6 de julho de 2017

[SWD] Wizardess Heart: Cerim (capítulo 5)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Wizardess Heart. Espero que gostem! :)

(Série Princesa de Cristal) Cerim – Dia 5: Eu Quero Saber.

Estava frio... ...e escuro. Estava terrivelmente quieto. Por que ninguém estava por perto...? Eu não podia me mover como se eu estivesse trancada dentro de alguma coisa. Era uma sensação estranha.
???: ...S em... mais... lutas... Eks... Onde... você está...?
Lágrimas estavam brotando dentro de mim, mas eu nem mesmo tinha permissão de derramá-las.
???: Como isso... pôde acontecer...? Alguém... por favor... por favor, perceba. Perceba quão ruim a situação está...!
Liz: ...!
No momento que meus olhos se abriram, eu reflexivamente me levantei.
Liz: O que... O que foi aquele sonho...?
Foi doloroso, frio, triste... Eu estava em completo silêncio, e não podia ouvir nada. Não importava quão alto eu gritasse, ninguém poderia me ouvir.
Liz: ...
Minhas lágrimas desceram por si mesmas.
Liz: Huh...? O quê...? Espere...
Eu rapidamente limpei as lágrimas caindo de meu rosto.
Liz: Só... o que foi aquele sonho...? Saella... Era você...?
Quando eu fui para a sala de aula, Cerim já estava lá, sentando em seu lugar favorito.
Liz: Oh...
(Considerando o que aconteceu ontem, talvez eu não devesse sentar ao lado dele. Não, é melhor eu ser proativa aqui!)
Tendo me decidido, eu sentei ao lado de Cerim.
Liz: Bom dia, Cerim.
Cerim: Bom dia.
Liz: Obrigada por almoçar comigo ontem.
Cerim: Oh, eu gostei. Eu deveria agradecer você.
A expressão de Cerim estava suave e calma.
Ronny: Hmph! Isso é algo que eu nunca quero fazer novamente!
Liz: ...!
(Ronnnnyyy! Você sabe o quê, eu vou ignorá-lo hoje...)
Cerim: O dever de casa de ontem certamente foi difícil.
Liz: Huh...? Dever de casa...?
Cerim: Sim, o do círculo mágico...
Liz: O quê?! Ahhhhh!
Cerim: Você... se esqueceu?
Liz: O-O-O que eu deveria fazer...?
Cerim: Não se preocupe, é até esta tarde, certo? Só copie o meu.
Liz: Espere, mas...
Cerim: Não se preocupe.
Cerim, então, me entregou um papel com um círculo mágico desenhado nele.
Liz: Obrigada...
Cerim: Apenas não se esqueça na próxima vez, ok?
Liz: Não vou!
(Cerim... você é tão legal... Foi uma terrível pausa para o almoço ontem, então eu estava bem preocupada, mas...)
Liz: Haha...
Os cantos de minha boca começaram a se levantar em alegria.
Cerim: O quê? Algo bom aconteceu com você?
Liz: Huh...?! O-Oh, nada! Nada mesmo...
Cerim: ...
Cerim esquadrou seu olhar em mim.
Liz: O-O quê...? Tem algo em meu rosto?
Cerim: Não, seu sorriso é apenas... especial.
Liz: Meu sorriso...?
Cerim: Quando eu vejo seu sorriso, sinto vontade de sorrir, também.
Quando Cerim suavemente sorriu de volta para mim, meu peito se apertou.
(Eu... Eu realmente tenho algo por Cerim, não é...? Eu... me apaixonei por ele? Sim...?)
Quando eu pensei nisso, eu fiquei vermelha até o topo de minha cabeça.
Cerim: Seu rosto está vermelho... Está com febre?
Cerim colocou sua mão em minha testa.
Liz: C-Cerim...?!
Meu coração pulou e eu soltei um grito estranho.
Cerim: Parece que você... não está com febre.
Liz: E-E-Eu estou... bem!
Cerim: Não se esforce demais.
Liz: E-Eu não vou... obrigada.
(Oh, não... Eu não consigo mais olhá-lo no rosto...!)
E então... ...bem quando minha mente registrou que haviam passos se aproximando rapidamente, a porta da sala de aula se abriu.
Luca: É uma emergência! Algo deu errado!
Liz: Luca...?
Luca: Pessoal! Eles pegaram um cara que perambulou para dentro da escola nessa manhã!
Liz: O quê...?
A classe começou a tumultuar.
Luca: E parece que ele vai estar se juntando à nossa sala. Ninguém realmente sabe como ele conseguiu entrar na escola sem uma carta de aprovação.
Todos começaram a conversar e sussurrar entre si em surpresa. No meio da comoção, Diretor Randolph entrou na sala.
Randolph: Todos, aos seus assentos. Eu iria explicar isso eu mesmo, mas... parece que um certo alguém bem-informado já disse a todos.
O Diretor alegremente sorriu para Luca.
Randolph: Como todos sabem, nós conseguimos recuperar um jovem nos terrenos da escola nessa manhã. Ele tem amnésia e não pode se lembrar de nada além de seu nome. Então, por enquanto, nós o colocaremos sob a proteção da escola e o permitiremos viver aqui.
Randolph: Leon, entre.
Ao chamado do Diretor Randolph, o jovem em questão entrou. Ele tinha cabelo branco de platina, pele de porcelana, e olhos carmesins. Sua beleza demandou minha atenção.
(Ele é... lindo...)
Randolph: Esse é Leon.
Leon: ...Prazer em conhecê-los.
Randolph: Leon, sente numa cadeira vazia.
Leon: Sim, senhor...
Ele parecia vago e sem emoção.
(Que ar estranho...)
Randolph: Bem, vamos começar a lição. Fiquem quietos, pessoal. Hoje, nós estudamos Ecologia de Criatura Mágica.
(Yay! Minha matéria favorita!)
Randolph: Primeiro, deixe-nos falar de criaturas mágicas. Elas são divididas em categorias maiores, intermediárias e menores. E como há criaturas mágicas, há uma raça que não é humana – as fadas. Fadas e bestas mágicas são similares, mas diferentes. A diferença está em se eles possuem inteligência ou não. É claro, há muitas maiores criaturas mágicas que possuem inteligência. Elas são, eu devo mencionar, mais próximas de fadas que criaturas mágicas. Hoje, nós estaremos falando sobre criaturas que estão em algum lugar entre criaturas mágicas e fadas. Sereias. Eu tenho certeza que muitos de vocês já ouviram o nome antes. Agora, uma questão. Sereias são ditas a viverem nos mares. Essas sereias seduzem humanos com algo. O que isso é? Liz?
Liz: S-Sim, senhor...! Com música.
Randolph: Correto. Eu vejo que você leu.
(Yay! Eu acertei!)
Randolph: Sereias são agressivas e geralmente não amigáveis com humanos. Muitos marujos e piratas foram devorados por sereias. Suas habilidades são similares àquelas dos cantores de feitiço. Entretanto, a única mágica que sereias podem infundir suas músicas para seduzir humanos. Quando você sair ao mar, tenha cuidado com sereias.
Liz: Urgh...
(Que pensamento assustador...)
Randolph: Isso sendo dito, sereias não vivem nas águas ao redor de Gedonelune.
Liz: S-Sério...?
(Ele me assustou por um segundo...)
Depois da aula...
Liz: Ufa... passei hoje tudo bem.
Quando eu reuni meus livros-texto e me preparei para ir embora... ...um coelho preto pulou para dentro da sala de aula.
Liz: Ahh! O-O que esse carinha fofo está fazendo aqui?!
Eu me aproximei dele e gentilmente afaguei.
Liz: De onde você veio, carinha?
???: Senhorita Liz!
Liz: ...?!
De repente, o coelho preto gritou para mim numa voz familiar.
Liz: O-O que está acontecendo?!
Schuyler: Sou eu. Schuyler.
Liz: P-Professor Schuyler?! Você se tornou um coelho?!
Schuyler: Do que você está falando?! Esse é meu familiar!
Liz: Huh...?! Familiar?!
(Isso não é um pouco fofo demais para o familiar de um professor?)
Schuyler: Venha para minha sala de preparação agora mesmo! Pegue o coelho com você! Agora!
Liz: Huh...?! E-Espere...!
Eu tentei implorar com ele, mas o coelho apenas ficou lá, sua boca estremecendo.
Liz: Aww...
(Eu acho que tenho que ir...)
Não tendo escolha, eu peguei o coelho e sai da sala de aula.
Liz: C-Com licença...
Eu abri a porta e coloquei meu rosto por ela.
Schuyler: Apenas entre.
Liz: O-Ok...
Schuyler: E sente-se aqui.
Liz: Ok...
Eu me sentei na frente do Professor Schuyler. Então, o coelho em meus braços pulou ao lado dele.
Schuyler: Bom trabalho.
(Isso é apenas... inesperado demais, que ele teria um coelho como familiar...)
Schuyler: Agora, você sabe por que foi chamada?
Liz: N-Não...?
Schuyler: Por causa do quão terrível suas notas estão!
Liz: Eep...!
Schuyler: Meu deus. Você falha em cada lição, você falha suas provas... Você sabe o quão ruim será para você se isso continuar acontecendo?
Liz: E-Eu sei... Eu sinto muito.
Schuyler: Você está mesmo fazendo a leitura?!
Liz: Eu... Eu estou, mas...
Schuyler: Não gagueje!
Liz: E-Eu vou... Eu vou tentar mais...
Schuyler: Escute... Primeiro de tudo, você...
(Oh, parece que isso continuará por um tempo...)
Liz: *Suspiro*
(Já é fim de tarde...)
Eu me arrastei de volta para a sala de aula, totalmente exausta.
(Os sermões dele duram demais...)
Exausta, eu peguei a mochila que tinha deixado em minha mesa e comecei a voltar. Então...
Cerim: Liz?
Cerim entrou na sala de aula.
Liz: Cerim...!
Cerim: Huh, você está prestes a voltar a seu quarto?
Liz: S-Sim... Professor Schuyler me chamou ao seu escritório.
Cerim: De novo...? Por quê...?
Liz: Bem, foi sobre... minhas notas...
Cerim: Ah.
Liz: Eu estou fazendo meu melhor, mas...
Cerim: Não há uso em se preocupar com isso. Tudo o que você pode fazer é tentar mais, estudar adiante, e revisar.
Liz: Sim, você está certo...
(Professor Schuyler me disse a mesma coisa... Eu tenho que tentar mais...)
Liz: H-Huh...? Não está meio quieto...? Onde está Ronny?
Cerim: Bem aqui.
Cerim virou suas costas para me mostrar Ronny, habilmente enrolado ao redor de seu pescoço e adormecido.
Liz: Ele está adormecido...?
Cerim: Sim. Bem talentoso, não é?
Liz: Haha...! Ele realmente é.
(Ele é tão fofo quando está quieto...)
Liz: Cerim, você está voltando, também?
Cerim: Sim.
Liz: Oh! Então, vamos voltar juntos.
Cerim: Claro.
Liz: Yay!
Cerim: Você certamente parece feliz.
Liz: É claro que eu estou.
Cerim: Por quê?
Liz: Por quê...? Bem, porque nós podemos ir para casa juntos?
Cerim: Você está feliz que pode voltar comigo?
Liz: Sim. Quero dizer, é divertido.
Cerim: Você é estranha.
Liz: S-Sério...?
Cerim: Até onde eu sei, você é realmente estranha...
Liz: Mas sabe, eu não me importo de ser chamada estranha.
Cerim: Por quê?
Liz: Hmm... Porque significa que eu sou diferente das outras pessoas? Então, isso meio que me deixa feliz.
Cerim: Você realmente é interessante.
Cerim sorriu enquanto falava.
Cerim: Bem, vamos voltar.
Liz: Sim! Então, ele me deu o maior sermão...
Cerim: Bem... você bagunça muito, Liz.
Liz: Gah...! S-Sim, certo...
Cerim: Sua magia não é realmente fraca. Eu só acho que você não consegue focar.
Liz: Focar, huh...? Bem, isso é algo em que eu não sou boa...
Cerim: Se você manter seu foco até o fim, a maioria dos feitiços devem funcionar bem.
Liz: Mais fácil falar que fazer... Eu não consigo fazer tão bem quanto você, Cerim.
Cerim: Eu sou... Eu sou apenas normal.
Liz: Normal? Sem chance! Você é realmente incrível, Cerim. Você pode fazer qualquer feitiço.
Cerim: Bem... até um certo ponto.
Liz: Você tem alguma magia em que é especialmente bom?
Cerim: Magia de ataque, eu diria.
Liz: Isso é em que eu sou pior... Eu acho que magia médica é tudo em que eu sou realmente boa...
Cerim: E isso é em que eu sou ruim, na verdade.
Liz: Uau, há magia em que você é ruim, Cerim?
Cerim: Ei, todo mundo tem suas forças e fraquezas.
Liz: *Risadinha*...
(Eu realmente estou conversando com Cerim hoje...)
Cerim: O que foi? Você está com um sorriso feliz.
Liz: Eu só estou muito feliz que eu consegui conversar muito com você hoje, Cerim...
Cerim: Sério? Isso é algo para se sentir feliz?
Liz: É claro que é! Porque...
Cerim: Porque...?
Liz: Eu estou interessada...
Cerim: Interessada...?
Liz: Gah...!
(Espere, o que eu estou dizendo...?! Isso é tipo, uma confissão de amor...!)
Liz: N-Não, eu quero dizer...
Cerim: Interessada...? No que você está interessada...?
Liz: Huh...?
Cerim: Eu nunca ouvi alguém me dizer que está interessado.
Liz: Urgh...
(Espere, Cerim é... realmente denso...?!)
Liz: Você nunca ouviu isso de uma garota antes?
Cerim: Por que isso tem que ser de uma garota?
Liz: Bem...
Cerim: Eu não consigo entender por quê, mas... Não. Nenhuma vez.
Liz: O-Oh, sério?
(Ele é bem difícil...)
Cerim: Além disso, por que você quer me perguntar sobre mim mesmo?
Liz: ... Eu quero saber mais sobre você para nos darmos ainda melhor...
Cerim: Eu acho que nós nos damos bem o suficiente?
Liz: N-Não foi exatamente isso que eu quis dizer, eu...
Cerim: ...?
(Ahhh, ele realmente É denso!)
Liz: N-Nada...
Cerim: Huh. Você realmente é estranha.
Cerim disse com uma risadinha.
Liz: Ei, você acabou de sorrir!
Cerim: Bem, eu achei que tudo isso era bem divertido. Eu nunca conheci alguém como você antes, Liz.
Liz: Oh, não...? S-Sério?
Cerim: Sério.
Liz: Então eu sou... sua primeira?
Cerim: Aham.
Liz: ...!
Eu estava tão feliz que minhas bochechas esquentaram.
Liz: E-Eu estou feliz de ouvir isso...
Cerim: Você continua ficando feliz com essas coisas pequenas. Eu realmente não te entendo...
Liz: Guh...!
(Quão denso ele tem que ser...!)
Liz: B-Bem, deixa para lá...
Cerim: ...?
Eu dei um olhar ao rosto de Cerim do lado. Sua expressão era calmante. Então, do nada, fome apareceu em meu coração.
(A distância entre nós... ficou menor? Eu quero... ir um pouco mais longe.)
Liz: Ei, Cerim...
Cerim: O quê?
Liz: Er...
Tendo respirado fundo, eu fui e disse.
Liz: Eu fui para a livraria há um tempo. Eu encontrei esse livro na lenda da Cantora...
Cerim: ...!
Liz: Havia algo escrito sobre a família Leiado... Isso tem algo a ver com você, Cerim?
De repente, os olhos de Cerim assumiu um calor como se fogo tivesse sido aceso.
Então, ele andou até mim e me empurrou contra a parede.
Liz: C-Cerim...!
Cerim: Eu DISSE a você para esquecer!
Liz: ...!
Eu tremi por sua intensidade. Ainda, eu podia ver algo triste no fundo de seus olhos.
Liz: Cerim, por que você sempre fica bravo assim sempre que isso vem à tona...?
Cerim: Não... é da sua conta! Se você apenas queria saber sobre isso, fique longe de mim.
Liz: Espere! Não, não é isso! Por favor, me ouça! Desde que eu vim para Gedonelune, eu estive tendo esses sonhos estranhos toda noite! Sonhos de uma princesa e um cavaleiro... E quando eu sonambulei para aquela caverna na outra noite, eu tive o mesmo sonho!
Cerim: ...!
Os olhos de Cerim se arregalaram em surpresa, então ele se afastou de mim e virou de costas.
Cerim: Liz... Não diga a ninguém sobre isso.
Liz: Cerim...
Ele começou a andar sem virar para mim. Então, Ronny pareceu ter acordado de seu sono e se levantou.
Ronny: Você fique longe de nós.
Liz: ...
Foi a última vez que eu vi aqueles dois.
Liz: Por que teve que terminar assim...? *Suspiro*...
Amelia: O que foi? Você parece bem deprimida hoje...
Liz: Bem... o cara que eu gosto não gosta mais de mim...
Amelia: Huh?! O cara que você gosta?! Você finalmente admitiu!
Liz: Eu admito! Eu gosto dele! Mas não vai acontecer...
Eu respondi, abaixando minha cabeça em derrota.
Amelia: Aguente firme, Liz!
Liz: Eu queria saber mais sobre ele, então eu fui proativa e forcei, mas... Eu quebrei e queimei...
Amelia: Você está falando sobre Cerim...?
Liz: Sim...
Amelia: Oh... Sim, esse é difícil...
Liz: Pode... ser tarde demais...
Amelia: Você não pode desistir! Ele ainda não te odeia completamente. Eu quero dizer, foi como uma briga, certo?
Liz: Sim... mais ou menos. Nós tivemos várias discussões antes... ...e ele sempre estava bem no dia seguinte. Parece que dessa vez foi especialmente sério... Como se eu tivesse colocado meu nariz em algum lugar que realmente não deveria...
Amelia: Hmm...
Bem então... Uma borboleta gentilmente flutuou para dentro do quarto.
Liz: Uma borboleta...?
Amelia: É uma nota mágica.
Liz: Uma nota mágica...?
Amelia: É, você escreve uma mensagem nela e a manda voando.
Enquanto ela falava, a borboleta aterrissou em minha mão.
Liz: De quem é isso?
Eu a abri.
“O que você está fazendo? Que tal nós conversarmos pelo telefone mágico? Guy.”
Liz: É de Guy...
Amelia: Huh?! Guy?! Você já está traindo?!
Liz: N-Não! Guy é apenas um amigo! Mas, um, o que é um telefone mágico?
Amelia: Oh, você não tem um, tem?
Liz: Não.
Amelia: Espere um segundo.
Amelia puxou um pequeno fonógrafo de sua gaveta, o qual era do tamanho de minha palma.
Liz: Uau, isso é fofo!
Amelia: Você pressiona os botões na parte inferior para fazer ligações. Espere um pouco, o número de Guy deve ser...
Amelia discou o número de Guy para mim.
Amelia: Aqui está.
Liz: Obrigada! Eu só vou ligar para ele...
Amelia: Aproveite.
Liz: Então, tem esse cara que eu gosto, mas...
Guy: Ohh? Você tem um crush...?
Liz: Eu queria saber sobre ele, mas eu devo ter sido um pouco agressiva demais...
Guy: O que você quer dizer?
Liz: Bem, eu fiz perguntas demais, e ele não gosta mais de mim... Nós meio que brigamos... Isso... não vai funcionar...
Guy: Hmm... então, basicamente, ele não gosta de ser feito perguntas, huh?
Liz: Sim... ele não quer falar sobre si mesmo.
Guy: Algum exemplo?
Liz: Huh...?
Cerim: Não diga a ninguém sobre isso.
(Eu não posso dizer a ninguém.)
Liz: T-Tipo, a comida favorita dele.
Guy: Sério...?
Liz: E-E sobre a família dele! Tipo, se ele tem irmãos...!
Guy: Você está brincando...?
Liz: Eu fui estranha...?
Guy: Mais que estranha... você só perguntou demais.
Liz: Ahh, eu sabia...
Guy: Nah, o problema aqui é o cara em questão.
Liz: Huh...?
Guy: Quero dizer, ele não está assustado?
Liz: Assustado...?
Guy: Ele não está assustado das pessoas o conhecendo? Essa é a impressão que eu tenho. Pode ser por isso que ele está agindo todo difícil para te manter longe. Então eu não acho que ele está realmente bravo com você.
Liz: Oh, pode ser isso. O que eu deveria fazer?
Guy: Que carente você é...
Liz: Desculpe... mas, você é alguém com quem eu posso conversar sobre qualquer coisa, então...
Guy: Qualquer coisa, huh...? Bem, que tal você continuar pressionando teimosamente?
Liz: Huh?! Mesmo depois de ele ter me afastado tão forte?!
Guy: Você não é o tipo de continuar com isso, de qualquer maneira? Se você chegou tão longe, ele não pode te odiar mais. Ele pode abrir seu coração eventualmente.
Liz: Hmm... você pode estar certo...
Guy: Faça seu melhor lá. E se explodir no seu rosto, venha para mim.
Liz: *Risadinha* Você vai me confortar?
Guy: ... Eu tentarei pelo menos te pagar algo doce.
Liz: *Risadinha*! Essa é uma promessa!
Guy: Sim... uma promessa.
Dizer a Guy sobre isso me fez sentir um pouco melhor.
(Deixe-me... continuar com isso por mais um tempo. Não desistir ainda.)
“Telefone Mágico”: Um item essencial para qualquer estudante. Se você tem um desses, pode falar com as pessoas imediatamente, não importa quão longe eles estejam! É um pequeno fonógrafo, e você apenas pressiona os números na parte inferior para conectar com a outra pessoa. Eu tenho que comprar um na minha próxima visita à cidade!
Esse é o fim do capítulo 5. Até a próxima! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário