[SWD] Love Tangle: Timo (capítulo 8)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Love Tangle. Espero que gostem! :)

Timo (História Principal) – Capítulo 8
Vários dias se passaram desde que ficou muito aparente que um abismo se abriu entre Timo e eu. Mais uma vez, eu esbarro com Timo no corredor.
(Timo...)
Meu coração começa a doer. Mesmo no trabalho, nosso tempo passado juntos tem encolhido significantemente.
(Antes, ele iria imediatamente vir para mim cada vez que tinha algo para discutir. E ele iria muitas vezes me pedir para se juntar a ele quando ia para a área dos leopardos. Entretanto, passados muitos dias, ele parou de falar comigo quase completamente. É ótimo que ele está se dando bem com seus outros colegas de trabalho agora. ...Exceto que agora eu me sinto solitária.)
Eu o chamo, tentando meu melhor para parecer e soar o mais casual possível.
Julia: Boa noite, Timo. Você está indo pro trabalho essa noite, não é? Eu pensei que talvez eu pudesse checar o gatinho para você.
Timo: Está tudo bem. Ele é grande o suficiente para se entreter agora. Eu vou apenas deixar um pouco de comida para ele antes de ir.
Julia: Oh.
Eu começo a baixar meu olhar, mas me impeço. Se eu desistir agora, nada vai mudar.
Julia: Um... Eu não vi muito de você ultimamente. Eu sinto falta de vir para brincar com o gatinho... ...e sentar juntos para discutir artigos de pesquisa.
Toma toda minha coragem para dizer a ele. Timo, entretanto, quietamente balança sua cabeça.
Timo: Infelizmente, eu não posso lhe poupar o tempo.
Julia: Você está tentando evitar falar comigo?
Timo: Não. De jeito nenhum. Eu não sei o que te deu essa ideia. Você tem outros amigos além de mim, não tem?
Após isso, ele se sai apressado sem esperar por uma resposta.
(Certamente, ele me recusou novamente.)
O som de meu suspiro enche o corredor vazio. Eu não consigo decidir se é com Timo que estou decepcionada, ou eu mesma, por ser fraca demais para tomar esse próximo passo.
(Eu me senti convencida de que algo estava o incomodando e ele apenas não queria falar sobre isso. Mas parece que eu estava errada. Ele está me evitando, não é.)
Se eu voltar ao meu quarto, eu sei que irei apenas ficar mais deprimida, então decido ir para o café. Quando eu marcho pela entrada do café, eu noto que Paul está lá.
Paul: Ei, Julia.
Paul me cumprimenta com um sorriso amigável. Ele permanece positivo para comigo apesar de eu não ter respondido sua proposta.
(Eu tenho certeza que ele deve perceber agora que eu não quero me casar com ele.)
A questão é, é sua gentileza que o impede de me forçar, ou alguma sensibilidade que vem com ser um adulto?
Julia: Boa noite, Paul. É mesmo, você tem o dia de folga hoje, não é.
Paul: Sim. Embora eu esteja indo para o trabalho depois disso.
Ele faz uma careta.
Paul: Desde a operação do leopardo há tanto para fazer. Agora parece que eu não serei capaz de desacelerar... ...e eu na realidade acho mais relaxante no laboratório.
Julia: É isso mesmo? Bem, apenas não trabalhe demais, ok?
Paul: Você também, Julia. Obrigado.
Ele fracamente sorri.
Paul: Quer um pouco de café? Josh não está por perto, mas se você quiser, eu te farei uma xícara.
Julia: Não, eu estou bem. Obrigada. Eu achei que talvez faria uma pausa e assistiria um pouco de TV.
Eu balanço minha cabeça e sorrio de volta.
(O que deu em mim? Eu não quero sentar sozinha em meu quarto, mas não estou com vontade de conversar com ninguém também.)
Eu sento no sofá com minhas costas viradas para a bancada, onde Paul está sentando, e ligo a televisão.
Paul: A propósito, Julia, você ouviu os rumores? Parece que Timo teve uma oferta de emprego.
O comentário de Paul, junto com seu tom sugestivo, me assusta. Eu abruptamente viro para encará-lo, incapaz de esconder minha surpresa.
Julia: Uma oferta de emprego?! De onde?
Paul: Instituto de Pesquisa N. Aparentemente, ele está ganhando muita atenção da reabilitação do leopardo.
(Uma oferta de emprego do Instituto de Pesquisa N?)
Paul: Eu não sei de todos os detalhes, mas parece que ele tinha uma reputação por não ser um jogador de time no passado... ...e o modo como ele juntou essa atual equipe é um grande ponto em seu favor.
Julia: Agora que você menciona, Timo teve um visitante no outro dia.
Paul: É, eu ouvi sobre isso. O professor? Ele é mundialmente famoso. A sorte de Timo deve realmente estar virando.
Julia: Sorte, huh.
Eu ecoo de volta sem pensar.
Julia: É definitivamente uma grande chance para ele. Com as conquistas de Timo, muitas de maiores instalações de pesquisa devem estar dispostas a contratá-lo.
Embora eu concorde com Paul, eu não posso evitar me sentir um pouco incomodada.
(Ir trabalhar para o Instituto de Pesquisa N significará que Timo terá que sair de Kaleido – ele terá que ir para longe de mim.)
Paul: Eu diria que sim. Ele certamente merece muito mais respeito como um pesquisador do que está tendo. Seu julgamento na reabilitação do leopardo foi verdadeiramente incrível. Nós teremos que fazer uma festa para ele no laboratório uma vez que seu novo emprego for oficial.
Julia: É, você está certo.
Eu me sinto como se estivesse num transe, mas consigo dar um aceno à sugestão de Paul.
Paul: Diabos, nós podíamos até mesmo alugar Carlo’s pra isso. Como isso soa?
Paul começa a expressar várias ideias para a festa de Timo. Entretanto, nada do que ele diz passa por minhas orelhas.
Julia: Então, parece que você e eu estamos perseguindo o mesmo sonho.
Timo: De fato. Entretanto, enquanto isso, é importante nós protegermos esses leopardos.
Timo e eu conversamos sobre tantas coisas juntos. Eu começo a lacrimejar apenas pensando em todas elas.
(Eu deveria estar feliz por Timo. Esse é o grande avanço pelo qual ele esteve esperando. Exceto, meu coração está doendo e eu não tenho certeza do por que. Eu estou chateada que nós compartilhamos o mesmo sonho, mas ele está ficando à frente de mim? Não, não é isso. Eu estou triste de que ele está me deixando para trás. Por que eu simplesmente não posso me sentir feliz por ele como eu deveria?)
Paul: Julia? Algo está errado?
De repente, eu percebo que Paul colocou sua mão em meu ombro. Eu olho para cima e nossos olhos se encontram.
Julia: Desculpe, não é nada.
Eu sorrio de volta, esperando aliviar sua preocupação.
Paul: Se algo está incomodando você, diga-me.
Julia: Não, eu estou bem. Sério.
Sem chance que eu posso dizer ao homem que me propôs que estou me sentindo triste sobre a partida de outro homem.
Julia: Perdoe-me, Paul.
Eu lamentosamente abaixo minha cabeça.
(Se apenas eu tivesse me apaixonado por você. Quem sabe o quão muito melhor as coisas teriam se tornado.)
Paul é meu melhor amigo. Entretanto, meus sentimentos por ele não incluem amor.
Paul: Olhe, eu estou tentando meu melhor para ser compreensivo. Por favor, não reaja assim. Esse negócio com Timo está incomodando você, certo?
Julia: !
Paul: Eu notei, sabe. Por um tempo lá, pareceu que vocês dois estavam sempre juntos, mas ultimamente isso mudou.
Julia: Você também tem a impressão de que ele está me evitando?
Eu tento esconder meus sentimentos por Timo fingindo preocupação por um colega de trabalho ao invés.
Paul: Eu tenho certeza de que ele tem muito em sua mente – com a oferta de emprego e tal.
Julia: Você realmente pensa que é por isso que ele está se comportando tão diferente ultimamente?
Paul: Timo não é a pessoa mais socialmente adepta no mundo. Eu posso vê-lo se perdendo em seus pensamentos. Ele também pode estar se sentindo mal sobre abandonar sua posição no centro da equipe de reabilitação.
Julia: Eu suponho que sim.
Paul: Julia, isso é problema dele, e escolha dele para fazer.
Paul envolve um braço reconfortante ao redor de meu ombro.
Paul: Apenas dê a ele tempo para fazer uma decisão. Se ele escolher sair de Kaleido... ...será um grande avanço para ele. E, como um pesquisador, uma única chance na vida em prestígio.
Julia: Você está certo, Paul.
Entretanto, admitir isso apenas faz meu coração doer ainda mais.
(Não há nenhuma maneira que eu poderia considerar pedir a ele para ficar... ...e ainda, eu estou sofrendo agora porque não consigo abandonar a esperança de que ele ficará.)
De repente, eu olho para cima. Tenho certeza que ouço passos, e eles soam familiares.
Julia: Timo.
Então eu noto que ele está na entrada para o café. Paul ainda tem seu braço ao meu redor, e Timo apenas fica parado lá, franzindo as sobrancelhas a nós dois.
Timo: Desculpe se eu interrompi vocês.
Ele se vira para ir, deixando-me sem tempo para pensar.
-Espere, você está enganado!
-Não vá! (+Timo)
Eu imediatamente grito.
Julia: Não vá!
Então isso me ocorre. Agora que chamei a atenção de Timo, eu não sei o que dizer a ele. Timo me dá uma expressão aturdida.
Julia: Desculpe se eu assustei você.
(Isso é exatamente como eu me sinto, no entanto. Eu não quero que Timo me deixe. Parece que esse sentimento era apenas demais para eu segurar.)
Timo: A menos que você tenha algo a dizer, eu estou indo para meu quarto.
Julia: Oh, um... fique se quiser. Não se preocupe conosco.
(Isso não é o que eu quero dizer a ele.)
Eu quietamente mordo meu lábio. Paul coloca uma mão reconfortante em meu ombro depois de presenciar o embaraço entre Timo e eu.
Paul: Eu tenho que ir também. Eu tenho trabalho para terminar.
Julia: Claro. Você tem trabalho a fazer também, não é Timo. Vejo vocês dois mais tarde.
Paul: Aham. Até mais tarde.
Por razões desconhecidas para mim, Paul então anda até Timo, joga um braço amigável sobre seus ombros, e sussurra algo em sua orelha. Timo então joga um olhar vagamente perturbado em minha direção. Entretanto, ele não diz nada. Ele, entretanto, imediatamente para de andar. Enquanto que Paul continua até sair do café. O silêncio parece continuar para sempre. Timo e eu permanecemos completamente imóveis, encarando um ao outro. Eventualmente, Timo quebra o impasse.
Timo: Está tudo bem se nós subirmos? Eu gostaria de falar com você sozinho.
Julia: Está bem.
Eu assinto, então junto a coragem para levantar. Diferente do primeiro andar, o segundo andar do café é normalmente vazio, fazendo dele um lugar perfeito para uma conversa quieta.
Timo: Depois de tudo que aconteceu entre nós, eu acho que você deve saber. Eu recebi uma oferta do Instituto de Pesquisa N.
Eu passo um momento quietamente contemplando sua sincera admissão. Por alguma razão, Timo não mais parece incomodado. Talvez foi algo que Paul disse a ele.
(Parece que ele fez sua decisão.)
Tudo o que eu posso fazer é sorrir de volta a ele.
Julia: Isso é maravilhoso, Timo. Parabéns.
Timo: Obrigado.
Timo assente, então pausa para me encarar.
-Você não parece feliz.
-Eu realmente estou feliz por você. (+Timo)
Julia: Eu realmente estou feliz por você. Seus trabalhos duros valeram a pena.
Timo: ...É isso mesmo?
Julia: Definitivamente.
Nós encaramos um ao outro, a distância entre nós parece se tornar mais próxima a cada segundo.
Timo: Isso é estranho. Quando é você falando isso... não, deixe pra lá.
Julia: O quê, diga. Você está me deixando curiosa.
(Nós não podemos mais conversar assim em breve, afinal.)
Ele parece querer falar algo, quando uma expressão vagamente triste e solitária cai sobre ele como uma sombra. Timo então desvia seu olhar.
Julia: Timo—?
Eu começo a perguntar o que é, apenas para ser interrompida pelo som de Lucas pulando as escadas para se juntar a nós.
Lucas: Au!
Ele corre direto para Timo, e imediatamente começa a puxar a roupa de Timo com seus dentes.
Timo: O quê? Você quer que eu te siga?
Timo dá a Lucas uma expressão confusa, mas segue seu pedido. Eu tenho a impressão de que ele está um pouco aliviado de ter nossa conversa interrompida.
(Lucas nos salvou de uma situação bem desagradável, não foi.)
Eu faço uma careta para mim mesma quando sigo atrás deles. Timo e eu chegamos ao jardim interno para encontrar um visitante incomumente pequeno esperando por nós.
Julia: Um gato?
Eu encaro em surpresa. O gato parece ser a razão pela qual Lucas veio buscar Timo.
Timo: Ela tem uma semelhança impressionante com o gatinho.
Timo murmura para si mesmo, então abruptamente se vira e entra em Lilac Court novamente. Pouco tempo depois ele retorna, carregando o gatinho em seus braços.
Gatinho: Miauuu, miau, miau...
O gatinho imediatamente começa a gritar alto. No momento que eu ouço seus choros, ocorre-me.
Julia: A mãe do gatinho veio por ele, não foi.
Mãe do Gatinho: Miau.
“Correto” a mãe parece responder, em uma voz igualmente alta. Timo abaixa o gatinho e eles dois correm um para o outro e começam a se aninharem. O gatinho então olha de volta para Timo, e com um último distinto “miau”, desaparece com sua mãe no crepúsculo. Pelo tempo que eu penso eu chamar o gatinho, é tarde demais.
Timo: Ele está de volta onde pertence.
Timo murmura uma vez que os dois gatos se foram.
(Timo está tentando me animar?)
Eu abruptamente coloco minhas mãos em minhas bochechas.
(É tão óbvio que eu estou me sentindo triste?)
Julia: Você não se sente solitário se vê-lo ir? Você cuidou dele por um bom tempo.
Timo: Não realmente. Eu estou acostumado em ficar sozinho. Tudo está de volta ao normal.
O tom vagamente desamparado na voz de Timo faz meu coração doer.
(Ele está de volta a ficar... sozinho, huh.)
Ele irá reagir igualmente seco quando deixar Kaleido para trás? Diferente de mim, quem está quase explodindo em lágrimas.
(Nós apenas nos conhecemos por um curto período de tempo, mas tivemos alguns ótimos momentos juntos. Mesmo se nós não nos apaixonamos, eu acho que nós nos aproximamos. Eu me pergunto se Timo irá preservar o tempo, e as memórias, tanto quanto eu?)
Eu ouvi todas as histórias sobre Timo no laboratório antes de minha chegada. Isolado, e trabalhando sozinho. Mas a reabilitação do leopardo ajudou a mudar tudo isso. Ele se conectou fortemente com seus colegas de trabalho e nós dois nos tornamos amigos. Eu sou a única que vê isso assim?
(Eu me pergunto, Timo simplesmente nunca mudou? Ou sua decisão para ir embora está permitindo-o retornar ao seu velho eu?)
Timo quietamente volta ao seu quarto, deixando-me parada lá com minha cabeça abaixada. Nós nunca terminamos nossa conversa. Eu chego de volta ao meu quarto para encontrar Joy esperando por mim.
Julia: Para que é isso tudo, Joy?
Eu a cumprimento, e seu fardo bem grande, com uma expressão confusa.
Joy: É roupa. Eu quero que você as veja.
Ela sorri e coloca a roupa no sofá.
Joy: Eu trouxe um monte de vestidos, incluindo algumas peças-únicas que devem ser ótimas para encontros e ocasiões especiais. Eles são originalmente de meu trabalho, mas eu preciso me livrar deles para ter espaço para os novos estilos saindo essa temporada. Minha preferência seria dar todos a você, se há algo que você goste.
Todas as peças que Joy trouxe são lindas. Sob circunstâncias normais, eu teria amado provar todas elas. Entretanto, hoje eu não estou bem no clima.
Julia: Obrigada, Joy.
Joy imediatamente parece notar minha falta de entusiasmo. Ela me olha nos olhos e me dá um tapinha reconfortante no ombro.
Joy: Julia, se algo está incomodando você, diga-me.
Julia: Aham.
Joy: É óbvio que você prefere conversar a provar roupas no momento.
Julia: É, obrigada.
Eu estou grata pela preocupação dela. Se eu falar com ela, isso ajudará a clarear a confusão em meu coração?
Julia: Joy, eu estou apaixonada por Timo.
Eu hesitantemente confesso. Joy parece surpresa, mas imediatamente começa a sorrir.
Joy: Você finalmente encontrou amor?! Isso é maravilhoso, Julia. Eu deveria ter adivinhado que uma viciada em trabalho como você seria atraída por outro viciado em trabalho.
Julia: Sim. Eu definitivamente respeito isso sobre Timo. Mas ele também é bem encantador, e gentil, apesar de ser um pouco desajeitado. Para não mencionar facilmente entendido errado... o qual eu quero ajudá-lo a superar.
Joy: Isso não parece ser uma tarefa fácil. Mas se está disposta a isso, você tem meu apoio.
Julia: Obrigada. Infelizmente, eu não acho que terei a chance. Parece que Timo não estará por perto por muito mais tempo.
Joy: Por que não? Ele mal terminou de se mudar para Lilac Court, você está dizendo que ele já está indo embora?
Julia: As pessoas estão reconhecendo suas habilidades, e ele recebeu uma oferta de emprego de uma instalação de pesquisa mundialmente renomada. É um fantástico avanço para ele. E eu deveria estar feliz... só que não estou.
Joy: Então não o deixe ir. Diga a ele como você se sente. Será um relacionamento à distância, mas vocês ainda podem ser um casal.
Ela adiciona com uma rápida piscadela para ênfase.
(Um relacionamento à distância, huh.)
Joy: Julia, eu acho que você precisar provar algumas roupas afinal. Você terá a coragem de dizer a ele se nós te arrumarmos.
Incapaz de esconder minha gratidão, eu dou a Joy um grande abraço.
Julia: Obrigada, Joy.
Eu não posso pedir por uma amiga mais encorajadora. Joy imediatamente me abraça de volta, compreendendo minha apreciação. No dia seguinte, eu me encontro na frente do espelho cuidadosamente checando minha aparência.
(Eu estou feliz que Joy me mostrou como fazer minha maquiagem para ir com essa roupa. Eu acho que estou pronta.)
Mais uma vez, eu estou grata pela compreensão de Joy quando saio para o corredor, pretendendo dizer a Timo que eu o amo.
Julia: Timo, eu sinto muito interromper você. Eu sei que você está ocupado, mas há algo que eu preciso dizer a você.
Timo: Ok?
Quando ele responde, eu tenho a impressão de que ele está um pouco tenso.
Julia: Você está indo para o laboratório depois disso?
Timo: Eu não planejo.
Julia: Bom.
Eu imediatamente me sinto aliviada.
Timo: Eu estou adivinhando que você tem planos para essa noite, no entanto.
Julia: Por que você diz isso?
Timo: Bem, um... Eu nunca vi você vestida assim antes.
Julia: Eu pareço estranha?
Eu timidamente levanto meus olhos para ele e pergunto.
(Eu usei maquiagem demais? Talvez a roupa seja um pouco demais?)
Eu espero nervosamente pela resposta de Timo. Um momento depois, ele balança sua cabeça.
Timo: Você está bonita. Bem atraente.
Julia: Eu estou feliz em ouvir isso.
(Então é assim que é receber elogio da pessoa que você ama.)
Eu pauso para saborear essa maravilhosa emoção previamente desconhecida.
Julia: Eu queria dizer isso a você no outro dia no café, mas nós fomos interrompidos, lembra-se?
Eu olho diretamente para Timo, determinada em não mais fugir dele, ou de meus próprios sentimentos.
Julia: Eu percebo que você está indo...
Timo: ...
Julia: ...que você está saindo de Kaleido, e isso será um grande avanço para você... ...mas até que isso aconteça, eu quero que nós passemos nosso tempo juntos como costumávamos. Eu não posso aguentar ter você me evitando assim.
Meu coração começa a fracamente doer. Aparentemente, eu não tinha percebido o quão machucada eu estive por seu comportamento ultimamente.
Julia: Eu quero ficar feliz por você. Afinal, você está conseguindo seguir seus sonhos. Exceto, agora tudo o que eu sinto é dor e sofrimento.
Timo: Eu também.
Julia: Sério?
Timo: Em nossos próprios jeitos, você e eu estamos lutando com emoções conflitantes.
Timo repentinamente alcança e firmemente me puxa em seu forte abraço.
Julia: Timo?
Minha respiração para quando eu me encontro pressionada contra seu peito largo. Seus braços envoltos fortemente ao redor de minhas costas, sua força mostrando toda a paixão que parece que ele não pode mais reprimir.
Timo: Eu tenho meus sonhos, ou um pode dizer, aspirações como um pesquisador. E você pensaria que eu estaria extático em ser recebido por um instituto tão prestigiado – um no qual eu pensei que nunca trabalharia... ...só que eu não estou. Para ser franco, eu não tenho certeza de como me sinto. É por isso que eu estive evitando você.
Julia: Sério? Por quê?
Timo: Eu não consigo fazer decisões lógicas quando você está por perto. Você me rouba de minha habilidade para me concentrar.
A voz de Timo está forçada, quase um sussurro.
Julia: E-eu roubo?
Timo: Eu amo você, Darwin... Julia.
Essa voz quieta firmemente bagunça minhas emoções.
(O que foi isso? Ele acabou de dizer que me ama?)
Timo: Eu sou um homem, embora desajeitado, e também sou um pesquisador. Exceto, eu não posso escolher ser ambos ao mesmo tempo.
(Ele está dizendo o que acho que está?)
Eu silenciosamente ouço sua confissão sincera e angustiante, enquanto ele elabora seus sentimentos. Eu trabalhei a coragem de dizer a Timo, e não me arrependo disso. Entretanto, agora eu não consigo parar as lágrimas.
(Ele já se decidiu. Ele está saindo de Kaleido... ...e está me abandonando.)
De repente, todas as nossas memórias juntos vem inundando em minha mente como se eu estivesse espiando através de um caleidoscópio. Eu caio em minha cama e começo a soluçar incontrolavelmente. Pelo tempo que minhas lágrimas secaram, tudo o que permanece é o mesmo desejo que eu tive quando encontrei Timo pela primeira vez – entendê-lo. Eu confessei meu amor, e ainda nada parece resolvido. Ao invés, eu choro e choro. A manhã chega e eu mal dormi. Minha perspectiva é abruptamente mudada quando o telefone toca.
(Um dos leopardos Kaleido desapareceu?!)
Eu rapidamente fico pronta e vou direto para a entrada frontal.
(O membro do pessoal que ligou disse que é o leopardo que deveria estar na reabilitação.)
Timo: Oi, Darwin.
Julia: Olá, Timo.
Quando eu chego à entrada, eu esbarro em Timo. Por um breve momento, uma tensão constrangedora enche o ar.
(Isso não é a hora para eu estar preocupada com minha vida privada!)
Eu finjo esquecer tudo sobre ontem e me dirijo a ele.
Julia: Eu acabei de receber uma ligação. Um dos leopardos—
Timo: Sim. Eu ouvi.
Sua expressão parece sombria. Eu imagino que ele se sente do mesmo modo que eu.
(Ele está profundamente preocupado com esse leopardo, não é.)
Timo: Eu chamei um carro. Já que nós dois estamos indo para o laboratório, você pode ir comigo.
Julia: Obrigada, Timo.
Juntos, nós nos apressamos para o laboratório.
Esse é o fim do capítulo 8. Até a próxima! :)

Comentários

  1. Céus isso é que começar bem o ano, arrasou eu fico sem tempo inicio do ano mal consigo fazer meus rascunhos, eba vou ler uma rota que não joguei ainda.

    Feliz 2017 e tudo de bom, saúde, e muito sucesso e um milhão a mais de visualização aqui porque você merece Crys <3 bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Taina! Pra você também! ♥

      Excluir

Postar um comentário

♥Por favor, seja educado(a) e gentil ao comentar.
♥Diga sua opinião com sinceridade.
♥Não tenha medo de perguntar sobre alguma tradução.
♥Eu leio todos os comentários!

Mais Lidas ♥