16 de julho de 2017

[SWD] Wizardess Heart: Cerim (capítulo 7)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Wizardess Heart. Espero que gostem! :)

(Série Princesa de Cristal) Cerim – Dia 7: Rachaduras
Então aconteceu novamente. Estava escuro e frio. Eu não conseguia me mover... E alguma coisa parecia estranha desta vez. Eu senti algo aterrorizante vindo em minha direção. Ainda, eu não conseguia nem mesmo levantar um dedo.
Saella: Não... pare... Pare...! Alguém... venha... me... ajudar...! ... Por favor!
Liz: ...!
Eu pulo para fora da cama quando acordei.
Liz: *Arfa* O que foi aquele sonho...?
Minhas mãos tremiam, e suor desceu por minha testa.
(Que sonho terrível...)
Liz: Mmm! Ótimo clima hoje!
Eu me espreguicei e olhei para o céu azul.
(Aquele sonho me deixou agitada, mas quando eu penso sobre ontem, eu me sinto muito melhor!)
Eu estava tão feliz que minha boca naturalmente se transformou num sorriso.
Guy: Ei, Liz. Bom dia.
Liz: Oh, Guy! Bom dia.
Guy: Eu fui no seu quarto ontem.
Liz: Sim, desculpe por eu não estar em casa... obrigada pela nota mágica, no entanto.
Guy: O que você estava fazendo?
Liz: Haha... bem, um pouco disso e daquilo.
Guy: Você parece estar de bom humor hoje.
Liz: Hehe...
Guy: Alguma coisa boa aconteceu?
Liz: *Risadinha*...!
Guy: Alguma coisa definitivamente aconteceu. Está escrito por todo o seu rosto. Aquele cara que você gosta?
Liz: Um, sim... Eu tive um pouco de progresso ontem.
Guy: Espere... Vocês dois estão saindo?
Liz: S-Sem chance! É mais tipo, nós somos amigos agora.
Guy: Sério...? Você está chamando isso de progresso?
Liz: Eu estou! Ele não me considerava uma amiga até ontem...
Guy: Hmm... Então, você deu um passo à frente, então.
Liz: Sim! Eu vou perguntar a ele para passear depois da aula hoje.
Guy: Então você está indo com tudo, huh?
Liz: Eu acho... Isso demoraria bastante, você não tem ideia do quão denso ele é...
Guy: Denso, huh...? Heh, eu acho que você mesma é bem densa.
Liz: Huh...? Eu sou?
Guy: Sim, você é.
Liz: Sem chance! Eu não sou densa!
Guy: Oh, não...?
Liz: Qu-Quê?!
Guy: Oh, nada... De qualquer forma, faça seu melhor. E se der errado, eu estou aqui.
Liz: *Risadinha* Sem brincadeira!
Guy: Vê, você é densa.
Liz: Huh?
Guy: Vamos, nós não queremos nos atrasar para a aula.
Liz: Oh! E-Espere...!
Eu tentei correr atrás de Guy.
Cerim: Liz.
Liz: Oh! Cerim!
Cerim: Bom dia.
Liz: Bom dia!
Guy: ... Ei, eu... acabei de me lembrar de algo. Eu vou na frente.
Liz: Huh? Sério?
Guy: Bem, até mais tarde.
Guy rapidamente saiu andando.
Cerim: Seu amigo... está bem?
Liz: Sim, ele está bem.
Cerim: Ok...
Liz: Ontem foi muito divertido. Obrigada por aquilo.
Cerim: Oh, eu também me diverti.
Ronny: Jogando sujo e tentando se aproximar do meu mestre enquanto eu estava dormindo!
Liz: O que você quer dizer, sujo?! É sua culpa por dormir daquele jeito!
Ronny: Eu estava com sono! Não havia como ajudar!
Liz: Certamente é fofo, dar um cochilo assim.
Ronny: Por que, sua...! Zombando de mim!
Liz: Hmph!
Ronny: Grr!
Cerim: Haha! Vocês dois se dão muito bem.
Liz: Qu...?!
Liz e Ronny: Nós não nos damos bem!
Minha voz perfeitamente sincronizou com a de Ronny.
Ronny: ...
Liz: ...
Cerim: Hahaha!
Cerim explodiu em risadas.
(Ele riu de mim novamente...)
Cerim: Haha... vocês dois são feitos um para o outro.
Liz: P-Pare de me provocar...! Oh, é mesmo! Cerim!
Cerim: Hm? O que é?
Liz: Hoje... quer voltar juntos depois das lições?
Cerim: ...
Liz: Oh... sim, eu imaginei.
Ronny: É claro que ele não iria! Quem você pensa que é?!
Cerim: Claro, por que não?
Liz: Huh...?!
Ronny: O quêêêêêê?!
Liz: Sério?!
Cerim: Sim. Eu estarei esperando na grande escadaria depois da escola.
Liz: Ótimo!
Ronny: Mestre! Você vai seriamente voltar com essa garota?! Você não enlouqueceu, certo?!
Liz: Haha, que pena, Ronny!
Ronny: Gahhhhhh! Tome isso! Canhão de bolota!
Ronny berrou e jogou bolotas em mim.
Liz: Oh! Ei! Isso dói! Pare!
Ronny: Cale a boca! Cale-se logo!
Liz: Você não pode jogar coisas em mim porque perdeu! Isso não é justo!
Cerim: Por que você está jogando-as fora? Essas bolotas não eram seu café da manhã?
Ronny: O quê?!
Ronny rapidamente parou seu bombardeio e desceu correndo pelo ombro de Cerim. Ele desesperadamente coletou as bolotas que tinha jogado.
(Por que ele as jogou em primeiro lugar...?)
Cerim: Vamos, Liz. Você não quer se atrasar.
Liz: O-Oh, claro!
Ronny: E-Espere! Mestre! Espeeeereee!
Liz: *Risadinha*
(Eu não consigo parar de sorrir...)
Luca: Bom dia, Liz. E bom dia para você também, Cerim.
Cerim: Bom dia.
Luca: Então, como foi ontem?
Liz: Foi lindo! Não foi, Cerim?
Cerim: Sim.
Liz: Nós estávamos totalmente absorvidos por ela. Obrigada por nos dizer sobre ela!
Luca: Oh, de jeito nenhum... Sim... sim...
Luca nos observou e assentiu.
Liz: Q-Quê?
Luca: Alguma coisa aconteceu?
Liz: O qu...?!
Quando eu vi Luca sorrindo, eu entendi.
Liz: Bem... uh...
Luca: Oh, eu vejo. As coisas devem ter ido bem.
Liz: N-Não, você entendeu tudo...!
Luca: Liz, não precisa negar. Está escrito por todo seu rosto.
Liz: N-Não, não está...!
Cerim: O que foi bem?
Liz: Huh...?! N-Nada!
Luca: Cerim, é você e Liz que foram bem.
Cerim: Eu e Liz?
Liz: Ugh...!
(Estúpido Luca!)
Cerim: Verdade... Nós nos aproximamos. Nós nos tornamos amigos.
Luca: Amigos...
Liz: ...
(Ele... não entende a mensagem de Luca... mesmo.)
Luca: Eu vejo... Liz vai ter um tempo bem difícil, huh?
Luca, então, me deu um tapinha no ombro.
(Ele está... com pena de mim...!)
Bem então, uma mensagem apareceu no quadro-negro.
Liz: O que ela diz...?
A mensagem nos dizia que a lição de hoje seria realizada no pátio.
Cerim: Pátio? Vamos.
Liz: Sim.
Esperando por nós no pátio não estava um professor, mas Vincent.
Vincent: Certo, parece que todos estão aqui. Eu serei seu professor pelo dia. Nós vamos focar em praticar magia de ataque. Agora, existe uma imensa quantidade de magia de ataque. Alguns feiticeiros combinam elementos para fazer sua magia original. Hoje, nós vamos combinar um elemento com um machado. Vamos falar sobre esse machado primeiro. Vocês vão combinar seus elementos com machados de lançamento. Então, Liz!
Liz: E-Eu...?
Vincent: Qual dos seguintes é o nome deste machado de lançamento?
Liz: Uma francisca...?
Vincent: Sim, é isso! Franciscas são usadas primariamente para lançar. Bom trabalho em escolher.
Liz: Yay!
Vincent: Eu deixarei o elemento ao critério de todos. Há alvos na frente de todos, use sua magia para fazer os machados atingirem o centro dos alvos, certo? Vão em frente e comecem em pares.
Todo mundo se separou sem desperdiçar nenhum tempo.
Liz: Hmm... com quem eu deveria me juntar? Eu vou me juntar com Cerim!
Eu rapidamente corri para Cerim.
Liz: Cerim!
Cerim: Hmm...?
Liz: Você já escolheu um parceiro?
Cerim: Não... ainda não.
Liz: Que tal se juntar comigo?
Cerim: Claro, isso parece bom.
Liz: Yay!
Cerim: Então, quem vai primeiro?
Liz: Você vai na frente e faz a primeira tentativa!
(Eu não acho que eu possa conseguir, de qualquer jeito...)
Cerim: Certo.
Cerim tirou sua varinha e a preparou.
Cerim: Arsha Ventos!
Cerim encantou o feitiço e balançou sua varinha, fazendo um machado de vento voar com incrível velocidade. Então, ele impressionantemente atingiu o alvo bem no centro.
Liz: Wh-Whoa...
Cerim: ... É seu turno, Liz.
Liz: S-Sim...
(Eu realmente posso... conseguir...?)
Eu preparo minha varinha e respiro fundo.
Liz: Oh vento, torne-se um machado que pode cortar por tudo! Arsha Ventos!
Eu encantei o feitiço e balancei minha varinha. Um sopro de fumaça surgiu do alvo.
Liz: Uh-oh...
(Eu já tenho um mau pressentimento...)
Então, o alvo começou a balançar.
Liz: Ahhh...!
Antes que eu soubesse, o bastão onde o alvo descansava começou a aumentar.
Liz: Sem chance...
Ele continuou crescendo... Num instante, ele tinha crescido mais alto que uma árvore.
Liz: Sem chance...! Vamos, pare!
Não importa como eu balançava minha varinha, o bastão do alvo não iria parar de crescer.
Liz: Ahhhh...!
Eu entrei em completo pânico.
Cerim: Pfft... ahaha!
Liz: Qu...! C-Cerim! Não fique aí rindo, me ajude!
Cerim: Mas é... é a primeira vez que eu vi algo como ISSO! Haha!
Liz: C-Cerrriiimmm...!
(Que constrangedor...)
Cerim: Que feiticeira interessante você é, Liz.
Vendo Cerim rir tanto que lágrimas estavam saindo de seus olhos, meu peito se apertou.
(Quando eu vejo um sorriso assim... não há muito que eu possa fazer.)
Eu me perdi olhando Cerim.
Cerim: Então, uh... você não deveria pará-lo agora?
Liz: Huh?!
Eu olhei de volta ao alvo para ver que ele já alcançou a altura das nuvens.
Liz: Whoa...
(Ele cresceu tão alto...)
Já que eu estava tão desesperada, Cerim trouxe o alvo de volta ao normal. Minha nota para a lição foi tão ruim quanto eu esperava.
Liz: Quando Cerim vai chegar aqui...?
Eu esperei por Cerim no início das escadas. Meu coração estava batendo forte.
(Ele não apareceu para as lições da tarde hoje... Mas ele ainda está vindo, certo?)
Eu comecei a me sentir nervosa.
Cerim: Liz.
Liz: Oh! Cerim!
Cerim desceu da escadaria.
Cerim: Desculpe pela espera. Eu apenas tive que cuidar de algo.
Liz: Oh, ei, sobre a lição da tarde...
Eu fechei minha boca antes de terminar a frase.
(Oh, é, ele não gosta de ser perguntando sobre as lições da tarde...)
Cerim: O quê...?
Liz: O-Oh, nada! Vamos indo!
Cerim: Sim.
Ronny: Eca!
Ronny estava estufando seu rosto com uma bolota no ombro de Cerim, amuando tanto quanto podia.
(Ele está amuando tanto...)
Eu andei ao lado de Cerim.
???: Ahhhh ahhh gahhhh! Saia do caminho, Taffy vem!
Uma voz apareceu do nada.
Liz: Huh?
Eu parei e olhei ao meu redor. Uma macia sensação me atingiu, e minha visão ficou completamente escura.
Liz: Guh...! Mmm?!
(Eu não consigo respirar!)
Eu apressadamente coloquei minha mão em meu rosto e peguei algo macio.
Liz: Mmmguhguh?!
(O que É isso?!)
Eu o tirei de meu rosto para respirar novamente.
Liz: Ufa...! Eu achei que ia morrer!
???: Taffy... quase morto...
Liz: Hm...?
A coisa que eu tirei de meu rosto era um fofo ursinho estufado.
Liz: Ei, isso é adorável!
???: Mm...?
O urso estufado abriu seus olhos e olhou em minha direção.
Liz: E-Ele se moveu?!
???: Taffy não quem...?!
O urso estufado inclinou sua cabeça e olhou bem para mim com seus olhos redondos.
Liz: Ahhh! Tão fofo! Espere, um urso estufado falante?!
Taffy: Taffy não estufado! Taffy é Taffy!
Liz: Taffy?
Taffy: Sim! Eu familiar do mestre! Hehe!
Observar Taffy falar era tão adorável que um sorriso apareceu em meu rosto.
Liz: Seu mestre...? Você me lembra de alguém que eu conheço, mas você é muito mais fofo.
Ronny: Ei! Você está falando de mim?!
Taffy: Ahh! Que esquilo fofo!
Ronny: Que foi isso?! Esquilo?! Você quer dizer isso na minha cara?!
Ronny latiu enquanto pisava forte para Taffy com uma expressão impossivelmente aborrecido.
Ronny: Eu sou uma criatura mágica completamente! Não me amontoe com você, brinquedo estufado!
Taffy: Taffy é Taffy! Não estufado!
Ronny: Seu mentiroso! Olhe para essas costuras!
Ronny disse enquanto esticava as bochechas de Taffy.
Taffy: Esquilo malvado!
Ronny: Eu não sou um esquilo!
Liz: É como se uma nova batalha tivesse acabado de começar...
(Por que Ronny é agressivo o tempo todo...?)
???: Taffy! Taffy! Onde você está?!
Então, um homem com cabelo rosa fofo veio correndo de longe.
???: Oh! Aí está você, Taffy!
Taffy: Mestre!
Taffy alegremente correu para o homem.
???: Hmm... parece que a Bala de Animal Estufado foi uma falha. Controle não era seu melhor...
O homem falou para si mesmo, inclinando sua cabeça.
Taffy: Taffy tão assustado...
???: Certo, vamos voltar ao laboratório e criar outra ideia!
Quando o homem me percebeu olhando, de boca aberta, ele sorriu brilhantemente para mim.
Randy: O nome é Randy! Você é?
Liz: E-Eu...? Eu sou... Liz.
Randy: Liz, huh... Bem, eu espero ver você novamente algum dia!
Ele, então, me deu doces.
Randy: Até mais!
Então, o homem desapareceu.
Taffy: Até mais!
Ronny: Ei! Urso! Espere! Nós ainda não decidimos isso!
Ronny gritou, correndo atrás de Taffy.
Liz: Ronny...!
Cerim: Vai ficar tudo bem. Ele voltará.
Liz: E-Ele vai...? Eu tenho que dizer, ele certamente era um cara estranho... Você o conhece, Cerim?
Cerim: Não... Eu nunca o vi antes.
Liz: Mesmo...?
Cerim: Isso é estranho... Eu normalmente reconheço as pessoas se ver seus rostos, mas...
Liz: Ele é um estudante transferido...?
Cerim: Quem sabe?
(Randy... Eu espero vê-lo novamente algum dia.)
Cerim: Bem, vamos indo.
Liz: Boa ideia... mas, não é um pouco cedo?
(Nós ainda temos algum tempo...)
Eu dei uma olhada para Cerim. Nossos olhos aconteceram de se encontrar.
(Oh...!)
Liz: T-Talvez nós devemos apenas voltar?
Cerim: Hm?
Quando eu desviei meus olhos, Cerim inclinou seu rosto curiosamente.
Liz: Eu, uh... tenho que revisar as lições de hoje...!
Cerim: Isso é admirável.
Liz: Bem... é mais tipo, eu não vou conseguir entrar na escola nesse ritmo, então...
Cerim: Provavelmente será difícil, mas faça seu melhor. Não se force demais, no entanto.
Liz: S-Sim, obrigada.
(*Suspiro* Eu não tive a coragem de perguntar a ele para sair... Esse foi meu erro...!)
Liz: Parece que é melhor nós irmos dormir...
Cerim: Sim.
Liz: Eu vou sentir sua falta.
Cerim: Você me verá novamente amanhã.
Liz: B-Bem, sim, mas...
Cerim: Por que você exagera, Liz?
Liz: ...
(Ele... realmente é denso...)
Eu queria estar com ele... Eu senti isso enquanto andava pelo caminho ao lado dele. Então...
Cerim: ...!
De repente, os olhos de Cerim arregalaram e ele parou de andar.
Liz: Cerim...? O que está errado...?
Cerim: Não pode ser...
Ronny veio pulando e correu para o ombro de Cerim.
Ronny: Mestre! É uma emergência!
Cerim: Sim, eu posso sentir.
Liz: O que... O que está acontecendo?!
Cerim: Liz, volte ao seu quarto!
Cerim, então, rapidamente saiu correndo.
Liz: Huh? E-Espere...!
Liz: O que eu deveria fazer...? Sabe... Eu tenho que ir atrás dele.
(Não importa se ele gosta ou não, mas eu devo saber o que está acontecendo. Eu não posso apenas deixá-lo sozinho assim...)
Eu persegui Cerim e Ronny todo o caminho até a caverna com a cantora.
Liz: Cerim!
Cerim: O qu...?! Por que você me seguiu?!
Liz: ... Porque eu não podia apenas voltar assim!
Cerim: Você...!
Liz: Eu sinto muito...! Mas, eu tive uma péssima sensação sobre isso... E eu apenas... Eu não podia deixar você sozinho.
Cerim: Liz...
Ronny: Mestre, é uma emergência!
Cerim: O que aconteceu?!
Em pânico, Cerim correu para o cristal da cantora.
Ronny: Aqui...!
Cerim: ...?!
Liz: O que está errado...?
Quando eu me aproximei, eu percebi uma rachadura no cristal.
Liz: Uma rachadura...?
Cerim: Como... Como isso pôde acontecer...?! Se apenas eu estivesse aqui...!
Cerim bateu seu punho na parede da caverna tão forte quanto podia.
Liz: Cerim...!
Eu rapidamente cobri a mão de Cerim. Seus dedos estavam sangrando.
Liz: Oh, não... Por que você...?!
Eu puxei meu lenço e envolvi sua mão com ele. Cerim virou suas costas para mim, afastando minha mão.
Cerim: Deixe-me em paz... Eu... perdi o direito de ser chamado de cavaleiro...
Liz: Um cavaleiro...?
Os pontos tinham finalmente se conectado.
Liz: Espere... Cerim, você é... um cavaleiro Leiado?
Cerim: Sim... bem como você viu naquele livro... Minhas pessoas têm protegido o cristal da cantora por gerações. Esse é o dever de minhas pessoas.
Liz: Eu vejo...
Cerim: Depois das lições, eu viria aqui para checar o cristal. Eu tenho permissão da escola para tudo, é claro. Eles entendem.
Liz: Então... a escola sabe sobre esse cristal...?
Cerim: Sim... o diretor e alguns professores sabem. E que eu sou parte da família Leiado. Mas...!
Ele miseravelmente mordeu seus lábios.
Cerim: Por que há rachaduras no cristal...? Não havia problema algum com ele antes...! Eu tinha uma barreira mágica levantada... Quem possivelmente quebrar...?
Liz: ...!
Então, eu me lembrei de meu sonho nesta manhã.
Liz: Nesta manhã... Eu tive um sonho.
Cerim: Um sonho...?
Liz: Sim... Eu estava aqui gritando. Gritando para algo parar. Eu disse outra coisa, mas minha voz continuava cortando, e eu não podia adivinhar o que estava dizendo. Mas eu estava gritando alguma coisa, desesperadamente.
Cerim: E você está dizendo que essa era a cantora?
Liz: Eu não sei, mas... desde que eu cheguei nessa escola, eu estive tendo sonhos da cantora toda noite. Eu não consigo pensar que é apenas uma coincidência...
Cerim: ... Em qualquer caso, eu tenho que reportar isso. Apenas volte ao seu quarto.
Liz: Ok.
Eu virei minhas costas para Cerim, quem estava apenas de pé ali em choque. Eu virei para vê-lo de vez em quando, mas ele não se moveu nada.
Liz: Cerim...
(Ele... ficará bem, certo?)
Eu tentei me convencer, mas podia sentir uma névoa escura amarrando meu coração.
A Família Leiado: Uma família de cavaleiros que tem protegido a cantora por gerações. Todos que são nascidos um Leiado é criado como um cavaleiro, até mesmo as mulheres! Eu não sei muito sobre essa família, mas talvez Cerim saiba...
Esse é o fim do capítulo 7. Até a próxima! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário