13 de julho de 2017

[SWD] Wizardess Heart: Cerim (capítulo 6)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Wizardess Heart. Espero que gostem! :)

(Série Princesa de Cristal) Cerim – Dia 6: A Flor de Cristal
Luz brilhou fortemente no quieto lago. Os únicos sons que encheram ao ar era os pios dos pássaros e o gentil vento soprando. Era um lago que eu tinha visto em algum lugar antes. Esse era... o lago ao lado da escola? Eu estava sentando perto de alguém na grama. A pessoa ao meu lado era...
Saella: Eks... Eu apenas quero ficar assim para sempre... Eu quero ficar com você assim para sempre num mundo pacífico.
Eks: Nós podemos ficar assim, para todo o sempre...
Saella: Você está certo, nós podemos sempre ficar juntos assim...
Eks: ... Por que você trouxe isso à tona tão de repente...?
Saella: Eu não sei, mas... Eu sinto um estranho ressoar em meu peito.
Eks: Você ficará bem, eu estou com você.
Eks, então, pegou minha... não, a mão de Saella.
Saella: Obrigada, Eks...
Eks: Você pode cantar para mim...?
Saella: É claro...
Eu respirei fundo antes de fechar meus olhos.
Saella: Teranscu arumo domiruleh otaapurey kupas etenium...
Eu cantei lindamente. Mas aquela canção...
Liz: ...
Eu acordei e lentamente me levantei.
Liz: ... Aquele sonho de novo.
(Mas o sonho da noite passada foi tão... pacífico... E aquela canção... era tão maravilhosamente linda...)
Liz: Bem... hora de acordar.
Eu saí da cama e me espreguicei. Eu abri as cortinas e deixei a luz do sol entrar no meu quarto.
Amelia: Hmm...?
Amelia, parecendo infeliz pela luz entrando, puxou seus cobertores sobre sua cabeça.
Liz: Vamos, Amelia! Você tem que se levantar ou vai se atrasar.
Amelia: Atrasar? Para o quê...?
Liz: Para o quê? Para a escola.
Amelia: Ohh... Liz, você não sabia...?
Liz: Não sei o quê...?
Amelia: Não tem aula hoje.
Liz: O quê, sério?!
Amelia: Sim, então... deixe-me dormir um pouco mais... E hoje nós podemos comer no dormitório quando quisermos.
Amelia, então, se virou e se enterrou ainda mais fundo debaixo dos cobertores.
Liz: Sério...? Sem aulas hoje...?
(Eu já acordei... Parece um verdadeiro desperdício...)
Liz: *Bocejo*...
Eu sentei nos degraus para a porta da frente do dormitório e encarei o jardim.
Liz: O que eu estou fazendo? É meu dia de folga...
Meu coração doeu novamente quando eu pensei no que tinha acontecido com Cerim ontem. Eu coloquei minha cabeça em meus joelhos e sentei lá.
Liz: Ohhh, eu não aguento mais isso...
(Por que as coisas estão ficando assim tão ruins...?)
Eu fechei meus olhos por um pouco e fiquei completamente parada.
???: Ei!
Liz: Hmm...?
Eu ouvi uma voz familiar e lentamente abri meus olhos.
Liz: Ronny...?!
Ronny: Olá...
Liz: Ronny... O que você está fazendo aqui?!
Ronny: O que eu estou fazendo aqui? Não é como se eu quisesse vir para cá!
Liz: Então por que você está...?
Ronny: É sobre ontem.
Liz: Ontem...? O quê, você veio todo o caminho para me calar? Não se preocupe, eu não vou...
Ronny: Não é isso! Mestre... ele quer ver você. Ele quer falar sobre o que aconteceu ontem.
Liz: Huh...?
Ronny: E ouça, eu não estou aceitando nada disso! Eu só vim aqui porque meu mestre me ordenou!
Liz: Cerim... Ele está me chamando?
Ronny: Eu acabei de te dizer isso!
Liz: On-Onde?!
Ronny: Apenas se cale e venha comigo!
Ronny, então, saiu correndo.
Liz: Oh! Espere...!
Eu me apressei atrás dele.
Liz: Ronny...! Você está indo rápido demais! *Arfa*
Ronny: Você só é devagar!
Liz: Caramba... *Arfa*...
Eu coloquei minhas mãos em meus joelhos e estava tentando recuperar meu fôlego.
Cerim: Liz...
Liz: ...!
Eu imediatamente levantei minha cabeça para encontrar Cerim lá.
Liz: Cerim...!
Cerim: Obrigado por vir.
Liz: D-De jeito nenhum! Eu não tinha nada para fazer, de qualquer forma! Então, uh... você queria me ver sobre ontem...?
Cerim: Sim...
Cerim coçou sua bochecha, como se o que ele estivesse prestes a dizer era difícil de sair.
Cerim: Um... ontem, eu fui longe demais.
Liz: Huh...?
Cerim: Eu estou dizendo que sinto muito.
Liz: Cerim... Não, eu estou bem! Quero dizer, eu sinto muito, também...
Cerim: Você... não está brava?
Liz: Não! Na verdade, eu estou feliz que você se desculpou. Obrigada.
Cerim: Bom.
Cerim sorriu, parecendo aliviado.
Ronny: Eca!
Ronny tirou sua cabeça do ombro de Cerim, como se não estivesse tendo nada disso.
Liz: Obrigada por me trazer aqui, Ronny.
Ronny: O-O quê?! Cale-se!
Ronny logo se escondeu em algum lugar.
Liz: Oh, Ronny...
Cerim: Eu acho que ele está sendo tímido.
Liz: Huh...?
Cerim: Isso é apenas como ele é.
Liz: Eu não tive essa impressão, no entanto...
Cerim: Ele apenas tem muita dificuldade em ser honesto.
Liz: Haha... nesse caso, isso é fofo...
Cerim: Eu acho que ele gosta de você, Liz.
Liz: Mesmo?
Cerim: Sim. Eu o conheço a muito tempo, então eu posso dizer.
Liz: ...E você, Cerim?
Cerim: Eu...?
Liz: O que... você pensa...
Antes que eu possa terminar minha frase, eu engoli minhas palavras.
(Espere, sério...?!)
Então...
Luca: Hmm? Cerim e Liz?
Liz: Oh... Luca!
Luca: O que vocês dois estão fazendo aqui?
Liz: Oh, uh, nós... acabamos de nos encontrar! Certo?
Cerim: S-Sim...
Luca: Hmm...?
Luca respondeu ceticamente e olhou para nós dois.
Liz: Luca, o que você está fazendo aqui, de qualquer modo?
Luca: Eu? Nada, mesmo. Apenas passeando. Algumas vezes, você encontra informações bem interessantes quando passeia.
Liz: Informações...?
Luca: Tipo, quem está saindo com quem.
Liz: ...!
Foi quando eu percebi o sorrisinho de Luca.
Liz: N-Nós não estamos saindo, ok?!
Luca: Oh? Então por que você está entrando em pânico assim?
Liz: Porque você disse algo estranho...!
Luca: Mesmo...?
(Ele está me olhando tão ceticamente...)
Luca: Então, o que vocês dois estão fazendo?
Liz: O quê? N-Nada...
Luca: Ei, eu ouvi que algumas plantas raras na estufa estão florescendo.
Liz: Oh? Sério?
Luca: Sim. Elas são chamadas Flor de Cristal. É transparente. Se eu me lembro bem, apenas floresce uma vez a cada dez anos.
Liz: Uau! Isso parece maravilhoso!
Luca: A estufa está aberta hoje, que tal vocês dois checarem?
Liz: Cerim, o que você diz?
Cerim: Vamos tentar.
Liz: Sim!
Luca: Bom, bom. Eu acho que isso é para melhor. Bem, vão se divertir.
Luca saiu andando, sorrindo o caminho inteiro.
(Ele deve ter dito a ideia errada! Eu só espero que ele não espalhe nenhum rumor estranho...)
Liz: Bem, nós devemos ir?
Cerim: Sim...
Nós começamos a andar, lado a lado. Meu coração estava batendo forte. Nós estávamos tão perto que nossas mãos estavam quase se tocando. Eu podia sentir o calor de seu ombro, fazendo minha temperatura aumentar. Bem quando eu estava pensando, meu dedo se esfregou contra sua mão.
Liz: ...!
Meu coração pulou, e minhas bochechas se esquentaram.
Liz: ...!
Reunindo minha coragem, eu apertei a mão de Cerim.
Cerim: ...
Cerim me olhou surpreso, e inclinou sua cabeça.
Cerim: Algum problema?
Liz: U-Um...! Eu apenas... quis dar as mãos...
Cerim: ...Mãos? Por quê...?
Liz: P-Por quê...?
(Ahh...! Quão denso é esse cara?!)
Cerim: Você é como uma criança, Liz.
Cerim disse quando segurou minha mão.
Liz: ...!
Cerim: Não é como se você fosse se perder...
Liz: M-Me perder...?
(Sem chance... Tipo, romance não existe para esse cara... Mas, ei...)
Eu olhei de relance rapidamente o rosto de Cerim.
(Eu consegui segurar a mão dele, e isso é uma coisa boa.)
Liz: Uau... está quente aqui dentro.
Cerim: Eles mantêm a estuda em temperaturas tropicais o ano inteiro. Eles crescem raras plantas tropicais de regiões distantes de Gedonelune.
Liz: Uau...! Há tantas plantas que eu nunca vi antes...
Cerim: Há flores que mudam de cor do dia para a noite... ...flores cheias de espinhos, flores que parecem rostos de animais...
Liz: Elas realmente são todas únicas... Mas qual delas é a Flor de Cristal?
Eu ansiosamente olhei ao redor da área.
Cerim: Não é aquela ali?
Eu olhei para onde Cerim apontou para encontrar uma flor transparente florescendo, qual era tão grande quanto a palma de minha mão.
Liz: Uau...!
Eu corri para a Flor de Cristal.
Vista de perto, era transparente o suficiente que você poderia ver o outro lado. Ela brilhava na luz do sol. Eu pude sentir um fraco e doce aroma.
Liz: Que linda flor... é como se fosse feita de cristal. E tem um aroma ótimo.
Cerim: ...Isso é incrível. Eu nunca soube que haviam flores assim por aqui.
Liz: Parece realmente frágil. Eu tenho medo de que ela vai quebrar se eu tocá-la.
Cerim: ...Sim, certo.
Cerim encarou aquela flor com uma expressão suavemente entristecida em seu rosto.
Liz: Cerim...
Cerim: Hm...?
Quando eu o chamei, ele me olhou de volta com seu rosto habitual.
Liz: Uh... nada.
(Eu estava apenas imaginando...?)
Cerim: Uma vez a cada dez anos, huh...?
Liz: Significa que a última vez que floresceu foi há dez anos.
Cerim: Então há dez anos, alguém deve ter visto essa flor neste mesmo lugar...
Eu poderia ver muito fracamente uma reflexão de Cerim e eu nas pétalas da flor.
Cerim: Quer sentar um pouco?
Liz: Claro.
Nós dois sentamos um ao lado do outro num banco próximo.
Liz: Eu estou surpresa por quão quieto Ronny esteve este tempo inteiro.
Cerim: Sim... ele está dormindo.
Então, Cerim me mostrou a parte de trás de sua cabeça. Eu vi Ronny lá, habilmente embrulhado e adormecido.
Liz: ... É impressionante que ele consegue dormir nessa posição.
Cerim: Algumas vezes, ele cai meio acordado.
Liz: Pfft... ahahaha! Sério?!
Cerim: Sim. Mas esse cara não acorda uma vez que adormece, cair de minhas costas não o acorda.
Liz: Pfft... ahahaha! Agora isso é um talento!
Cerim: Uma vez, eu não percebi que ele tinha caído e apenas o deixei lá e voltei ao meu quarto...
Liz: Pfft... ahaha! Isso é tão triste! Eu não deveria ter rido.
Cerim: Ronny pareceu que queria chorar.
Liz: Haha!
Cerim: Pff... haha!
Cerim riu junto comigo.
Cerim: Seu sorriso realmente é notável.
Liz: Huh...?
Cerim: Eu te disse isso antes, mas quando você sorri, eu termino sorrindo também. Parece que seu sorriso tem algum tipo de poder mágico.
Liz: S-Sério...?
(Eu estou feliz de ouvir isso...)
Liz: Ei, Cerim.
Cerim: Hmm...?
Liz: Você tem alguém com quem passeia? Tipo, nos seus dias de folga...?
Cerim: Não, ninguém.
Liz: Ninguém...?
Cerim: Eu estou geralmente sozinho.
Minha imagem de Cerim na escola flutuou à minha mente. Ele sempre iria trocar cumprimentos com todos, mas eu nunca o vi com outra pessoa.
(E parece que ninguém realmente conhece Cerim...)
Liz: Mas, por quê...? E seus amigos?
Cerim: Não realmente tenho alguém que eu poderia chamar de amigo. Eu sempre cumprimento meus colegas de sala e tenho pequenas conversas... mas apenas isto.
Liz: E seu colega de quarto?
Cerim: Não converso muito com ele. Eu apenas falo o que eu preciso. O resto do tempo, nós tentamos não nos envolver um com o outro.
Liz: Você não está... solitário?
Cerim: Solitário...? Hmm. Não posso dizer que me sinto solitário, é mais fácil estar sozinho.
Liz: É mais fácil estar sozinho...? Eu fico solitária muito facilmente, então eu não acho que poderia aguentar isso. Quero dizer, eu sempre termino querendo estar ao redor das pessoas.
Cerim: E você? Fez amizade com alguém desde que chegou aqui?
Liz: Sim! Eu fiz amizade com alguns dos meninos... e eu me dou muito bem com as meninas na minha sala. Eu sou muito próxima de minha colega de quarto Amelia, também!
Cerim: Você certamente é notável... ser capaz de se dar bem com alguém tão rapidamente.
Liz: Sério...? Eu não acho isso, no entanto.
Cerim: Como você faz amigos?
Liz: Mmm, boa pergunta... Eu revelo quem eu sou para eles?
Cerim: Você gosta de revelar quem você é?
Liz: Hmm... Eu não acho que gosto. Eu ainda quero que as pessoas me conheçam, no entanto. Mas se eu revelar quem eu sou, eles me mostrarão quem são. E então nós podemos nos dar melhor, eu acho.
Cerim: ...
Cerim se manteve quieto e apenas encarou no espaço.
Liz: Oh... desculpe! Não é como se eu quisesse que você me diga tudo sobre você, ou algo assim. Você tem suas próprias regras, Cerim... e eu sei que não deveria me intrometer. Então eu não farei mais perguntas.
Cerim: Liz.
Liz: ... Isso nos ajudaria a ficar amigos? ... Ou é egoísta demais de mim?
Cerim: Não, de jeito nenhum. Eu quero permanecer amigo com você, também.
Liz: Sério?!
Cerim: Sim...
Liz: Então... nós ainda somos amigos?
Cerim: Amigos...? Hmm. Sim, você pode dizer isso.
Liz: Yay! Nós somos amigos!
Cerim: Isso parece estranho... Eu nunca fiz um amigo antes.
Liz: Então eu sou sua primeira amiga!
Cerim: Isso você é.
Liz: Eu estou honrada de ser sua primeira amiga!
Cerim: Não precisa ser tão dramática.
Cerim sorriu suavemente. Quando eu vi seu sorriso, meu peito se apertou.
(Mesmo se eu começar de ser amigos, eu quero ficar mais perto dele pouco a pouco...)
Liz: Obrigada por hoje. Eu me diverti muito.
Cerim: Eu também.
Nós olhamos nos olhos um do outro e sorrimos.
(Eu estou tão feliz que consegui conversar com Cerim hoje.)
Cerim: Ei... Liz.
Liz: Hm?
Cerim: Sobre ontem... Você não disse a ninguém, certo?
Liz: É claro que não. Você pode confiar em mim. Eu nunca iria trair você assim...
Cerim: Ahhh...
Cerim soltou um suspiro aliviado.
Cerim: Eu acho que posso acreditar em você, Liz. Você não mente. Então... Eu confio em você.
Liz: Sim. Confie em mim.
Cerim: Você... parece diferente de qualquer outro.
Liz: E-Eu pareço...?
Cerim: Você é diferente de todas as pessoas que eu conheço.
Liz: Cerim...
Cerim: Eu... posso provavelmente confiar em você.
Liz: Obrigada... Eu estou tão feliz de ouvir isso.
Cerim: Em qualquer caso, sobre ontem... Não, sobre antes disso, também... Eu sinto muito.
Liz: Está tudo bem, sério.
Cerim: Bem, eu verei você amanhã.
Liz: Sim... até amanhã.
Eu observei Cerim sair andando.
(Ahhh... Eu me apaixonei por Cerim.)
Amelia: Ohhh, então você foi num encontro com Cerim hoje, huh?
Liz: Um encontro...? Não foi assim.
Amelia: Mas foi apenas vocês dois, certo?
Liz: Bem, isso é verdade, mas...
Amelia: E parece que estava indo bem, certo?
Liz: Bem, claro, mas...
Amelia: Então, qual é o problema?
Liz: Bem, veja, Cerim é muito denso.
Amelia: Huh? Você quer dizer que ele é um pouco devagar com pistas?
Liz: ... Não apenas um pouco devagar. Eu acho que sou muito fácil de ler...
Amelia: Ahh, eu entendo... um menino denso, huh? Parece que você tem um trabalho bem difícil para fazer. Pessoas assim nunca entenderiam como você se sente.
Liz: M-Mesmo...?
Amelia: Sim, eu acho que sim.
Liz: Você tem um ponto...
Eu soltei um profundo suspiro e afundei meu rosto em meu travesseiro.
(Isso vai demorar muito, muito tempo...)
Bem então, uma nota mágica flutuou em minha direção.
Liz: ... Uma nota mágica?
Então, ela caiu em minha mão.
Amelia: É-É de Cerim?!
Liz: E-Eu não sei...
Meu coração batendo forte, eu abri o papel.
Liz: Oh... é de Guy.
Amelia: Awww...
Liz: E-Ei, isso não é legal com Guy...
Amelia: Verdade, verdade, mas... Guy é realmente grudado em você também, Liz.
Liz: Sério? Ele é?
Amelia: Ele não gosta de você?
Liz: Hah! Sem chance! Eu quero dizer, tipo, ele é apenas um amigo.
Amelia: Mesmo...?
Eu, então, leio a nota mágica de Guy.
“...Eu vim te levar para passear hoje, mas você não estava em seu quarto. Ah, bem. Eu te levarei na próxima semana. Guy.”
Aquela era a mensagem dele.
Liz: Huh... Guy veio me levar para passear...?
Amelia: Tinha que ser para um encontro!
Liz: Sem chance! Ele provavelmente apenas queria passar um tempo comigo.
Amelia: Talvez...?
Liz: Amelia, você só está exagerando!
Eu a acalmei enquanto sentava em minha mesa.
Amelia: Estudando novamente hoje? Você realmente está trabalhando duro.
Liz: Sim, eu tenho que acompanhar! Eu quero ficar nessa escola...
Amelia: Haha, você conseguirá, Liz! Faça seu melhor! Eu vou dormir.
Liz: Boa noite, Amelia.
Eu abri meu livro-texto e caderno e comecei a estudar.
(Se não, eu terminarei longe de Cerim... E isso é a última coisa que eu quero! Então eu devo passar no teste, não importa o quê!)
Eu queria me desculpar. Eu normalmente não me importo muito com as pessoas, mas... ela é diferente. Por alguma razão, eu senti que tinha que me desculpar. Eu me diverti muito estando com ela hoje. Talvez... amigos não são assim tão ruins.
Esse é o fim do capítulo 6. Até a próxima! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário