder o tímido sorriso em meu rosto. Eu então me inclino contra o sofá. É tão agradável sentar lá, apertando a almofada, que eu gradualmente começo a cochilar.
Enquanto isso, uma hora depois da chegada de Julia, Timo finalmente volta para casa em Lilac Court.
Joshua: Bem vindo para casa, Timo. Eu estive esperando por você.
Timo: Você esteve?
Quando o gerente de Lilac Court aparece para cumprimentá-lo, Timo retorna sua saudação com uma expressão confusa.
Timo: Infelizmente, eu não vou ficar muito tempo. Eu apenas voltei para tomar um banho.
Joshua: É isso mesmo? Eu ouvi que você trabalhou a noite inteira ontem à noite. Não me diga que você voltará novamente?
Timo: Essa é a minha intenção. Você tem um problema com isso?
Joshua: Nesse caso, pelo menos pare no café antes de ir, e deixe-me lhe fazer uma xícara de café.
Timo: Eu sinto muito, mas eu não tenho tempo.
Joshua: Eu entendo que você é muito ocupado.
Não importa quão rudemente Timo responde, Josh continua a sorrir. Timo finalmente solta um suspiro e assente depois de perceber que continuar a recusar soaria infantil. É impossível dizer com certeza, mas dado seu aparente desconforto... ...ele parece desacostumado em receber a preocupação de outras pessoas.
Joshua: Eu vou prepará-lo forte, ao estilo europeu, para ajudar você a ficar acordado, e colocar em uma garrafa térmica para que você possa levá-lo ao trabalho.
Antes de retornar ao laboratório, Timo coloca sua cabeça dentro do café como pedido. Josh está lá para cumprimentá-lo com um sorriso.
Timo: Obrigado.
A bondade de Josh o ganha um quieto aceno de Timo. É aparente que Josh nunca esperou que Timo concordaria em ficar no café tempo suficiente para beber uma xícara.
Joshua: Eu também tenho alguns sanduíches preparados... Eles estão embrulhados e prontos para ir. Eu confio que você encontrará tempo para comê-los.
Timo: Sanduíches?
Joshua: Julia me pediu para fazer extras para você.
Timo: Ela pediu? Por quê?
Joshua: Porque ela está preocupada com você. Ela temeu que você não tomaria tempo para comer nada quando chegasse em casa... ...então ela me pediu para preparar algo antes do tempo.
Josh olha calorosamente na direção do sofá e Timo segue seu olhar. Julia está afundada nas almofadas do sofá, profundamente adormecida.
Joshua: Ela devia estar bem cansada. Ela caiu no sono enquanto eu ainda estava preparando sanduíches para ela. Ela é uma garota tão gentil.
Timo: ...
Joshua: De qualquer modo, aqui está sua garrafa térmica de café, e eu espero que você levará os sanduíches com você também.
Timo: Aham. Obrigado. ...Eu estarei de volta para eles num segundo.
Joshua: Algo está errado?
Timo: Eu vou carregá-la para o quarto dela primeiro.
Tendo dito isso, Timo levanta Julia em seus braços. Ela permanece profundamente adormecida.
Timo: Bom deus. Ela pode ser problemática, mesmo para um novo contratado. Eu disse a ela mais cedo para não se preocupar comigo.
Josh nota que Timo está sorrindo. Várias horas mais tarde...
Julia: Mmm.
Eu me viro e lentamente abro meus olhos, entretanto, eu demoro um momento para descobrir onde estou.
(Huh? O teto parece familiar. ...Eu estou no meu quarto. Isso é estranho. Eu não me lembro de voltar aqui. A última coisa de que me lembro é pedir a Josh para me fazer alguns sanduíches.)
Meu estômago repentinamente ronca fazendo-me corar. Aparentemente, eu nunca tive uma chance de comê-los.
(Não me diga que eu caí no sono no café e Josh me carregou de volta para cá?)
Eu apressadamente saio da cama. Se verdade, é pedir muito dele. Eu imediatamente vou para o café para dizer obrigada.
(Eu espero que Josh esteja aqui.)
Eu quietamente coloco minha cabeça na porta.
Joshua: Oh, olá Julia. Você dormiu bem?
Eu cubro minha boca em embaraço quando Josh sorri para mim.
Julia: Aham. Eu pedi a você para me fazer algo para comer, então caí no sono em você, não foi. Eu sinto muito. E, muito obrigada por me carregar de volta ao meu quarto.
Joshua: Esse não fui eu.
Julia: Não foi?
Joshua: Esse foi Timo. Ele decidiu carregar você de volta quando lhe viu dormindo no sofá.
Julia: Sério? Eu terei que agradecê-lo também.
Eu percebo que estou começando a corar e suspeito que não é simplesmente devido ao embaraço.
Joshua: No caso de você estar se perguntando, Timo está de volta ao trabalho. Ele mal esteve aqui tempo suficiente para tomar um banho.
Julia: Ele voltou, huh.
(Não é surpreendente. Eu quero dizer, eu sei como ele se sente, mas eu apenas queria que ele deixasse os outros ajudarem para que ele possa descansar.)
Joshua: Ele levou alguns sanduíches com ele, no entanto. Sua consideração foi bem recebida.
Julia: Ele levou? Isso é ótimo.
Josh sorri para mim, mas por alguma razão eu não consigo olhá-lo no rosto.
(Por que eu me sinto tão constrangida de repente?)
Julia: Josh, você pode não saber disso, mas agora Timo está fazendo uma carga de trabalho de uma equipe inteira toda por si mesmo.
Quando eu hesitantemente começo a explicar a Josh, eu percebo que estou procurando por algum tipo de consolação.
Joshua: Certamente parece desse modo.
Julia: Eu estou preocupada com ele. E eu suspeito que devo ir ver como ele está indo. Eu apenas espero que ele não ficará chateado.
Joshua: Por que não? Eu tenho certeza que ele irá apreciar sua preocupação. Além disso, deve dar a ele algum encorajamento.
Julia: Você acha?
Joshua: Independentemente de quão indiferente ele age, ter seu apoio e compreensão é certamente encorajador para ele. Mesmo se apenas subconscientemente.
Julia: Minha compreensão, huh. Eu gosto do som disso.
Eu pondero o comentário de Josh por um momento. Ele parece saber exatamente o que eu quero ouvir.
(Quando eu penso nisso, eu suponho que quero entender Timo melhor.)
Ele pode ser desajeitado, mas ele pode ser muito gentil. Eu quero ajudar a suavizar todas as dificuldades que ele está tendo. Para não mencionar que eu quero que todos os outros vejam que ótima pessoa ele é. Essa é a primeira vez que eu me sinto desse jeito sobre alguém. Para um lugar que é dedicado a estudos animais, o laboratório pode ser terrivelmente quieto à noite. Eu me apresso pelo silêncio na direção ao nosso espaço de laboratório. Eu chego lá para encontrar o lugar vazio, com a exceção de uma pessoa sentando em sua mesa.
Julia: Timo.
Timo: Darwin? O que você está fazendo aqui?
Julia: Eu ouvi que você voltou a Lilac Court, mas nem mesmo ficou tempo suficiente para descansar. Você já estava exausto. Tem certeza que não está se forçando demais? Eu estou preocupada.
Timo: Você é quem está se forçando demais. Você não caiu no sono no sofá?
Julia: Sim, isso é o quão cansada eu estava depois de ter ficado acordada por uma noite. Eu tenho certeza que você está muito mais exausto que eu.
Quando eu expresso minha gratidão, Timo abruptamente desvia o olhar.
Timo: Você não precisa me agradecer por isso.
Eu ouço o que soa como um fraco suspiro.
Timo: Escute, pare de se preocupar com meu comportamento e deixe-me fazer meu trabalho como eu escolho.
Não apenas Timo está me avisando para manter minha distância, ele está me afastando. Eu respondo...
-Eu estou incomodando você?
-Eu apenas quero ajudar você. (+Timo)
(Talvez ele sente que eu estou o incomodando? Ainda...)
Eu pauso por um momento, então bravamente dou um passo na direção de Timo.
Julia: Eu apenas quero ajudar você.
Timo me encara de volta em surpresa.
Julia: Minha carreira pode ser uma gota em um balde comparada à sua, mas deve haver algo que eu possa te dar uma mão. Você vai pelo menos me deixar tentar?
Timo: Darwin, você é verdadeiramente – ...Ah, deixe pra lá.
Eu ouço um fraco sinal de surpresa em sua voz e me pergunto se eu de algum modo o peguei de guarda baixa. Timo quietamente me encara. Seu silêncio fala volumes. Eu espero pacientemente e eventualmente ele continua.
Timo: Darwin, eu estou fazendo uma pausa. Você vai se sentar?
Julia: Claro.
Eu aceito Timo por sua oferta e sento, empolgada pela possibilidade que ele parece interessado em conversar.
Timo: Em deferência à sua curiosidade, eu vou te dizer um pouco sobre meu antigo local de trabalho. O que você faz com esse conhecimento é seu problema.
Julia: Isso parece ótimo. Eu amaria ouvir sobre seu passado.
Eu firmemente assinto. Com alguma hesitação, Timo começa a falar.
Timo: Onde eu costumava trabalhar, nós tivemos um incidente similar com um animal tendo seu osso quebrado. Foi-me dito para começar reabilitação o mais cedo possível. Eu segui instruções, mas foi fútil. Durante a reabilitação, o ferimento ficou pior. A dor eventualmente deixou o animal em choque.
Julia: Isso é terrível...
Timo: Eu protestei, mas o resto da equipe não ouviria. Eles insistiram que eu precisava ser mais flexível. Se eu tivesse apenas segurado meu chão e os forçado a adiar a reabilitação, aquele animal não teria tido que sofrer. É por isso que eu não tenho intenção de recuar dessa vez. Aquele leopardo não deve começar a reabilitação até ter tido tempo de se recuperar.
Julia: Por que você não explica isso aos outros? Desse modo eles irão entender o que você está fazendo.
Timo: Minhas palavras não carregam peso o suficiente. Eles não me ouviram antes, e eu tenho certeza que não irão agora, também.
Timo sombriamente abaixa seu olhar.
Timo: Eu já expressei que o que eu sinto é a ação certa. É óbvio que ninguém mais está ouvindo.
Depois de todo esse tempo, eu finalmente percebo.
(Timo pode parecer indiferente, mas ele é na verdade bem consciente de como seus colegas de trabalho o veem. Na verdade, ele pode sentir que sua inabilidade de relacionar com os outros ameaça sua habilidade de salvar animais. Isso explicaria por que ele impede a entrada deles, criando esses desentendimentos e se isolando no processo. E agora, ele está caindo em um círculo vicioso.)
Julia: Timo, obrigada por me dizer tudo isso, mas eu realmente acho que a equipe inteira precisa ouvir isso. Eu tenho certeza que eles provavelmente não serão todos facilmente convencidos, mas... ...você já conseguiu me convencer.
Timo: Eu disse isso a você porque é óbvio para mim o quão apaixonada você é sobre animais, o que eu respeito. Entretanto, eu não sinto o mesmo nível de entusiasmo dos outros pesquisadores.
Julia: Timo, pare e pense nisso. Há um limite para quanto uma pessoa consegue fazer. É por isso que nós trabalhamos como uma equipe.
Eu estou desesperada para quebrar o círculo vicioso no qual Timo está, e tento meu melhor para persuadi-lo.
Julia: Por favor, Timo, converse com os outros pesquisadores. Você realmente precisa compartilhar com eles o que está em sua mente. Você diz que não espera que os outros entendam você, e ainda, eu gostaria de pensar que eu entendo, depois de ouvir sua história. Não há nada para se ter medo.
Timo quietamente me encara por vários segundos antes de finalmente responder.
Timo: Você certamente é atrevida para alguém que é minha júnior.
Ele pontua seu quieto comentário com um delicado cutucão em minha testa. O gesto me pega completamente de surpresa. Eu nunca teria imaginado ele fazendo tal coisa. Seu desajeitadamente íntimo contato me deixa com uma sensação de calor que eu nunca senti dele antes.
Timo: Então, alguém me entende, huh.
Timo sorri. É um sorriso brilhante e alegre, sem sombra de dúvida. No dia seguinte... Quando eu chego ao laboratório, Timo já está lá. A coisa estranha é, ele está conversando com um de seus colegas de trabalho.
Timo: ...é por isso que tem que ser dia e noite se nós queremos começar a reabilitação do leopardo mais cedo ou mais tarde. Por favor, ouça-me. Nós precisamos da sua ajuda. Darwin e eu estamos ambos em nossos limites.
No momento em que eu percebo o que eles estão discutindo, meu coração pula de alegria.
(Timo levou o que eu disse ao coração, não foi. Eu estou tão feliz.)
Depois de todo esse tempo gerenciando tudo por si mesmo, ele finalmente está discutindo coisas com seus colegas de trabalho. É seu primeiro passo na direção de compartilhar sua carga de trabalho com o resto da equipe.
Pesquisador 3: Então, forçar a reabilitação pode torná-lo pior. Isso faz perfeito sentido. Eu vejo a razão para sua preocupação.
Timo: Sim. E a decisão da gerência para separar a equipe se nós não começarmos imediatamente é pobre.
Pesquisador 3: Eu definitivamente concordo com você nisso.
Timo sorri quando ele ouve isso.
(Isso não é ótimo, Timo? Eu tenho certeza que seus apoiadores vão apenas continuar a crescer em número. Nós todos escolhemos ser pesquisadores animais, então nós devemos pensar parecido em algum nível, mesmo se não concordamos em tudo.)
Quando Timo continuar a falar, eu alegremente me junto ao anel de colegas de trabalho que estão se reunindo para ouvir seu entusiasmo.
Julia: Indo bem, Timo!
Timo finalmente faz uma pausa de falar e eu me aproximo e sussurro em sua orelha. Quando eu o faço, ele abruptamente vira sua cabeça como se pego de surpresa.
(Sem chance! Ele está corando!)
Timo: Ah... obrigado.
Ele então hesitantemente assente – um incomum gesto para ele.
Timo: Para ser honesto, eu estou bem surpreso pelos resultados.
Julia: Eu estou tão feliz que você conseguiu convencer alguns dos outros.
Timo: Eu tenho que agradecer a você por isso, Darwin...
Ele quietamente sussurra de volta.
Timo: ... caso contrário, eu nunca teria dado esse primeiro passo.
Julia: Eu acho que é porque todos eles reconhecem você por suas habilidades como um pesquisador. Então, quando você colocou sua confiança neles, eles foram rápidos em retribuir. Todos os humanos têm uma tendência a reagir similarmente, você não acha?
Se você empurrar as pessoas, elas farão o mesmo. Mas uma vez que você abre seu coração apenas um pouco... ...isso é tudo que é preciso para derreter o gelo novamente.
(Esperançosamente agora as coisas vão começar a ir bem.)
Repentinamente, minha perspectiva é brilhante e alegre. A aproximação conservada de Timo baseada em sua experiência é adotada e nós esperamos pelo osso do leopardo se curar completamente antes de começarmos a reabilitação. Vários dias depois... Eu estou na área dos leopardos quando eu aconteço de ver um milagre.
Julia: Incrível! Ele está de pé sozinho!
Aguardar nosso tempo antes de começar a reabilitação parece ter sido a escolha certa.
Pesquisador 2: É. Nós estamos vendo resultados quase imediatos. Isso é fantástico!
Julia: Sem brincadeira.
No momento que eu vejo o leopardo começar a andar, eu começo a lacrimejar. Eu estou secando meus olhos quando meu telefone toca. O nome visível no visor me dá uma surpresa.
(Timo está me ligando?!)
Julia: Olá? Timo?
Eu animadamente atendo.
Timo: Darwin? Onde você está?
Julia: Na área dos leopardos. Eu acabei de presenciar um milagre. A recuperação dele está indo fantasticamente!
Timo: Ah, você o viu andando, huh? Eu notei isso primeiro ontem à noite, logo depois de você ter voltado para casa. Parece que tudo está indo incrivelmente bem desde nossa conversa. Eu quero agradecer você por isso.
Julia: Você não tem que fazer isso.
Timo: Eu posso te levar para jantar amanhã?
Sua oferta é atraente demais para recusar.
(Timo está me convidando para jantar? Eu nunca imaginei que esse dia viria!)
Julia: Obrigada. Eu amaria isso.
Eu imediatamente aceito. No dia seguinte, eu não posso esconder minha animação quando me apresso de volta ao meu quarto após um dia cedo de trabalho.
(Jantar com Timo. Isso deve ser divertido!)
Julia: O que eu devo vestir?
Quando eu abro meu closet, eu me lembro do outro dia, quando Timo pegou minha roupa para mim.
Julia: O que Timo escolheria?
(Como eu recordo, ele olhou para este aqui por um momento antes de colocar de volta.)
Julia: Hmm, talvez seja melhor eu perguntar a Joy.
Eu vou para o quarto de Joy com a roupa em questão.
Julia: ...então, você vê? Eu preciso de sua ajuda. Você acha que meus ombros estão muito expostos nesse?
Joy: Talvez um pouco. Mas ele cobre seus pés, o que é bom.
Joy cava por sua enorme seleção de roupas e segura duas peças para mim.
Joy: Eu acho que essa cor ficaria boa em você, mas pegue qualquer um que você goste mais.
Julia: Obrigada, Joy!
(Eles disseram que Timo está na sala de cochilo, mas eu não vejo ninguém aqui.)
Eu olho por todo o quarto.
(Espere, o que é isso?)
Eu vejo uma nota colocada na mesa de cabeceira e a pego para descobrir que é de Timo.
(Ele quer que eu espere? Eu me pergunto se algo apareceu que ele teve que cuidar?)
Eu sento na borda da cama. Eu estou tão ansiosa por nosso jantar juntos que descobri-lo ido me deixa sentindo um pouco desapontada.
(Ainda, isso me dá uma chance para aproveitar minha antecipação.)
Eu me acalmo para esperar o retorno de Timo.
Timo: Está tarde.
Depois de entregar as coisas para o pessoal da noite, eu volto para encontrar Darwin adormecida com sua cabeça em seus braços na mesa.
Timo: Darwin.
(Ela deve estar exausta depois de passar todo seu tempo na reabilitação do leopardo.)
Eu olho de perto sua face adormecida. Ela pode ser uma excelente pesquisadora, mas ela parece como qualquer outra garota inocente em seu sono.
Timo: Nós podemos jantar outro dia.
Eu não consigo acordá-la quando considero que ela estava cansada o suficiente para cochilar enquanto esperava por mim. Ao invés, eu espalho meu casaco de laboratório sobre ela como um cobertor.
Timo: Eu não quero que você pegue um resfriado.
Entretanto, esse não é o fim de meus motivos. Eu sorrio para mim mesmo.
Timo: (Ela ficaria chateada se eu a tocasse?)
Quietamente, eu sento ao lado dela e alcanço com minha mão. Seus longos cílios tremem, e eu percebo que eu quero um olhar mais próximo a eles. Eu lentamente me inclino na direção dela.
Julia: Mmm... Timo.
Timo: Darwin? ...Huh, ela ainda está dormindo?
Assustado pelo som da voz dela, eu imediatamente me afasto. Meu coração está acelerado da surpresa. Depois de um momento, eu me inclino para mais perto para olhá-la novamente, e noto o que parece como um fraco sorriso espalhado por seus lábios. Cativado por aquele encantador sorriso, eu...
Timo: Julia.
No momento antes de nossos lábios tocarem, eu sussurro o primeiro nome dela, e percebo o quão estranho soa para mim.
Timo: (Os lábios dela são tão macios – Ack! O que eu acabei de fazer?!)
Eu estou abruptamente chocado comigo mesmo.
Timo: (Eu acabei de roubar um beijo de Darwin!)
Meu primeiro convite para jantar de Timo termina cedo quando nós dois caímos no sono na sala de cochilo.
(Fale sobre constrangimento. Nós devemos ter nos aconchegado um ao outro enquanto estávamos dormindo.)
Depois de pularmos da cama, nós dois desajeitadamente fazemos nosso caminho de volta ao trabalho. Nós recebemos notícias que o médico assistente do leopardo, Paul, tinha acabado de retornar de uma curta viagem.
(Eu mal posso esperar para compartilhar as boas novas com Paul que o leopardo está ficando de pé sozinho. Nenhuma dúvida que ele ficará extático.)
Certo o suficiente, Paul começa a sorrir largamente quando Timo explica como a reabilitação está progredindo.
Paul: Isso é fantástico! Junto com a própria vitalidade do leopardo, eu diria que nós temos a colaboração da equipe de cuidado...
Ele aperta ambas de nossas mãos.
Paul: ...e o entusiasmo com o qual vocês dois os apoiaram para agradecer por isso!
Para o qual eu adiciono...
-Timo finalmente conseguiu persuadir os outros.
-Foi definitivamente um esforço de equipe. (+Timo)
Eu orgulhosamente anuncio para Paul.
Julia: Foi definitivamente um esforço de equipe.
Timo: Darwin está certa. A confiança é um recurso inestimável.
Timo sinceramente adiciona com um grande sorriso.
Paul: Timo, você estava certo. Sua cautela sobre começar sua reabilitação tornou-se uma grande soma. Obrigado novamente. Embora as pessoas tenham me parabenizado em minha cirurgia... ...teria sido insignificante se sua reabilitação tivesse falhado.
Timo: Não. Se sua cirurgia tivesse falhado, isso teria sido o fim.
Paul e Timo firmemente apertam as mãos enquanto elogiam um ao outro.
Paul: Oh, a propósito, Julia...
Eu estou saindo da sala de exame após nosso anúncio quando Paul repentinamente grita para mim. Timo, quem está andando ao meu lado, também para.
Paul: ...você poderia me poupar alguns minutos?
Paul lança um olhar na direção de Timo quando pergunta.
Julia: Agora?
Paul: Sim, agora.
Ele eloquentemente sorri e anda em minha direção. Aquele sorriso é imediatamente acompanhado por uma afirmação bem sugestiva...
Esse é o fim do capítulo 6. Até a próxima! :)

Comentários

Mais Lidas ♥