Ephemeral: Shiba (Episódio 5 Romance)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Ephemeral. Espero que gostem! :)


Episódio 5 – Paixão?
Duas semanas tinham passado desde que saí com Shiba — O céu brilhou com a lua cheia, e Shiba desapareceu novamente.
Cloé: Suspiro... (Eu não tinha esse tipo de sensação antes... Por quê?... Só pensar que não verei Shiba até o fim da lua cheia... Há uma sensação que... alguma coisa está apertando meu coração.)
Enquanto eu olho para o assento vago ao meu lado, eu coloco minha mão em meu peito e solto um profundo suspiro. Eu tive uma sensação similar quando perdi o cachorrinho.
Cloé: (Eu sinto um profundo buraco em meu coração... Shiba... Eu quero ver você...) Suspiro...
Quando eu suspirei novamente, alguém cutucou minha cabeça.
Cloé: Oh...
Erica: Oh! Você finalmente se virou. Eu estive te chamando por um tempo, mas você nem mesmo percebeu.
Cloé: Eek!? D-Desculpe...
Nagi: Você estava suspirando o dia inteiro... você está bem? Sente-se doente?
Erica: Sentir-se doente... provavelmente triste? Você parece estar sofrendo de paixão.
Cloé: Paixão...?
Erica: Você sente tanta falta dele assim?
Nagi: E-Erica...
Cloé: Dele...?
-Eu não tenho esse tipo de pessoa. {+20 Final Normal}
{?}
-Quem é esse “ele”? {+20 Final Feliz}
Cloé: Quem é esse “ele”?
Nagi: O que você quer dizer quem, esse é...
Cloé: ...? Nagi, por que seu rosto fica vermelho?
Nagi: Por...Porque...
Erica: É... Nagi não tem que se sentir envergonhado. Cloé, você não pode esconder também. Eu não deixarei você dizer que não percebeu, não desde que esteve olhando para aquele assento ao seu lado e suspirando o dia inteiro.
Cloé: ...? O que você quer dizer?
Nagi: Err... Cloé, você está falando sério?
Erica: Você está brincando comigo... Você realmente não sabe? Eu meio que sinto pena do Shiba agora.
Cloé: Shiba? Você quer dizer que aquele que me faz apaixonada... é Shiba?
Nagi: U-um...
Erica: Você realmente não sabia, não é... Ele passa por tantos problemas, e ainda assim a parceira dele nem mesmo percebe. Hehe, isso deixa tudo mais interessante para assistir, no entanto.
Cloé: Um, eu não realmente entendo... mas não acho que Shiba esteja fazendo algo especial por mim.
Erica: Você está brincando. Eu sabia que Shiba gosta de cuidar dos outros, mas nunca o vi se dedicar a alguém assim.
Nagi: Sim, eu penso isso também. Shiba é geralmente legal com todo mundo, mas aquela é minha primeira vez vendo-o trabalhar tão duro para alguém.
Cloé: Mas... ele disse que metade disso era por um senso de dever.
Nagi: Metade?
Erica: Bem, então qual é a outra metade?
Cloé: Err... um pedido de desculpa e um presente?
Erica: ...O que isso significa?
Cloé: Eu não sei...?
Nós três olhamos uns aos outros e inclinamos nossas cabeças em ponderação.
Cloé: (O que isso significa, exatamente? Toda vez que eu o perguntava, ele apenas corria deste assunto. Eu acho que ele não deve querer me contar.)
Erica: Bem... isso não importa. Então? Por quanto tempo você está planejando apenas encarar aquele assento vago?
Cloé: O quê?
Nagi: A aula está terminada por hoje. Todo mundo já foi para casa.
Cloé: Oh... quando todo mundo saiu?
Erica: ...esse é um caso bem sério. Que tal fazer outras coisas para tirar sua mente disso? Eu quero acompanhar você... Mas hoje, o professor me pediu para fazer algo, então eu não posso estar com você.
Nagi: Eu também tenho algo para fazer hoje, então não posso estar com você também. Mas... Estou preocupado com você. Essa é a minha primeira vez vendo você triste assim...
Cloé: Não diga isso. Seus pensamentos são suficientes. Obrigada. Além disso, eu estou bem, sério. Eu acho que minha cabeça está nas nuvens um pouco... Hmm... Talvez eu me sinta um pouco solitária já que Shiba não está aqui. Mas eu ficarei bem, são apenas três dias.
Nagi: Cloé...
Cloé: Eu irei para a biblioteca e lerei alguns livros antes de ir para casa. Eu ficarei bem depois que mudar meu ritmo um pouco.
Erica: Se você diz. Bem, eu tenho que ir agora. Vejo você amanhã, Cloé.
Nagi: Eu tenho que ir também. Anime-se, Cloé. Vejo você amanhã.
Cloé: Eu irei. Obrigada a vocês dois.
Erica e Nagi saíram da sala de aula enquanto balançavam suas mãos para mim.
Cloé: (Eu os fiz se preocuparem comigo. Eu pensei que estava agindo normalmente... Eu nunca pensei que me sentiria tão vaga que nem mesmo perceberia quando a aula estivesse terminada...)
Eu estapeio minhas bochechas para me dizer para sair dessa.
Cloé: (Apaixonada... Eu? Por Shiba? ...Eu acho que não.)
De alguma forma, eu senti minhas bochechas ficarem quentes, e apressadamente me levantei para limpar isso. Quando andei para o corredor para a biblioteca, eu ouvi alguns sons.
Cloé: ...? (O que é isso... Eu pareço ouvir latidos?)
A voz que ouvi parecia estar um pouco diferente do uivo dos lobos da floresta.
Cloé: Essa voz, talvez seja... Ha... Ha...
Eu apenas corri um pouco, mas já estava sem ar.
Cloé: (Os latidos vieram dali, certo?)
???: Choraaaa...mingo...
Cloé: !! Lá!
Eu ouvi cuidadosamente e fui atrás dos sons dos latidos. Eu finalmente cheguei no pátio traseiro.
Cloé: (Ah...!)
Um cachorrinho: Bau!
Cloé: Meu cachorrinho, eu sabia que deveria ser você!
Um cachorrinho: Ruff?
Eu encontrei o cachorrinho que vi antes num lugar dentro do pátio traseiro, perto da entrada da floresta. Quando eu me aproximei com pressa, o cachorrinho pareceu me notar e alegremente correu para mim.
Um cachorrinho: Au, Au!
Cloé: Uau! ...haha. Você se lembrou de mim?
Eu abracei o cachorrinho quando ele pulou em mim, e então o esfreguei com minhas bochechas para senti-lo.
Cloé: Eu estava muito, muito preocupada com você. Eu me perguntei para onde você tinha ido. Mas eu estou tão feliz que você parece bem.
Um cachorrinho: Au!
Cloé: Haha, me lamber assim faz cócegas. Você foi para a floresta novamente? Mas é tão perigoso durante a lua cheia, então você não pode chegar perto da floresta.
Um cachorrinho: Au?
Cloé: Oh... não faça uma expressão como se não entendesse...
Minhas bochechas derretem num sorriso pelo calor do cachorro que não senti num longo tempo.
Cloé: (Haha, você é realmente fofo!) Ei... venha comigo para meu quarto novamente...
Shiba: Se... você encontrar aquele cachorrinho novamente. Não o leve para o seu quarto da próxima vez!
Cloé: ...? Por quê?
Shiba: Não pergunte, apenas faça como eu digo. Se não puder, então eu não te levarei mais para a cidade.
Cloé: ... (Oh, é mesmo, Shiba disse “Não o leve para o seu quarto da próxima vez”.)
Um cachorrinho: Bau?
Cloé: (Mas se eu o deixar ficar aqui, ele pode ir para a floresta... Eu não deixarei um cachorro tão fofo ser comido pelos lobos!)
O cachorrinho não sabe da luta em minha mente, e apenas agradavelmente balança seu rabo.
Cloé: ...Se eu não contar a Shiba, isso ficará bem.
Um cachorrinho: Bau! Bau-uau!
Cloé: OK! Só faça isso! Venha. Você gostaria de brincar comigo em meu quarto?
Um cachorrinho: Ba-u!
E então— — —
Eu secretamente peguei o cachorrinho de volta ao meu quarto. Bem como o que nós fizemos três semanas antes, nós dormimos na cama juntos, comemos juntos e tomamos banhos juntos. Enquanto passamos tempo juntos, a lua começou a enfraquecer, e o dia que Shiba estava marcado para retornar chegou.
Cloé: Uh... (Oh... É hora de levantar. Hoje é o dia que Shiba retornará... Eu não o vi por três dias... Eu me sinto um pouco feliz. Entretanto, eu preciso me certificar de não o deixar encontrar o cachorrinho...)
Eu lentamente me movi em minha cama e estiquei minha mão para encontrar o cachorrinho que dormiu ao meu lado. Ele ama ser mimado, e especialmente ama ser afagado na cabeça. Então eu me acostumei a afagar sua cabeça enquanto acordava nesses últimos três dias.
Cloé: (Hmm... não está aqui? Para onde ele foi...? Ele não saiu do meu quarto por si próprio de novo, não é...?)
Quando eu movi minha mão na cama para encontrá-lo, eu repentinamente toquei algo quente.
Cloé: Oh... aí está você, cachor...ri...nho...?
Cloé: ...
Shiba: Zz... Zz...
Cloé: ...huh?
Por alguma razão, no lugar onde meus dedos encontraram o calor, deitava Shiba.
Cloé: (O quê? Por quê...? Por que Shiba está aqui...?)
Shiba: ...uh,... uh-huh? Onde eu estou... Oh, merda.
Shiba olhou ao redor do quarto lentamente, e quando viu meu rosto, pareceu entender a situação, e seu rosto se encheu de pânico.
Shiba: Cloé... Não! Espere! Eu preciso que você se acalme e ouça...!
Cloé: Ah...
Eu jogo minha mão no rosto em pânico de Shiba. Ela fez contato com um alto tapa, que foi seguido por um igualmente alto baque quando Shiba caiu da cama.
Esse é o fim do quinto episódio. Até a próxima! :)

Comentários

Mais Vistas ♥