16 de julho de 2017

Seduce Me 2: Matthew (parte 2)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Seduce Me 2. Espero que gostem! :)
{Nota: Lembre-se que este jogo tem cenas adultas. Você foi avisado!}

Minha semana ficou pacífica, detalhes finais para o casamento se tornando nosso único foco. Eu estava nervosa por ele e, logo, o dia do casamento tinha chegado até mim e eu estava em meu quarto, encarando a mim mesma em meu vestido de casamento. Eu mal podia acreditar. Eu iria me casar! Minha família e os convidados estavam todos na igreja, esperando para eu entrar marchando, mas eu estava tão nervosa que ainda não saí da mansão. Era apenas uma viagem de três minutos, então não era como se eu estivesse numa terrível pressa. Olhando para o relógio digital em meu quarto, eu marquei o tempo.
Mika: Mais trinta minutos...
Eu soltei um suspiro. Eu tinha pedido a minhas amigas para me permitirem me preparar sozinha, então eu estava sozinha na mansão. Ainda, mesmo enquanto eu estava sozinha, a ansiedade do casamento me deixou tão nervosa. Por quê? Eu estava apenas assim tão empolgada? Passando uma mão por meu vestido, meus dedos traçaram as costuras e os intricados do design. Era de fato meu vestido de casamento dos sonhos, até o último detalhe. Meus pais pagaram a conta como parabéns, o que ainda me fez rir. Como eles tinham vindo a aceitar Matthew era um mistério para mim, especialmente quando ele era incrivelmente vago sobre quem ele era. Eu culpei sua magia íncubo. Antes que eu pudesse passear mais em minhas memórias nostálgicas, eu ouvi meu celular tocar, fazendo-me rapidamente atender.
Mika: Olá?
Naomi: Ei, noiva sortuda! Nós temos um probleminha.
Minha mente rapidamente congelou. Um problema? O que possivelmente poderia estar errado?
Carrie: Agora você está a assustando, Naomi!!
Naomi: Eu não pretendo!!
Suzu: Apenas diga a ela sobre os anéis!!
Mika: Huh? Os anéis? O que sobre os anéis?
Naomi: Bem, aparentemente, Matthew se esqueceu de trazê-los. Ele sabe onde estão, mas você terá que trazê-los com você quando vier.
Eu soltei um pequeno suspiro; não era um grande problema. Graças a deus. Era algo que tinha uma solução fácil.
Mika: Oh, ok, está bem. Onde ele os colocou?
Naomi: Bem, ele disse que colocou os anéis na gaveta da cômoda dele. Ele disse que era para que... “Simon” não pudesse os pegar?
Mika: Sério?
Eu rolei meus olhos. Simon não era TÃO ruim. Além disso, ele era um boneco. Claro, ele era um boneco que podia se mover e tal, mas ele não era malvado, apenas um pouco travesso.
Mika: Certo, eu vou levá-los. Encontre-me na frente da igreja e eu os entregarei antes do casamento começar.
Naomi: Entendido! Vejo você mais tarde!!
Eu desliguei e sorri. Pelo menos o problema não era algo ultrajante. Isso teria sido mortificante. Rapidamente, eu me apressei para a cômoda e abri a gaveta, esperando ver a caixa de anel em plena vista.
Mika: Mas que...?
Quando eu olhei para dentro, eu encontrei nada além de roupas. Eu abri cada gaveta da cômoda, chegando cada canto e fenda enquanto movi as roupas para encontrar a caixa. Nada. Eu olhei para cima e olhei ao redor do quarto, incerteza do por que Simon estava rindo. Ele realmente queria jogar um jogo agora mesmo?
Mika: Merda, Simon...
Eu levantei meu vestido e comecei a procurar os corredores da mansão, determinada a encontrar Simon. Ele tinha que ter os anéis e eu não estava a fim de brincar.
Mika: Simon! Dê-me esses anéis!!
Ele não podia ter ido longe. Eu decidi chegar esse piso antes de descer as escadas...
-Escritório.
Olhando ao redor do escritório, Simon não estava em lugar nenhum. Eu resmunguei para mim mesma.
Mika: Onde diabos aquela coisa pode estar?
Eu suspirei antes de sair do escritório, andando na direção de outro quarto.
-Biblioteca.
Olhando ao redor da livraria, Simon não estava em lugar nenhum. Eu resmunguei para mim mesma.
Mika: Onde diabos aquela coisa pode estar?
Eu suspirei antes de sair da biblioteca, andando na direção de outro quarto.
-Entrada.
Olhando ao redor da entrada do topo da sacada, Simon não estava em lugar nenhum. Entretanto, antes de descer as escadas, eu precisava checar os outros quartos primeiro.
-Banheiro.
Eu entrei no banheiro, olhando ao redor e esperando encontrar a bola de pelos em algum lugar com a caixa de anéis. Infelizmente, ele não pareceu estar em lugar nenhum.
Mika: Que diabos...
Eu resmunguei para mim mesma antes de virar para sair. Entretanto, meus olhos travaram no espelho do banheiro, vendo algo que fez meu coração congelar. Ao redor de meu pescoço estava uma grande marca como uma tatuagem se assemelhando a uma corrente azul. Estava quase brilhando sobre minha pele e o pesadelo repentinamente subiu em meus pensamentos, lembrando-me do medo que eu tinha sentido. Encarando-a, meu corpo começou a tremer enquanto a marca parecia serpentear meu pescoço como uma sombra se movendo. Por um momento, eu achei que a marca iria se apertar contra meu pescoço por simplesmente observá-la circular sobre minha pele. Eu trouxe minhas mãos para minha garganta, tentando cobri-la. Eu não queria vê-la. Tinha que ter sido uma ilusão, certo? Eu estava imaginando. Eu hesitantemente removi minhas mãos de meu pescoço e suspirei em alívio ao não mais ver a marca de corrente. Eu estava enlouquecendo por nada. Eu esfreguei meus olhos gentilmente, aliviada.
Mika: Caramba... Eu estava ficando nervosa por—
Entretanto, quando eu olhei de volta ao espelho, ao redor de meu pescoço estava um colar azul. Eu alcancei meu pescoço e arfei quando fisicamente senti o colar ao redor de meu pescoço.
-Feche seus olhos.
Eu fechei meus olhos. Isso era um erro. Isso tinha que ser um sonho. Eu estava sonhando e eu precisava acordar imediatamente para que eu pudesse encontrar os anéis e me casar. Por favor, deixe isso ser um sonho... Assim que eu abri meus olhos, eu travei meus olhos no colar que AINDA estava ao redor de meu pescoço. Minha mente começou a se lançar num frenesi. Por que isso estava ali?!
-Remova-o!
Isso não podia estar acontecendo! Isso não podia estar acontecendo!! Eu envolvi meus dedos ao redor do colar e comecei a puxá-lo, tentando rasgá-lo em pedaços e tirá-lo de meu pescoço. Ele se esticou levemente em minhas mãos, mas permaneceu preso ao redor de meu pescoço. Eu apressadamente corri meus dedos ao redor dele, tentando encontrar um trinco ou um fecho. Quando meus dedos voltaram vazios, eu comecei a entrar em pânico ainda mais. Como poderia não ter um trinco?! Eu precisava tirá-lo de mim! Eu puxei novamente, praticamente me engasgando em meus esforços para removê-lo. O colar mais uma vez se esticou na direção que minhas mãos puxavam, mas não iria arrebentar.
Mika: Sai!! Fora!!
Eu quase gritei, arranhando o colar e o puxando em diferentes direções. Por que ele estava em meu pescoço?! Por que ele não iria sair?!
Naquele momento, uma palavra apareceu em minha mente. Eu não tinha certeza de como chegou lá ou por que eu pensei na palavra, mas apareceu em meus pensamentos como se fosse exatamente o que eu estava pensando. Meus dedos começaram a formigar levemente enquanto ela ressoava em minha mente. Quando eu abri minha boca e a deixei voar de minha língua, eu senti meu corpo levemente aquecer em resposta.
Mika: Salvo...
O colar, de algum modo respondendo ao que eu tinha dito, começou a tremer ao redor de meu pescoço antes de evaporar em névoa negra e desaparecendo no ar. Eu instintivamente suspirei em alívio. Graças a Deus. Eu esfreguei meu pescoço, gratamente sentindo apenas minha pele e silenciosamente apreciando a sensação de meus dedos correndo por minha pele nua.
???: Eu sabia~ EU SABIA! Essa garota tem magia demoníaca~
Mika: Mas que—?!
???: Então pare de ficar boquiaberto e vamos pegá-la!
???: O Lorde Demônio ficará tão satisfeito~!
Mika: Quem—?!
Antes que eu pudesse virar para procurar pelas vozes, eu senti mãos agarrando meus pés, e eu olhei para baixo e levantei meu vestido. Dois pares de mãos de aparência maligna tinham agarrado meus tornozelos, estendendo por um pentagrama roxo e vermelho-escuro. Eu gritei, tentando puxar minhas pernas para longe, mas não pude pará-las quando elas rapidamente me puxaram para o chão. Eu fui puxada mais fundo para a escuridão. Eu não estava mais em meu quarto. Eu estava sendo arrastada por um vácuo escuro, um do qual eu não poderia escapar. Eu alcancei e arranhei o escuro, tentando encontrar algo para me agarrar. Eu tentei puxar minhas pernas para longe das mãos que estava segurando-as, mas não pude me libertar. O que estava acontecendo?! Por que isso estava acontecendo?!
Mika: Alguém me ajude!!
Como se alguém tivesse ouvido meus gritos, eu repentinamente senti as mãos soltarem e desaparecerem, deixando-me flutuando na escuridão que me deixaram. Eu fechei meus olhos. Por favor, deixe isso ser um sonho. Por favor, deixe isso ser um sonho! Eu finalmente senti uma superfície sob meus pés e caí nela, meu corpo se curvando em si mesmo da experiência que tive. Eu não ousei tirar meus olhos de meu colo, não preparada para me levantar ainda. A voz que eu ouvi, entretanto, fez meu coração parar.
???: Você...? O que você está fazendo aqui?
Eu olhei para cima, finalmente tendo a coragem de absorver meus arredores. Meu coração parou de bater por um momento, se segurando em meu peito.
Eu olhei para cima para ver cinco figuras, estranhos—monstros—seres que eu não reconheci. Eles todos me olharam em surpresa, como se eu tivesse caído numa hora bem ruim. Um homem parecia um orc de um jogo de fantasia sem as presas. Ele tinha chifres quebrados e uma aura bem aterrorizante ao redor dele enquanto me encarava. O outro macho era esguio em comparação, mais humanoide, mas eu podia quase sentir poder emanando dele de qualquer maneira. Uma das mulheres quem estava me encarando tinha orelhas de coelho. Orelhas. De coelho. Elas tremiam no topo de sua cabeça enquanto me olhava e agarrava seu cajado. Ela parecia inofensiva... ainda assim, ela tinha orelhas de coelho. A criatura que eu não conseguia discernir o sexo parecia mais empolgada de me ver que surpresa. O que me assustou sobre ele/ela era que ele/ela tinha asas saindo de suas costas, e estava... flutuando... A última mulher, entretanto, ativou sinos de alarme em minha cabeça quando olhei para seu rosto surpreso. Seu cabelo, seus olhos...
Mika: D—... Diana...?
Enquanto ela encarava, a mulher virou seu corpo em minha direção em reconhecimento do nome que a chamei. Era ela.
Diana: O que... você está fazendo aqui...?
Diana andou em minha direção e me encarou. Era estranho; ela não parecia uma humana, mas eu não estava com medo de sua forma demônio enquanto ela se erguia acima de mim. Eu estava mais em choque pelo o que estava acontecendo. Antes que Diana pudesse falar mais, provavelmente para se repetir, uma figura rapidamente avançou e se inclinou para ela, ajoelhando-se ao meu lado.
???: Minha dama, por favor, perdoe-me. Eu senti algo se movendo entre nossos mundos e assumi que o Lorde Demônio era o culpado, então eu interceptei sua convocação desta humana.
Diana: Você...? Então eu não fui a única que sentiu a mudança no ar...
Diana encarou o homem se ajoelhando ao meu lado enquanto eu mantive meus olhos nela. Quando ela virou seu olhar de volta a mim, eu engoli em seco silenciosamente. O que ela iria fazer comigo? Isso tudo pareceu errado. Eu estava prestes a me casar! Eu estava prestes a viver meu felizes para sempre com o homem que eu amava. Agora eu estava num lugar que não conhecia com Diana e um bando de outras criaturas que eu não reconheci. Meu instinto foi para...
-Chorar.
Isso não estava acontecendo. Isso não poderia estar acontecendo. Sem chance. Eu senti lágrimas se acumulando em meus olhos e eu os abaixei para olhar o chão na minha frente. Quando meu olhar caiu, meus pulmões começaram a queimar muito, forçando-me a soluçar em tristeza.
Diana: Ah— um— uh—
Eu não podia evitar. Eu comecei a chorar profundamente. Por que isso estava acontecendo?! Por que eu estava aqui?! Se isso era outro pesadelo, eu queria acordar imediatamente. Isso não estava correto! Eu cobri meu rosto e chorei em minhas mãos, curvando-me sobre mim mesma enquanto eu deixava a tristeza correr por meu corpo inteiro. Por favor, deixe-me acordar. Por favor. Quando eu senti calor repentinamente se espalhar por meu corpo, eu lentamente parei e senti ar fresco entrar em meus pulmões. O que estava acontecendo? Eu reconheci este calor. Eu olhei para cima para ver Diana se ajoelhando com uma expressão muito preocupada em seu rosto, seu olho visível brilhando uma calorosa cor dourada enquanto ela me encarava. Ela estava... me encantando? Eu não me senti excitada, como eu normalmente me sentia sempre que era encantada, mas eu me senti calma e quase relaxada.
Diana: Se... acalme...
A voz de Diana pareceu quase tranquilizadora, como uma canção de ninar. Entretanto, eu não estava com sono. Eu apenas me senti quieta. A preocupação que eu tinha eu minha mente tinha desaparecido. A tristeza, desaparecida. Diana deve ter feito alguma coisa para se certificar que eu não iria chorar. Eu não sabia se a agradecia ou ficava com medo.
Diana: Agora, você pode me dizer o que aconteceu? Tome seu tempo e tente se lembrar de tudo...
???: Súcubo, nós não temos tempo para—
???: SHH! Deixe-a fazer a coisa dela! A humana obviamente a conhece... e ela obviamente precisa de ajuda... pobrezinha...
???: Por que ela a chamou de “Diana”, no entanto?
???: Esse deve ter sido o nome humano que ela usou enquanto esteve no mundo humano. Inteligente.
Diana: Todos vocês, por favor!
Silêncio engoliu o lugar quando Diana olhou aos quatro seres atrás dela.
-Gritar.
Eu precisava. Eu tinha que. Minha raiva e tristeza borbulhou e ferveu até a necessidade para gritar pressionou contra minha garganta, forçando-me a soltar.
Mika: AHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Quando meu grito me escapou, os outros seres no lugar pularam para trás e cobriram suas orelhas. Meu grito não era fraco; era alto e saltou pelo quarto num eco sem fim. Eu não me importava se minha garganta iria doer. Eu não me importava que eu também senti a dor de meu som agudo. Eu apenas precisava gritar e soltar minha tristeza. Por que isso estava acontecendo?! POR QUÊ?! POR QUÊ?! Eu envolvi meus braços ao redor de meu corpo, deixando o grito usar todo o ar em meus pulmões. Não estava ajudando, mas eu apenas precisava de algum tipo de libertação.
Diana: MERDA, PARE!!!
De repente, meu corpo começou a aquecer e eu senti minha voz dissipar no silêncio. Eu estava um pouco tonta, mas me senti calma e a raiva que eu tinha sumiu. Eu encarei Diana, me perguntando o que estava acontecendo. Diana tinha estendido sua mão para mim, encarando-me com uma expressão dolorida enquanto seu olho visível brilhava uma calorosa cor dourada. Ela estava me encantando? Eu não me senti excitada, mas eu sabia que a quente sensação em meu corpo era o feitiço de encantamento de um demônio. Independentemente, eu senti minha garganta se curar do grito enquanto eu encarava Diana.
Diana: Você está calma agora?
???: Para um humano, a garota realmente pode gritar...
???: Melhor que as sirenas, com certeza!
???: Pobrezinha... ela deve estar traumatizada...
???: Traumatizada ou psicoticamente louca...
Diana: Todos, silêncio!
-Atacar.
Minha mente não podia evitar. Aqui estava a mulher que tinha me assombrado e forçadamente tomado minha energia antes de partir de minha vida. Ela estava indefesa. Eu pulei, levantando a bainha de meu vestido com uma mão para mover rapidamente antes de agarrar a garganta de Diana e a empurrando contra a mesa atrás dela.
Diana: GUHH—!?!
???: EZAEUR!!!
???: Por que, sua pequena-!!
Diana: FIQUEM PARA ATRÁS!!
Embora eu estivesse esmagando o pescoço de Diana, ela estendeu suas mãos, parando os seres ao nosso redor de interferir. Eu não me importava. Eu apenas queria machucá-la. Eu não deveria estar aqui. Ela tinha que ser a razão pela qual eu fui puxada para este lugar contra minha vontade. Ela tinha feito dano em mim antes, ela poderia fazer novamente. O que ela queria comigo?!
Mika: Por que eu estou aqui, Diana?! Por que você me trouxe aqui?! Por que você me tirou de meu casamento?!
Diana: Eu não trouxe você aqui—!!
Mika: MENTIROSA!! Você é a ÚNICA que poderia ter feito isso comigo!! Por que você não consegue me deixar em paz?! Você está tão brava que ele me escolheu em vez de você que você iria me sequestrar NO DIA DE MEU CASAMENTO?!
Diana: APENAS OUÇA!!
De repente, minha mente ficou em branco e meu aperto ao redor do pescoço de Diana relaxou, soltando-a. Eu me senti recuar para longe de Diana enquanto ela levantava e se curvava sobre seu corpo, tossindo e arfando por ar. Eu não podia mover meu corpo. O que estava acontecendo?! Eu observei, incapaz de fazer qualquer coisa, enquanto Diana estalava seus dedos na direção de um dos seres no lugar, aquele que tinha a chamado de “Ezaeur”. Obedientemente, ele correu para ela e gentilmente envolveu um braço ao redor dos ombros dela, ajudando-a a levantar e ficar ereta. Diana olhou para ele e o trouxe mais perto dela com sua mão sem ele lutar de volta. Quando ele ficou perto dela, ela trancou lábios com ele e ambos fecharam seus olhos. Ela estava tomando a energia dele? Eu não podia exatamente me mover, então tudo que eu pude fazer era encarar. Depois de um curto momento, Diana se afastou do homem. A pessoa que estava a segurando recuou também, curvando sua cabeça para ela. Diana então olhou para mim com um olhar quase frio como pedra enquanto esfregava seu pescoço.
Diana: Eu não trouxe você aqui. O Lorde Demônio, o pai dos rapazes, tentou trazer você ao castelo dele e meu servo interrompeu a convocação dele, trazendo você para mim ao invés. Você deveria estar grata de não estar morta agora mesmo.
Eu não queria acreditar nela. Por que ela se importaria comigo? Ela poderia me matar agora e tomar os rapazes para si mesma, bem como queria antes. Diana me encarou e suspirou antes de estalar seus dedos e me soltar de seu feitiço. Eu cambaleei em minhas pernas, agora sentindo controle sobre meu corpo, mas antes que eu pudesse atacá-la novamente, Diana levantou seus braços aos seus lados.
Diana: Você pode me atacar novamente se desejar. Entretanto, eu prometo que me machucar ou me matar não vai te levar de volta para onde você veio.
Eu olhei Diana, não sabendo mais se ela estava mentindo para me manipular ou realmente dizendo a verdade. Não tinha como saber com ela. Se ela realmente não me trouxe aqui, então ela ainda era responsável por me manter.
Mika: Mande-me de volta.
Diana: Você está calma?
???: Por que você está se incomodando com ela, Súcubo? Ela é uma humana—
???: Shhhhhh!! Deixe-as entenderem!
???: De fato... quanto mais rápido isso for resolvido, mais rápido nós podemos voltar a nosso conselho...
Eu mantive meus olhos em Diana, não querendo confiar nela, mas tendo que confiar, de qualquer jeito. Isso era além de errado, mas eu tinha que seguir o fluxo a fim de voltar. Eu assenti para Diana e ela suspirou suavemente em alívio.
-Ficar parada. {Resposta certa para ter Diana como treinadora.}
Eu não pude me mover. Minha mente estava vazia de emoções exceto por medo. Por que isso estava acontecendo? Onde eu estava? Por que Diana estava aqui?! Diana me encarou antes de suspirar e se ajoelhar ao meu nível. Assim que ela ficou de joelhos, eu inclinei para longe dela, incerta do que ela faria. Ela iria me beijar novamente e pegar minha energia? Conhecendo-a, talvez.
Diana: Você pode me dizer o que aconteceu?
Mika: ...
Eu não queria falar. Eu não sentia coragem. Minha mente estava tão amarrada neste caos que eu não senti nada além de medo e ansiedade. Isso não poderia estar acontecendo. Eu estava sonhando.
Diana: ...
???: Ela está bem??
???: Eu não acho...
???: Isso é apenas um desperdício de nosso tempo! Apenas mate ela ou algo assim!
???: Sim, porque ISSO é uma coisa inteligente a se fazer: matar alguém que está claramente traumatizada e não fez nada para merecer morte. Brilhante ideia. Bravo.
Diana: ...
Diana continuou a me encarar, esperando-me responder. Por quê? Ela não lançou um feitiço em mim, nem me atacou. Ela continuou a esperar e encarar. Lentamente, minha mente começou a afundar na situação. Diana estava disposta a ouvir. Ela estava disposta a ajudar? Aquela era outra pergunta, mas primeiro eu tinha que respondê-la. Minha voz ainda não queria responder, então eu me forcei a assentir, querendo respondê-la de algum jeito. Diana sorriu suavemente, o que conflitou com minhas memórias dela. Ela nunca tinha sorrido assim... mas estava agora. Diana estendeu sua mão, fazendo-me pegá-la.
Diana: Você pode se levantar?
Eu assenti e peguei sua mão, levantando finalmente. Eu olhei ao redor aos outros seres no lugar. Todos eles mantiveram seu olhar em mim, incertos do que eu iria fazer ou dizer. Diana, contudo, guiou a conversa.
Diana: Primeiro, você pode me dizer o que aconteceu com você?
Eu respirei fundo, recontando tudo que tinha acontecido. Eu estava prestes a ir à igreja para me casar e então...
Mika: Eu fui atacada por essa escuridão. Um par de mãos agarraram minhas pernas e me puxaram para dentro dela, e então eu caí aqui.
Diana: Uma convocação de sombra?
Diana se virou para um dos seres, o macho esguio, e encarou.
Diana: Um dos seus não poderia—
???: Em minha honra, não foi nenhum dos meus. Nós não temos nada a ganhar de sequestrar um humano, nem nós sabemos quem essa mulher é, de qualquer maneira.
???: Minha dama, se eu puder, eu claramente me lembro de ouvir demônios duendes no vazio junto com ela. Devem ter sido os capangas do Lorde Demônio.
Diana: Grr... aquelas criaturas malditas. Isso explica...
Diana cruzou seus braços e me olhou novamente.
Diana: Bem, querida, parece que você seria uma nova garota de harém para o Lorde Demônio violentar, ou isca para os rapazes retornarem ao lado de seu pai... De qualquer maneira, eu duvido que você teria vivido muito se o Lorde Demônio tivesse colocado suas mãos em você.
Um estremecer violento correu por minha espinha. Aquilo era verdade? Eu teria morrido?
???: Espere um minuto. Essa garota sabe sobre os herdeiros do Lorde Demônio?
Diana: Sim... Engraçado o suficiente, ela estava preparada para se casar com um deles, como você pode ver pelo traje dela.
Quando Diana gesticulou na direção de meu vestido, eu percebi o quão vulnerável eu estava e me senti extremamente embaraçada. Eu envolvi meus braços ao redor de mim mesma enquanto Diana soltava um suspiro.
Diana: Bem, já que você não pertence aqui, a coisa óbvia a se fazer é lhe mandar para casa.
Eu não pude evitar encarar Diana com olhos arregalados. Ela realmente iria me mandar para casa? Sério? Eu não podia acreditar em minhas orelhas!
Mika: Você realmente me mandará de volta?
Diana: É claro. Deve ser fácil fazer uma vez que tudo esteja em ordem. Será como se você nunca tivesse deixado o mundo humano.
Espere. “Como se eu nunca tivesse deixado o MUNDO HUMANO”?
Mika: O que você quer dizer com “deixado o mundo humano”?
Diana encarou antes de rir suavemente e gesticular ao lugar e seres dentro dele.
Diana: Querida, você não percebe onde está? Você está no MUNDO DEMÔNIO.
Minha mente ficou em branco. Não poderia ser. Eu não poderia estar no mundo demônio. Sem chance. De jeito nenhum. Eu me senti recuar contra a parede atrás de mim, repentinamente com medo. Eu estava em outro mundo?! Como?! Isso era impossível!! Diana pisou em minha direção, ambas suas mãos suavemente tentando mostrar que não faria mal enquanto as posicionava na frente de seu corpo.
Diana: Não entre em pânico. Nós mandaremos você de volta agora, então não há nada com o que se preocupar.
???: Como você proverá o feitiço? Trazer alguém aqui não é tarefa fácil, mas mandar alguém de volta consume muito mais energia.
Diana: Eu usarei a energia que tenho agora e descansarei. Nós podemos organizar o cerco outra hora quando eu completamente me recuperar. Não é como se o Lorde Demônio pudesse escapar do canto onde nós o encurralamos, então nós temos algum tempo de sobra.
???: Você desperdiçaria tempo e energia nessa humana? Nós devemos atacar agora enquanto o Lorde Demônio está enfraquecido!
???: Mas a humana não pertence aqui... Ela precisa ir para casa...
???: Devo eu preparar o feitiço de retorno?
Diana: Sim. Eu garanto a você permissão para usar minha energia para prover o feitiço.
Com um assentir, o homem esguio estendeu sua mão na direção da parede. Eu olhei na direção que estava apontada.
Mika: A sombra de Diana...?
Eu observei enquanto a sombra de Diana simplesmente ficou contra a parede, espelhando os movimentos da verdadeira súcubo no local. Perante meus olhos, a sombra começou a morfar e se expandir na parede sozinha.
Diana: Nghh—!
Eu olhei de volta para Diana para vê-la envolvendo seus braços ao redor de si mesma e curvando seus ombros, como se estivesse em dor. Suas unhas se afundaram em seus antebraços e eu mal pude ouvir um doloroso chiado escapando seus dentes cerrados. O feitiço estava machucando-a tanto assim? Eu me virei de volta à parede para ver a sombra de Diana tremendo e vibrando, como se estivesse resistindo a mudança que o homem estava forçando nela.
???: Você obedecerá meu comando. Abra os portões para o vazio e permita passagem para o mundo que nós buscamos.
Diana: Transitum per inane peto tenebris. Ubi aperuit ianuam desidero.
Sobre a última palavra de Diana, sua sombra explodiu e expandiu numa porta de forma oval. Eu encarei de olhos arregalados a “passagem” antes que uma mão se colocasse em meu ombro, forçando-me a virar. Aquele com a lança gentilmente pressionou meu ombro para frente e me olhou com um rosto quase severo.
???: Você deve ir agora. Quanto mais rápido você for, mais rápido nós podemos fechar o vazio.
???: Vá! Vá! Vá se casar!!
Eu rapidamente assenti e levantei a borda de meu vestido, pisando adiante para correr para a passagem. Entretanto, antes que eu pudesse disparar na direção de minha liberdade, um rosnado ecoou pelo local.
Lorde Demônio: Como vocês OUSAM interferir com minha convocação?!
Naquele mesmo momento, Diana começou a gritar, arqueando sua espinha e jogando sua cabeça para trás. Ao redor de seu corpo estavam raios tingidos de vermelho, brilhando e chocando sua forma.
???: NÃO!!
???: Humana! Use a passagem! AGORA!!
Ele não tinha que me dizer duas vezes. Eu disparei na direção do portal, mergulhando adiante quando eu me aproximei, mas fui forçada para trás por uma explosão de energia e um brilho de luz vermelha. Eu caí no chão, quase batendo minha cabeça na pedra.
(Maldição)
Mika: NGNN!!
Lorde Demônio: A humana JAMAIS irá sair deste mundo viva!!
???: Seu verme sem espinha!!
???: Feche o portal!! O Lorde Demônio pode atravessar!!!
???: Mas a humana—
Diana: FECHE!
Como comandado, o homem puxou sua mão de volta, visualmente forçando seu braço atrás de seu corpo, e a sombra de Diana rapidamente começou a morfar de volta numa simples sombra. A eletricidade ao redor de Diana desapareceu e ela começou a se inclinar para frente. O homem com a lança soltou sua arma e pegou Diana em seus braços, embalando-a em seu corpo enquanto ela arqueava e arfava por ar.
???: Eu não sinto o Lorde Demônio em lugar nenhum...
???: O verme tem que correr pelas sombras para tentar e lutar de volta. Ele estará morto em breve.
???: Como ela está, guarda?
Diana parecia estar intocada, mas seu corpo estava tremendo do resultado do ataque mágico. Seu olho visível estava fechado enquanto ela afundava seus dedos na jaqueta do guarda para se agarrar a ele. Quando seu olho abriu, eu vi não uma cor vermelha de rubi sangue, mas eu vi uma cor dourada fria e não amigável pintada sobre sua íris. Sua boca abriu enquanto ela arfava por ar e eu pude ver fome em sua expressão facial, mas ela continuou a encarar a parede, não querendo fazer contato visual com ninguém.
???: Não há ferimentos físicos, mas ela foi enfraquecida. Eu devo lhe dar minha energia para que ela possa se recuperar.
O homem rapidamente se moveu e enganchou um braço debaixo dos joelhos de Diana, levantando-a ao estilo noiva enquanto ela se agarrava à jaqueta dele, tremendo. A lança que tinha caído no chão desapareceu em névoa preta e roxa enquanto ele rapidamente saía do local com ela em seus braços. Minha mente, entretanto, começou a entrar em pânico. Eu não podia ir para casa? Por que eu estava sendo forçada a ficar? Foda-se o Lorde Demônio, isso não era certo!
Esse é o fim da parte 2. Até a próxima! :)

Um comentário:

  1. Oh shit! Eu ficaria com medo e pensaria que isso significaria alguma coisa em relação a ele, já que ele tem as marcas demoníacas da cor azul... Mas pensando bem, pode ser exatamente isso que ela está pensando agora kkk

    ResponderExcluir