Bad Boys Do It Better: Ryoji (episódio 5)

Oi oi, pessoal! Crys-chan voltou com mais Bad Boys. Espero que gostem! :)


Vários dias passaram desde que Ryoji começou sua suspensão.
Sakura: Ryoji, isso é fundo o suficiente para essas sementes?
Ryoji: Você as separou por tamanho primeiro? Quão fundo você as planta dependerá de seu tamanho.
Sakura: É mesmo?
Ryoji: Cara, você realmente não sabe de nada, não é? Se tudo dependesse de você, eu me pergunto se quaisquer flores floresceriam aqui...
(É... Se Ryoji não estivesse comigo, tudo provavelmente morreria por minha conta.)
Sakura: Estou realmente feliz que você está aqui.
Ryoji: O que você quer dizer com isso?!
Sakura: Porque você sabe muito sobre flores e dá bons conselhos, sabe? Você é realmente confiável, então estou feliz que você está aqui comigo.
Ryoji: ... Oh, ok...
Ryoji se vira para longe de mim. Ele está resmungando alguma coisa, mas eu não sou capaz de entender.
Sakura: Bem, vamos nos apressar e plantar essas sementes!
Ryoji: É... Ei... Você não tem problema com um cara que gosta de flores e tal?
Sakura: Huh?
Ryoji: Quero dizer... Eu estava pensando que isso pode te fazer se sentir estranha ou algo assim.
Sakura: Me sentir estranha?
(O pensamento nunca atravessou minha mente...)
Sakura: Eu não sei sobre outros, mas se um garoto gosta de alguma coisa que eu gosto, eu acho que é realmente legal.
Ryoji: !
Sakura: Além disso, eu acho que é incrível que você gosta de flores. Eu realmente respeito você por saber tanto sobre elas. Na verdade, tem sido uma grande ajuda.
Ryoji: Você é estranha.
Sakura: Mesmo? Eu não acho.
Ryoji: Ei, me dê aquelas sementes ali.
Sakura: Oh, claro.
(Passar o tempo assim todo dia depois da escola com Ryoji no quintal da escola... Eu tenho certeza que ele tentaria agir legal e fingir se alguém descobrisse, mas eu acho que ele voltaria.)
Sakura: Tudo feito aqui.
Ryoji: Então vamos regá-las e ir para casa.
Sakura: E o fertilizante?
Ryoji: É, a primeira fertilização...
Sakura: A primeira fertilização?
Ryoji: Sim, é quando você fertiliza as plantas antes mesmo de elas germinarem. Mas eu tenho certeza que as flores aqui ficarão bem sem um fertilizante.
Sakura: Eu vejo. Nós teremos que apará-las uma vez que os brotos começarem a aparecer, certo?
Ryoji: Sim. Não deve ser um problema contanto que você as verifique de vez em quando.
Sakura: Entendido!
(Eu aposto que Ryoji vai ser ainda mais diligente que eu quando se trata de tomar conta dessas flores.)
Sakura: Eu espero que elas comecem a brotar em breve.
Ryoji: Nós não plantamos nada difícil. Contanto que cuidemos delas, elas irão germinar. De qualquer forma... Eu quero que você me encontre na frente da estação de trem a 1 em ponto amanhã.
Sakura: Huh?
Ryoji: Até mais.
(Para o que ele está dizendo “até mais”? Nós estamos voltando ao mesmo lugar.)
Sakura: Uh, Ryoji! Sobre amanhã...
Ryoji: Você me ouviu! Não me siga!
Sakura: O que deu em você?!
O jantar desta noite é camarão frito com o molho tártaro especial de Nana.
(Mmm... Tão crocante e delicioso! O molho até tem uma pequena acidez nele. Oops! Eu coloquei um pouco demais.)
Yu: Cara, outra garota pediu Akira em namoro hoje! Ninguém nem presta atenção em mim!
Natsuo: O que você pode fazer? Akira é um rapaz bonito. Não é como se isso fosse novidade.
Akira: Bem, estou um pouco perdido ao que fazer. Eu estou encontrando três garotas agora mesmo.
Sakura: Três garotas?!
Keiichiro: Você tem habilidades... Eu nunca poderia descobrir isso.
Ryoji: Não se preocupe com isso.
Nós estamos reunidos na mesa de jantar bem como sempre, mas por alguma razão, Ryoji não olhará para mim.
(Quando ele me disse para encontrá-lo na estação, ele quis dizer como um encontro? Eu percebi que seu rosto estava um pouco vermelho... Foi por causa do pôr do sol? Ele não está doente, está?)
Ryoji: ...
A: “Você quer mais?”
{?}
B: “Você não está se sentindo bem?” {+AC, TD}
Sakura: Ryoji, você está se sentindo doente?
Ryoji: Huh? Por quê?
Sakura: Porque você não está comendo nada dessa deliciosa comida.
Yu: Huh? Ele já não teve três porções?
Ryoji: Sim. Natsuo, me dê mais.
Sakura: Quatro porções?!
(Quando ele comeu tudo isso?!)
Natsuo: Você é um rapaz faminto, não é, Ryoji!
Yu: Ei, Sakura, me dê um pouco, também!
Sakura: O quê? Eu?
Natsuo: Pronto, pronto, amorzinho. Eu pegarei para você!
Yu: Ugh! Se Nana vai fazer isso, eu prefiro fazer eu mesmo!
Natsuo: Ei! O que isso quer dizer?!
Sakura: Oh... Aqui está um pouco mais para você, Keiichiro.
Keiichiro: Oh, desculpe sobre isso. Obrigado.
Yu: Mas o quê! Por que ele é o único conseguindo algum?!
C: Pegar outra porção para mim.
{?}
Nós temos um bom tempo um com o outro no jantar. Bem, exceto por Ryoji, quem parece estar me evitando.
(Alguma coisa aconteceu quando estávamos plantando sementes juntos? Ou é sobre amanhã? Ele não me dirá nada, então estou tão perdida!)
No dia seguinte...
(Faltam 15 minutos para 1 hora... Eu acho que estou um pouco adiantada. Naturalmente, Ryoji não está aqui ainda. Acima disso, eu fiquei um pouco empolgada demais e me vesti um pouco mais que o normal...)
Eu paro por um segundo e verifico meu reflexo numa janela de loja.
Sakura: Eu não sei sobre isso. Provavelmente não é nada. Conhecendo Ryoji, nós provavelmente estamos saindo para conseguir sementes ou fertilizante ou algo assim!
Ryoji: Errado!
Sakura: Wah! Ryoji!? Quando você chegou aqui?
Ryoji: Eu saí do dormitório antes de você, sabe.
Sakura: Oh, agora que você mencionou...
Ryoji: De qualquer forma...
(Hm? Ele está me encarando?)
Ryoji: Roupa legal.
Sakura: Huh?
Ryoji: Nada. Venha, vamos.
Sakura: Ok.
(As orelhas dele estão ficando vermelhas...? Eu me pergunto... Ele me elogiou ainda agora?)
Ryoji: Chegamos.
Sakura: Isso é...
Ryoji: Num enorme jardim de flores.
Sakura: Sim. É tão lindo!
Depois de sair da estação, nós passamos uma hora viajando num trem raquítico. Agora, diretamente no meio da cidade... ...na frente de nossos olhos, uma fantástica exibição de flores florescentes espalha perante nós.
(Quem sabia que tal lugar existia aqui?)
Com um sorriso em seu rosto, Ryoji examina o jardim de flores.
Ryoji: Esse é meu lugar secreto.
Sakura: Oh?
Ryoji: Eu não disse a ninguém sobre isso.
Sakura: Sério?
Ryoji: Sim. Então, mantenha isso entre nós. Ok?
Nosso segredo... Eu sinto então o mesmo aperto em meu peito ao ouvir essas palavras como senti quando vejo seu sorriso.
(Que sentimento feliz...)
Nós sentamos um ao lado do outro na grama.
Ryoji: Você... Você não riu de mim quando descobriu que eu gosto de flores. Acima disso... Eu me diverti ajudando você com o canteiro de flores.
Sakura: Estou feliz. Eu pensei que estava forçando você a fazer tudo. Isso me deixa feliz de saber que você se divertiu.
Ryoji: Você é uma garota estranha, não é?
Sakura: Huh?
Ryoji: Eu nunca teria pensado que você teria alguma coisa a ver com um cara como eu.
Sakura: *risadinha* Eu poderia dizer o mesmo sobre você.
Ryoji: O que você—
Sakura: Você era tão assustador no começo. E você não me deixaria dormir com aquela música alta.
Ryoji: Oh...
Sakura: Você estava se metendo em lutas todo dia, e apenas me encarou quando eu tentei te dar uma bandagem.
Ryoji: Um...
Sakura: Você não usaria fones de ouvido mesmo quando pedido... ...e até se chegasse na escola, você apenas dormiria o dia inteiro...
Ryoji: Por que você apenas não bota tudo para fora, que tal?
Sakura: Oh. Desculpe. Mas, quando se trata de algo que você ama, você é muito dedicado. Tipo, totalmente sério.
Ryoji: Huh? Você acha que eu sou dedicado?
Sakura: Você pode ser. Quero dizer, não na aula ou escola ou algo assim, mas... Quando se trata de flores, você tem paixão, e me ensinou muito.
Ryoji: ...
Sakura: Talvez eu esteja... você poderia dizer... um pouco com inveja de você.
Ryoji: Com inveja?
Ele repete, surpreendido.
Sakura: Sim... Eu não consigo pensar em nada com o que sou tão dedicada. Oh, mas eu ainda acho que seria melhor se você parasse de lutar tanto.
Ryoji: Por que toda a preocupação de repente?
Sakura: Porque, você é assustador quando está sempre lutando, se machucando, e ficando zangado o tempo todo. Se você for suspenso novamente, então o quê? E eu me preocupo com você se machucando.
Ryoji: Não é da sua conta.
Sakura: Eu acho...
Ryoji: Mas... eu pensarei nisso.
Sakura: O quê?
Ryoji: Não porque você disse alguma coisa, nem nada assim. É só que eu acho que estou um pouco velho demais para sempre ser estupidamente arrastado para lutas.
Sakura: Hehe! Oh, sim. Então, você acha que conseguirá um trabalho com flores quando crescer?
Ryoji: O quê? É cedo demais. Eu não pensei nesse tipo de coisa ainda.
Sakura: Não? E se você tivesse uma floricultura?
Ryoji: O qu...
As bochechas dele repentinamente começam a ficar vermelhas.
Ryoji: Caras não têm floriculturas! Sem chance que eu vou fazer isso!
Sakura: O quê? Eu acho que não tem problema para um cara ter uma floricultura! Eu acho que você conseguiria. Você seria perfeito!
Ryoji: Você é uma peste, não é?
Sakura: E se você vestisse um avental ao redor da loja, bordado com flores? Então, ele te deixaria pelo menos um terço menos assustador, mesmo com sua careta normal.
Ryoji: Pare com isso! Venha! Vamos!
Sakura: Ei! Espere!
Depois do jardim de flores, nós vamos para um café num distrito de compras próximo.
Ryoji: Estou faminto. Você quer comer alguma coisa?
Sakura: Hmm... Que tal o sanduíche especial da casa? Oh, mas o Napolitano parece bom, também!
Ryoji: Eu acho que o pegarei com o espaguete. Com licença.
Gerente: Sim. Vocês estão prontos para pedir?
Ryoji: Então o que você está pegando?
Sakura: Eu pegarei o sanduíche, e um café gelado, por favor.
Ryoji: Eu terei espaguete e um cacau gelado.
Gerente: Claro. É para já!
(Cacau gelado?)
Ryoji: O quê?
Sakura: Nada. Eu estava apenas pensando se você estava interessado em coisas doces.
Ryoji: Eu nunca disse que não gostava.
Sakura: Então, qual é sua comida favorita?
Ryoji: Minha favorita? Os hambúrgueres da minha avó...
Sakura: Oh, você tem uma avó?
Ryoji: Sim. Eu vivia com ela antes de me mudar para o dormitório. Eu aprendi a cuidar de, e eventualmente amar, flores enquanto estava com ela.
(Eu vejo...)
Ryoji: Meu pai, você pode saber, é um membro da Dieta Nacional.
Sakura: Sim.
Ryoji: Ele sempre me diria que estava ocupado demais com o trabalho e nunca viria para casa. Minha mãe, também. Ela só se importava com meu irmão mais velho... Bem, ele sempre foi o bonzinho, então quem pode culpá-la?
Sakura: Você tem um irmão mais novo?
Ryoji: Minha única família é minha avó. Ela era a única que sentaria e falaria comigo e cuidaria de mim.
Ele olha para baixo e faz uma expressão que eu nunca vi antes.
(Eu acho que ele não se dá bem com sua mãe e pai.)
Sakura: Sua avó não está solitária desde que você saiu para viver no dormitório?
Ryoji: Eu tento visitá-la e chamá-la no telefone. Quando eu disse a ela sobre o que estávamos fazendo com o canteiro de flores da escola, ela pareceu realmente feliz.
Sakura: Oh? Isso é ótimo.
Gerente: Aqui está.
O gerente do café traz nosso pedido para nós.
Sakura: Uau! Isso parece tão delicioso!
Ryoji: Quer provar um pouco do meu espaguete?
Ele enrola um pouco da massa em seu garfo e oferece para mim.
-Vá Em Frente? {+AC}
Sakura: Você tem certeza? Muito obrigada!
*morde*
Ryoji: !
Sakura: Mmm! É tão rico e gostoso!
Ryoji: V-Você...
Sakura: Oh, sim... Aqui! Sua vez!
Eu pego o sanduíche na minha frente e estendo para Ryoji.
Ryoji: ...!
*morde*
(Isso foi rápido!)
Sakura: Você está assim tão faminto?
Ryoji: ...
Sakura: Ryoji?
Ryoji: O quê!
Sakura: Nada... O sanduíche está bom?
Ryoji: Como eu saberia?!
Sakura: Huh? Mas você acabou de comer um pouco, não foi?
Ryoji: Não assuma que você consegue dizer como alguma coisa é apenas por prová-la!
Sakura: Bem, você não consegue saber qual é o sabor de alguma coisa se não a provar, certo?
Ryoji: Pare de me incomodar!
Gerente: Ah, ser jovem!
Ryoji: !
-Recuar? {+TD}
{?}
Tendo nos observado, o gerente ri e volta para trás do balcão.
Gerente: É bom ser jovem, não é?
Ryoji: Ei! Você fique fora disso!
Sakura: Ryoji! Pare! Não fale assim!
Ryoji: Droga.
Gerente: Eu aposto que se Ryu visse isso, ele diria, “que sem-vergonha”!
(Sem-vergonha...?)
Nós sentamos no café e nos divertimos por algum tempo...
Sakura: Que pequena área de compras pitoresca.
Ryoji: Você acha?
Sakura: Oh, veja! Aquela floricultura tem tantos arranjos lindos!
Ryoji: ...
(Hehe! Ele está totalmente interessado, mas nunca entrará a menos que eu o arraste.)
Sakura: Quer entrar?
Ryoji: Eu acho, se você tem que entrar.
Sakura: Eu tenho!
Ryoji: Tanto faz. Eu acho que não tem sentido em te parar.
Sakura: Ei! Espere por mim!
(Eu sinto que estou começando a entendê-lo. Uau! Essa loja é tão bonita!)
Funcionário: Olá!
Sakura: Ei, veja. O lojista é da nossa idade.
Ryoji: É.
(É refrescante ver um rapaz tão legal trabalhando num lugar assim.)
Funcionário: Vocês estão procurando por alguma coisa?
Sakura: Huh?! Oh, eu, um...
Ryoji: Eu quero um buquê de flores gladíolos.
Funcionário: Elas serão um presente?
Ryoji: Bem... Por favor, arranje-as como aquele ali.
Funcionário: Claro. Eu pegarei esse e esse, e os colocarei assim...
Sakura: Incrível... Ser capaz de fazer um buquê quase instantaneamente. Já está quase terminado...
Funcionário: Quando você está sempre aqui, você pega a habilidade das coisas. Oh, mas, por favor, tenha cuidado de para quem você dá estas. Essas flores expressam sentimentos profundos.
(Que sorriso incrível! Não há muitos caras como ele na escola. Que pena...)
Sakura: Vê? Há garotos que trabalham em floriculturas.
Ryoji: ...
Rapaz: Ei, Haru. Onde está o resto desses quadrinhos? Oh! Desculpe! Você tem clientes.
Haruki: Onde eles estão... Talvez eu os emprestei para Takeshi? Aquilo? Eu acho que eles estão na prateleira de cima, nos fundos. Sinta-se livre para procurar sozinho, Ichigo.
Ichigo: Obrigado.
(Ele é amigo dele? Que galã! Essa loja está apenas nadando com caras gostosos?!)
Ichigo: ...
(Ele está olhando para mim? Ah! Oh, não! Eu tenho alguma pimenta preta presa em meus dentes daquele espaguete?!)
Ryoji: Ei, o que você está olhando?
Ichigo: Nada...
Haruki: Haha! Eu acho que Ichigo percebeu também. Ela nos lembra de uma garota que conhecíamos antigamente. Ela terminou se mudando quando éramos realmente jovens. Oh, mas ela voltou recentemente. Ela é fofa, bem como você.
Sakura: Huh?!
(Aquele gostosão acabou de me chamar de fofa!)
Ryoji: *tsk*
Ichigo: Bem... Eu não acho. Oh, Haru. Traga alguns vegetais mais tarde. Ryu disse que está vindo.
Haruki: Sim, senhor. Ok, como está isso para o buquê?
Ryoji: Oh... Está impressionante para caramba.
Haruki: Haha! Estou feliz que você gosta! Eu o amarrarei para você, então.
(É como ver um novo lado de Ryoji, ele andando, carregando um buquê de flores. Embora eu saiba que ele gosta de flores, parece uma combinação tão estranha.)
Sakura: Hoje foi divertido! Nós passamos o dia inteiro cercado por flores!
Ryoji: Por alguma razão, sempre que estamos juntos esses dias, sempre há flores envolvidas.
Sakura: Eu estava pensando a mesma coisa. Está ficando um pouco tarde, você não acha? Nana está provavelmente preocupado.
Ryoji: É. Ele é irritante assim.
Bem quando estamos prestes a entrar no dormitório, eu repentinamente fico consciente de algo.
Sakura: Nós saímos separadamente pela manhã. Tudo bem se chegarmos em casa juntos?
Ryoji: Oh...
(Eu apenas sei que Akira e Yu tirariam sarro de nós se vissem... Eu não quero causar nenhum problema para Ryoji.)
Sakura: Eu entrarei depois de você.
Ryoji: Você é a garota. Você vai primeiro. Também... aqui.
Ele estende o buquê em minha direção.
Sakura: Huh?
Ryoji: Apresse-se e as pegue.
A porta abre.
Natsuo: Eu pensei que ouvi alguém falando aqui fora!
Ryoji: Ah!
Sakura: Oh, uh! Sim, eu acabei de esbarrar em Ryoji enquanto estava...
Natsuo: Oh, bom deus! Que flores lindas! Elas são para mim?! Puxa! Você tem bom gosto, Ryoji! Eu as arrumarei imediatamente!
Ryoji: E-Ei! Espere! Essas não são...
Nana pega as flores das mãos de Ryoji e entra no dormitório.
Ryoji: Filho de uma...
Natsuo: Ryoji, você disse alguma coisa?
Ryoji: Maldito seja sua boa audição estúpida.
Natsuo: Huh?
Ryoji: Nada...
Natsuo: Oh sim, Sakura, um pacote de seus pais chegou para você.
Sakura: Obrigada.
Eu agradeço Nana e então sigo Ryoji para o dormitório. Bem como Nana disse, há um pacote endereçado para mim na sala de estar.
Sakura: Eu me pergunto o que eles me mandaram? Louça...?
(Onde eu vi essas antes? Oh! É a coleção de louça de estanho de minha mãe! Oh, é porque eles estão na Malásia! Mamãe certamente amava essa coleção. Mas o que eu farei com tanta coisa...?)
Yu: Uau! Veja todas as coisas que você conseguiu! É tão brilhante.
Akira: Não é brilhante. Você tem pratos, copos, ornamentos, e até um vaso de flor.
Sakura: Sim... Eu não posso usar tudo isso. Eu deveria doar um pouco para a escola.
(Oh! Mas, o vaso de flor...)
*bate* *bate*
Sakura: Ryoji? Você está aí?
Sua porta abre rapidamente.
Ryoji: O que foi?
Sakura: Eu apenas queria te agradecer por hoje. Eu me diverti. Obrigada por me levar a um jardim tão lindo.
Ryoji: Não diga a uma alma sobre aquele lugar. É um segredo.
Sakura: É claro. De qualquer forma, eu consegui isso no pacote que minha mãe me mandou.
Ryoji: O que é isso? Um vaso?
Sakura: Sim. Eu pensei que você poderia usá-lo.
Eu o estendo na direção dele. Ele o pega com uma expressão confusa em seu rosto.
Ryoji: A propósito... Você não deveria ir visitar o quarto de um garoto assim tão tarde à noite.
Sakura: Oh, desculpe. Você estava adormecido?
Ryoji: Não é isso...
Ele faz uma careta para mim como se eu devesse saber do que ele está falando.
Sakura: Os outros rapazes recebem pacotes assim de suas famílias?
Ryoji: Sim. Sempre parece que Yu está recebendo comida enviada da família dele.
Sakura: E você? Alguma coisa de sua avó?
Ryoji: Eu disse a ela para não me mandar nada. Receber coisas de sua família é apenas um incômodo. Mesmo se ela mandasse, meu pai apenas reclamaria, e eu me sentiria mal.
(Isso mesmo... Ele disse que sua única família era sua avó mais cedo. Não foi?)
Sakura: Você... não se dá bem com seu pai?
Ryoji: Por que você acha isso?
Sakura: Apenas parece que... você nunca sorri quando fala sobre ele.
De repente, a expressão dele fica azeda.
Ryoji: Meu relacionamento com ele não é da sua conta. Não interfira nos negócios familiares de outras pessoas.
Sakura: Oh...
Ele olha para mim surpreso.
Ryoji: Uh, eu quero dizer...
Sakura: S-Sim, você está certo. Desculpe... Boa noite...
Ryoji: ...
(O que eu estou fazendo? Eu acho que senti que estava me aproximando dele... É como ele disse. Não é bom se envolver nos negócios de outras pessoas.)
Entretanto, sentindo essa parede que ele colocou entre nós me machuca por dentro por alguma razão.
(Eu acho que Ryoji já saiu para a escola hoje... Eu fiquei muito cheia de mim mesma e cutuquei meu nariz onde não pertencia!)
Sakura: Eu pedirei desculpas depois que chegar em casa.
Algum Garoto: Ei, você não é Sakura Yagami?
Sakura: Huh?
(Uau! Que cabelo brilhante! Ele vai para a nossa escola?)
Algum Garoto: Ryoji está em problemas! Venha rápido!
Sakura: Ryoji?
Esse é o fim do quinto episódio. Até a próxima! :)

Comentários

Mais Lidas ♥